Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Irão atingido por tempestades de areia asfixiantes

"These days #Iran is sad ,#Khuzestan has been surrounded by dust .#mustseeiran #Iranlandscape #KhuzestanCantBreathe" Tweeted by twitter user @IranLandscape on Feb 13, 1015.

“Nos últimos tempos, o Irão anda taciturno: o Khuzistão tem estado rodeado por poeira. #mustseeiran #Iranlandscape #KhuzestanCantBreathe” Tweet do utilizador do Twitter @IranLandscape, 13 de Fevereiro de 2015.

Este artigo foi originalmente anunciado em Arseh Sevom e é aqui publicado de acordo com os termos de conteúdo e partilha. 

Nos últimos anos, as tempestades de areia nas províncias do oeste e do sul do Irão tornaram-se uma profunda preocupação ambiental, ameaçando a saúde e o bem-estar de milhões de pessoas no país e arredores. 

Os habitantes estão a utilizar a hashtag #KhuzestanCantBreath para chamar a atenção para este problema. O Khuzistão é a província do Irão que alberga Ahwaz: a cidade mais poluída do mundo. Um mapa de ventos do mundo em tempo real mostra que os ventos que chegam ao sudoeste do Irão provêm de locais tais como o Iraque, a Arábia Saudita e o nordeste de África. 

A equipa de futebol de Ahwaz, Fooland FC, tuitou uma fotografia dos seus jogadores a treinarem no meio da poluição:

Isto é #Ahwaz #KhuzestanCantBreathe

Onze ONGs escreveram às Nações Unidas para alertar para os problemas ocorridos no sudoeste do Irão, pedindo para pressionar o governo para dar resposta a esta crise. A carta pode ser lida aqui.

Entrevista com Sam Khosravi

Estas fortes tempestades de areia escureceram os céus e devoraram a terra em cidades como Ahwaz, no sudoeste do Irão, o que contribuiu para a transformar na cidade mais poluída do mundo.

Sam Khosravi

Sam Khosravi

Arseh Sevom pediu ao investigador ambiental Sam Khosravi que comentasse a origem destas tempestades e os altos níveis de poluição. Foram feitas várias perguntas. Tal como o Teerão, estará o Khuzistão a sofrer as consequências da poluição industrial? Por que razão estas tempestades se tornaram mais frequentes e mais graves nos últimos anos? 

O que nos pode dizer acerca da origem das tempestades de areia e de pó?

As tempestades de pó podem ser causadas por uma variedade de fontes, tanto industriais como naturais. Relatórios recentes acerca do que está a acontecer no Irão mostram que este afluxo súbito das tempestades de areia não se deve apenas a causas industriais.

Deve existir uma origem para estas tempestades.

Até agora, foram identificadas três origens para estes desastres humanos e naturais. Imagens por satélite mostram que, durante algum tempo, a Síria e o Iraque tiveram um papel fundamental e os desertos no norte de África são outra fonte de areia e de pó. Estudos conduzidos pela Universidade de Teerão mostram que as tempestades também são causadas pela degradação dos pântanos. Para se poder determinar a causa exata é necessário realizar mais pesquisas independentes.

As tempestades de areia não são novidade na região. Por que é que estas mais recentes causaram uma situação tão desastrosa para a população e para a região? 

A deterioração dos recursos hídricos e o desaparecimento de barreiras naturais, combinados com as alterações atmosféricas, tornaram estas tempestades piores. Alguns modelos prevêem tempestades ainda piores no futuro (próximo).

Como pode ser resolvida esta crise ambiental?

Há muito tempo que tempestades deste tipo ocorrem no Irão, como, por exemplo, o vento “Nashi” no sul do país. O problema é que, em comparação com o passado, a intensidade e a frequência destas tempestades aumentaram. 

Não existe uma solução a curto prazo. O problema não foi criado do dia para a noite, não pode ser resolvido como tal. A curto prazo, é necessário pensar na saúde dos residentes da região e fornecer ferramentas que atenuem os efeitos das tempestades. O horário de trabalho nas organizações governamentais deverá ser reduzido, os grupos de apoio deverão estar ativos em várias áreas da região e as casas deverão estar equipadas com equipamento de ventilação.

As soluções a longo prazo são bastante difíceis e requerem tempo e dinheiro. Olhando para a situação atual no Médio Oriente, especialmente na Síria, no Iraque e no Irão, é pouco provável que se vá fazer alguma coisa.

É preciso fazer um grande esforço de forma a reanimar os ecossistemas mortos. É bastante difícil, mas acredito que seja possível.

Este artigo foi escrito originalmente em persa

Tradução editada por Lú Sampaio como parte do projecto Global Voices Lingua