Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Investidores na Alemanha com o moral em queda

[Este artigo contém links que levam a outras páginas, inclusive noutros idiomas, caso queira aprofundar o assunto]
Puerto de Hamburgo, vía Dominio público

Porto de Hamburgo, via Domínio Público

Analistas e investidores alemães mostram-se bastante menos optimistas do que o previsto em relação ao crescimento da economia alemã. Na verdade, o índice ZEW na Alemanha (que reflecte o sentimento económico actual de vários especialistas) caiu em Agosto de 18,5 pontos percentuais para 8,6, quando os economistas esperavam uma queda mais moderada, para 18 pontos.

Uma queda continuada

O referido indicador de confiança, em queda pelo oitavo mês consecutivo, atinge o seu nível mais baixo desde Dezembro de 2012. Além disso, trata-se da maior queda, de um mês para o outro, desde há pouco mais de dois anos:

Les chiffres actuels de la production industrielle et des entrées de commandes suggèrent des investissements sensiblement réduits de la part des entreprises allemandes, face à des perspectives de ventes incertaines.

Os números actuais da produção industrial e das novas encomendas sugerem que o investimento das empresas alemãs foi reduzido de forma significativa, perante a incerteza da perspectiva de vendas.

Assim explicou Clemens Fuest, presidente do ZEW (Centro para a Investigação Económica Europeia).

O índice que mede a evolução do estado de espírito dos investidores desceu para 8,6 pontos depois de ter atingido, no início de Julho, 27,1, embora os economistas e analistas consultados pela Reuters tenham previsto um número médio próximo de 18,2. O componente que mede a opinião dos investidores acerca da situação actual caiu para 44,3 contra 61,8 no mês passado e 55,5 esperados de forma consensual.

Exportaciones alemanas por productos. Diagrama de árbol, vía Gordon.silvermanaz123 CC BY-SA 4.0

Exportações alemãs por produtos. Diagrama de árvore, via Gordon.silvermanaz123 CC BY-SA 4.0

Um “sinal preocupante”

Para Carster Brzeski, economista do ING:

Cet indice ZEW lance un signal inquiétant. Il laisse entendre que la faible croissance au deuxième trimestre pourrait traduire une tendance de fond.

O índice ZEW lança um sinal preocupante e sugere que o fraco crescimento no segundo trimestre poderá reflectir uma tendência.

Christian Schulz, economista do Banco Berenberg, faz o mesmo diagnóstico e afirma que:

La confiance des investisseurs allemands a plongé en août, alors que les inquiétudes sur la croissance et l’escalade des tensions dans l’est de l’Ukraine ont provoqué une forte correction sur les marchés ces deux dernières semaines.

A confiança dos investidores alemães caiu em Agosto, enquanto a preocupação com o crescimento e a escalada de tensão no leste da Ucrânia levaram a uma forte correcção dos mercados nas duas últimas semanas.

Estes são, claramente, os distúrbios geopolíticos na base desta queda de confiança da economia alemã. Além disso, a operação israelita na Faixa de Gaza e os bombardeamentos do Iraque pelos Estados Unidos, para combater os jihadistas do Estado Islâmico do Iraque e do Levante, também acrescentaram nervosismo aos mercados. 

A deterioração da situação internacional repercute-se na situação alemã, ainda mais quando a economia europeia não parece ir na direcção certa. “Caso a economia na zona euro não registre melhorias, a tendência de crescimento da economia alemã será inferior à prevista para 2014″, refere nomeadamente o instituto ZEW num comunicado. O instituto vai ainda mais longe ao afirmar que “existe a preocupação de que o crescimento da Alemanha seja mais baixo do que o esperado para 2014″. Na sequência da publicação do índice ZEW, dado seguido atentamente pelos intervenientes do mercado, o euro caiu 0,34%, tendo chegado a ser vendido a 1,3339 dólares.