Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Timor-Leste: A viagem de sonho que virou pesadelo para Stacey Addison

Stacey Addison detida em Timor-Leste.

Stacey Addison detida em Timor-Leste. Foto: Facebook, reprodução autorizada.

Stacey Addison tem 41 anos e é natural de Portland nos EUA onde exerceu a profissão de veterinária. Ao fim de dez anos de trabalho, Stacey decidiu vender todos os seus pertences e partir numa aventura à volta do mundo. 

Aquela que seria uma viagem de sonho, iniciada em Janeiro de 2013 está agora a  tornar-se num pesadelo que começou quando a médica veterinária atravessou a fronteira desde a Indonésia para Timor-Leste, num táxi partilhado[en].

À chegada a Dili, em Setembro de 2014, um dos ocupantes do táxi pediu para parar junto a um posto da DHL para levantar uma encomenda. O pacote continha drogas. A partir daí começa o pesadelo da turista que estava no sitio errado à hora errada. Conta na sua página do Facebook[en], criada pela sua mãe, Bernadette Kero, e amigos para a apoiar.

Depois da primeira detenção[tetum], de ser revistada e passar 4 noites numa cadeia em Dili, Stacey foi libertada mas sem poder abandonar o país, o seu passaporte foi apreendido, e o caso atribuído ao ministério publico para ser investigado.

 Local errado na hora errada, coitada da Stacey Addison que saltou para dentro de um táxi e acabou na prisão.

No dia 27 de Outubro, a investigação foi interrompida. O procurador encarregue pelo caso foi despedido, apanhado pelos recentes acontecimentos que estão a abalar o sistema judicial em Timor-Leste.

A 29 de Outubro, a médica veterinária voltou a ser detida mas desta vez acabou transferida para a prisão de mulheres em Gleno, a poucas horas de Dili. A turista americana tinha à sua espera, um mandato de captura em seu nome. Diz que nunca foi formalmente acusada ou interrogada pelo Ministério Público.

Prisão de mulheres em Gleno, Timor-Leste.

Prisão de mulheres em Gleno, Timor-Leste. Foto: Facebook

O seu advogado, Paulo Remédios, declarou à imprensa norte americana que a detenção de Addison contraria a Lei Internacional de Direitos Humanos[en].

A embaixada norte-americana em Dili, que de momento está sem embaixador, disse à imprensa que não pode intervir no sistema judicial do país. O governo norte-americano está entretanto a ser pressionado a intervir no processo e também para que nomeie um novo embaixador para Timor-Leste. Fonte da Embaixada confirmou ao Global Voices que “os Estados Unidos da América estão representados em Timor-Leste pela adida das relações com o exterior, Katherine Dueholm, enquanto aguardam pela nomeação definitiva de um embaixador”. 

 

Uma onda de solidariedade começa a criar forma no twitter iniciada pelos amigos e a família de Tracey:

 “A amiga da minha amiga, Stacey está presa em Timor-Leste depois de ter partilhado um táxi com um estranho… Ajudem-na. 

O que é que estão a fazer para ajudar a libertar a Dra. Stacey Addison em Timor-Leste? Como viajante, gostaria de saber que vocês a vão ajudar. 

 A veterinária [Stacey] Addison foi detida por engano em Timor Leste.

 Dra. Stacey Addison celebra o seu aniversário numa prisão em [Timor-Leste] depois de pesadelo relacionado com droga.

Vamos ver se o governo [EUA] faz o seu trabalho e a ajuda. Titulo 22, parágrafo 1732 do Código dos EUA