Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

“As mulheres ocidentais não se importam se forem estupradas na estrada”, diz historiador saudita

A screenshot of Youtube video. Used under CC BY 2.0

Imagem de um vídeo no YouTube mostrando o historiador saudita Dr. Saleh Al-Saadoon na televisão

O historiador saudita Dr. Saleh Al-Saadoon disse que as mulheres ocidentais dirigem, porque elas “não se importam se forem estupradas na estrada”. Ele fez essas declarações durante uma entrevista com Rotana Khalijia, num canal de televisão saudita para os países do Golfo, defendendo a lei saudita que proíbe as mulheres de dirigir. O vídeo foi bastante compartilhado no YouTube, criando uma comoção online.

A Arábia Saudita é o único país no mundo que proíbe as mulheres de dirigir carros. Muitos esforços estão sendo feitos para quebrar essa proibição, como, por exemplo, em 26 de outubro de 2013, quando dezenas de mulheres compartilharam vídeos de condução dos carros dia em que decidiram desafiar essa proibição.

O “historiador” Saudita notou que:

Unlike riding a camel, driving a car places a woman in danger of being raped, which for Saudi women is a much worse experience than for any women in the western world where women “don't care” if they are raped.

Ao contrário de andar de camelo, dirigir um carro coloca a mulher em risco de ser estuprada, o que para as mulheres sauditas é uma experiência muito pior do que para as mulheres no mundo ocidental que “não se importam” se forem violentadas.

Para piorar sua entrevista, ele sugeriu uma solução para importar “motoristas estrangeiras” a conduzir as mulheres sauditas para evitar um estupro potencial por motoristas contratados masculinos.