Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Ministério Público angolano quer o jornalista Rafael Marques na prisão

Jornalista Rafael Marques no Tribunal Provincial de Luanda. Foto: MakaAngola

Jornalista Rafael Marques no Tribunal Provincial de Luanda. Foto: MakaAngola

Depois de conhecido o acordo que ilibava Rafael Marques da acusação de difamação caluniosa com generais angolanos, a justiça angolana volta a surpreender com a posição do Ministério Público que está a pedir 30 dias de prisão para o jornalista, relata a DW-África:

Em Angola, o Ministério Público pediu 30 dias de prisão para Rafael Marques. A posição foi anunciada no dia em que foram proferidas, em Luanda, as alegações finais do julgamento que opõe o jornalista angolano a sete generais e duas empresas diamantíferas. Marques fala numa “cilada”.

A sentença deste caso deverá ser lida na quinta-feira (28.05), no Tribunal Provincial de Luanda.

Rafael Marques acredita ter sido traído pela justiça e que se trata de uma “cilada”:

Televisão Pública de Portugal (RTP), também deu ênfase a esta notícia:

(…) Cilada
De acordo com o advogado do arguido, David Mendes, os generais queixosos acederam então que não havia motivos para continuar com o processo de difamação e deixaram cair o pedido de indemnização.
O ativista prescindiu assim de apresentar as testemunhas e provas da sua defesa. No entanto, numa reviravolta, que Rafael Marques classificou de “cilada”, o Ministério Público angolano acabaria por pedir ao tribunal 30 dias de prisão. “É uma cilada. O que houve foi uma cilada. E o Estado angolano há de conhecer-me de uma forma muito mais dura”, prometeu Rafael Marques (…)

Quando se acreditava que estaria “livre da justiça”, Marques volta ao Tribunal Provincial de Luanda para tomar conhecido da sentença que será proferida na Quinta-feira, 28 de Maio.