Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Como encontrar a felicidade na democracia

Do Butão, terra da Felicidade Interna Bruta, o blogueiro Passang Tshering explica como os cidadãos podem buscar a felicidade em uma democracia. Ele compara a democracia ao casamento por amor e afirma que há três grupos de pessoas: os amantes, os inimigos e os cidadãos interessados.

The Lovers are the ones who swear by one party, and regardless of how good or bad the decision the party makes they will not move an inch into disagreement. They are like a obsessive husband who could go and hug his wife after she has thrown a hot pan on his face.

Contrary to that The Haters are the ones who turn blind eyes to all the good things a party does and suddenly becomes so loud when they see a flaw. They are like an angry husband who would slap his wife even when she gifts him a bouquet of flowers.

If we have more of these two groups of people then democracy is at risk. They could fail a country. Therefore we must strive to be and saw the seed of The Concerned Citizens in our youth. Educating and inspiring them to grow the heart that is courteous enough to acknowledge the good even if it's done by an enemy, and courageous enough to condemn even when the wrongdoer is a friend. That like a very human and loving husband.

Os amantes são aqueles que fazem juramento a um partido e, independentemente das decisões tomadas pelo partido serem boas ou ruins, eles não se movem uma polegada em desacordo. São como um marido obsessivo, que vai lá e abraça a esposa depois dela ter jogado uma panela quente em seu rosto.

Ao contrário destes, os inimigos são aqueles que fecham os olhos para todas as coisas boas que um partido faz e repentinamente aumentam o tom de voz quando percebem uma falha. São como um marido irritado, que bate na esposa mesmo quando ela lhe traz um buquê de flores.

Se estes dois grupos formarem a maioria, a democracia então corre risco. Eles podem naufragar um país. Portanto, devemos nos esforçar para ser e plantar a semente do cidadão interessado em nossa juventude. Educar e inspirar os jovens para cultivar um coração que seja cortês o suficiente para reconhecer o bem mesmo quando feito por um inimigo e corajoso o suficiente para condenar o mal mesmo quando o transgressor é um amigo. Isso é agir como um marido muito humano e amoroso.