Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

É preciso não esquecer Nuno Dala, o ativista angolano que está em greve de fome há 15 dias

Nuno Dala, em greve de fome desde o dia 10 de março. Foto: Central Angola

Nuno Dala, em greve de fome desde o dia 10 de março. Foto: Central Angola

Nuno Dala, é professor universitário, está em greve de fome há 15 dias. O ativista, preso desde junho de 2015, faz parte do processo dos “15+2″ ativistas acusados de tentativa de rebelião, pelas autoridades angolanas. Dos 17 réus, 15 estiveram presos mais de 90 dias sem acusação formada. Os restantes, duas jovens angolanas, permaneceram em casa com termo de identidade e residência. Em dezembro, o tribunal decretou prisão domiciliária para os 15 ativistas, enquanto decorre o julgamento que começou em 15 de novembro de 2015.

Numa entrevista à rádio DW – África a irmã de Nuno Dala diz que o estado de saúde do seu irmão “é grave”. Dala começou uma greve de fome como forma de reivindicar o acesso aos seus pertences pessoais que estão nas mãos das autoridades. O ativista, que estava em prisão domiciliária desde dezembro, voltou em março à prisão por ordem do tribunal. A irmã de Dala lamenta que a sociedade esteja “a ignorar a saúde” do seu irmão. A DW adianta que:

Nas redes sociais, multiplicam-se as críticas em relação à forma como a sociedade e os meios de comunicação social têm tratado o caso da greve de fome de Nuno Dala. Muitos fazem a comparação com o caso de Luaty Beirão, que originou protestos, petições e abaixo-assinados dentro e fora de Angola.

O portal CentralAngola 7311 tem acompanhado esta situação de perto:

E lança o apelo, no Facebook, para que haja maior mobilização por parte das pessoas:

#GREVEDEFOME
#NunoDala
#DiaCatorze
Hoje entra no 14º à base de água, soro oral, chá e sumo, sem ingestão de qualquer alimento sólido. Quando começaremos as petições, os abaixo-assinados, as vigílias? Quando é que o desespero se instala?

O resultado teve efeito quase de imediato. No mesmo dia, foi programada uma vigília por Nuno Dala para os dias 25, 26 e 27 de março, em Luanda:

‪#‎VIGÍLIA‬
‪#‎NUNODALA‬

Aí está a iniciativa cidadã. Para todos aqueles que estiveram a vomitar insultos à dormência da sociedade civil será bom que compareçam.

Dias 25, 26 e 27 de Março, na Igreja Sagrada Família, às 17h30.

Não vale a pena ficar à espera do último dos dias para ver se nos primeiros não sai porrada e jatos de água da polícia.

‪#‎SolidariedadeAlémDoFacebook‬