Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Alegada violência militar contra civil num quartel de São Tomé registada em vídeo

Captura de tela do video publicado no YouTube

Um vídeo amador divulgado, no dia 14 de Janeiro, no grupo do Facebook denominado “STP Denuncias” , dá a conhecer um alegado espancamento de um civil por oficiais das Forças Armadas de S. Tomé e Principe.  

Embora a publicação original – com cerca de um ano – tenha sido eliminada, a Radio Somos Todos Primos republicou e volta a dar o devido destaque ao sucedido:

Ontem foi divulgado nas redes sociais um vídeo da qual dá conhecer que, alegadamente, figuras com alta patente militar de S. Tomé e Príncipe terá utilizado abusivamente da força contra um civil.
Devemos todos denunciar até que se apure as responsabilidades:
http://bit.ly/denunciafacebook

No vídeo, que está a indignar os defensores dos Direitos Humanos dentro e fora de São Tomé e Príncipe, foi possível registrar aproximadamente 15 minutos de espancamento a um cidadão civil alegadamente por furto. 

Na mesma publicação, as reacções dos leitores demonstram repugnação ao acto de tortura constante no video. Luizenda Rolim comentou:

Esta ilha que esses ditos senhores comandam e julgam ser a sua propriedade nunca ira sera melhor que isso…. todos os seres humano que rouba, mata ou droga existe lei tribunal , policia de investigação criminal ou policia nacional ….isso não se faz nem a um cachorro vira-lata na rua…. e digo mais quem nestas imagem diz que tem de ser assim… gostaria eu que fosse com alguém da sua família o que estaria a sentir neste momento?

As alegadas imagens registam um jovem sentado no chão, em trajes menores, a ser violentamente espancado por elementos de alta patente da Força Armada de São Tomé e Príncipe. A assistir estão outros elementos policiais, que vão se aproximando e também começam a pontapear e a dar bastonadas no jovem, que nunca chega a oferecer qualquer tipo de resistência.

Patrice Trovoada, actual Ministro de São Tomé e Príncipe reagiu na sua pagina oficial no Facebook: 

Tomei ontem conhecimento que está a circular nas redes sociais um vídeo em que, alegadamente, uma alta patente militar de S. Tomé e Príncipe terá utilizado abusivamente da força contra um civil.

O governante aproveitou para anunciar que está a tratar de todas as diligências para apurar responsabilidades:

Tendo o acontecimento ocorrido ainda no mandato do anterior governo, segundo várias versões, solicitei também a abertura de um inquérito para se apurar a origem da gravação, bem como eventuais motivos para só agora ter sido divulgada e o paradeiro da vítima.

 No mesmo mural pode se observar varias facções quanto aos comentários dos internautas, uns ficaram felizes pela pronta reação do Primeiro-Ministro, como é o caso de Elisabete Rodrigues:

Excelente senhor Primeiro Ministro. Sinal de que está atento.

 Edson Miguel em comentário à mesma publicação mostrou-se incrédulo quanto a uma provável consequência pratica no inquérito anunciado: 

Isso não vai dar em nada……! É mesma coisa dizer o cão ladra e a caravana passa, nós em STP já estamos habituado a isso.

Adney Lucas remata: 

Sendo assim tendo em conta a veracidade do facto, mais uma vez venho muito humildemente clamar uma aceleração neste inquérito e que o mesmo seja feito com muita celeridade e coerência. Que o Estado de Direito Democrático sege respeitado e que se possa fazer a justiça com responsabilidade. Ninguém está a cima da lei, ha métodos, formas e instâncias próprias para cada caso e situações. Viva a JUSTIÇA e a DEMOCRACIA, a baixo a anarquia.

Célia Possér, Presidente da Plataforma para Direitos Humanos e Equidade de Género reagiu em entrevista a RFI, condenando o acto: