Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Como a tecnologia auxilia o aprendizado e a preservação das línguas faladas no mundo

Kenkyusha’s New Japanese-English Dictionary by Niko Kitsakis (CC-SA-3.0)

Novo dicionário Kenkyusha Japonês-Inglês por Niko Kitsakis (CC-SA-3.0)

[Os links neste artigo conduzem a páginas em inglês, exceto quando outro idioma for indicado]

Este artigo foi escrito por Allyson Eamer, uma estudiosa de sociolinguística do Instituto de Tecnologia da Universidade de Ontário. A versão original do post foi publicada no blog do Ethnos Project

Entre as línguas ameaçadas de desaparecimento no mundo, uma acaba extinta de cada dez a quatorze dias. Na luta para salvá-las de total desaparecimento, falantes, estudiosos e especialistas em tecnologia da informação colaboram para pesquisar formas de uso da tecnologia digital para revitalizar uma língua.

As línguas tornam-se vulneráveis à extinção com o tempo, na medida em que seus falantes gradualmente passam a usar uma outra língua possuidora de maiores poderes político e econômico. Frequentemente, essa mudança ocorre em consequência de uma visão colonialista e expansionista, que assiste aos povos indígenas, culturas e terras cederem lugar aos formadores de império. 

Notadamente, alguns acadêmicos não se incomodam com o que poderia ser chamado de “Darwinismo linguístico” ou a sobrevivência da língua mais apta. Eles podem usar como argumento a questão: Não seria mais fácil se todos usássemos a mesma língua?

Eu não vou elaborar em como uma língua codifica uma visão única do mundo; como o vocabulário de uma língua revela os valores de um povo que a utiliza; como o conhecimento empírico está embutido de características linguísticas; e como a arte, história, cultura, economia, identidade e a forma de exprimir-se são intrinsecamente ligadas. Em vez disso, eu vou continuar com o pressuposto de que, assim como eu, você acredita que a perda de uma língua é uma tragédia e que os povos indígenas do mundo  já perderam mais do que o suficiente.

A tecnologia pode conectar professores e conteúdos com estudantes atravessando tempo e espaço. Ela pode documentar e gravar a fala de línguas ameaçadas. Também pode produzir e distribuir com facilidade e rapidez materiais e currículos. A tecnologia pode facilitar o estudo independente por meio de jogos, downloads ou aplicativos. Ela pode conectar professores e estudantes de línguas em aprendizagem de uma via ou de aprendizagem em grupos.

Mentes avançadas estão se utilizando dos poderes inéditos da tecnologia para resgatar línguas que estão à beira de extinção e, em casos raros, para ressuscitar uma língua já extinta.

Seguem abaixo alguns exemplos de formas em que a tecnologia digital vem sendo utilizada nesses esforços:

Europa

América do Norte

    • Um CD-Rom foi desenvolvido com um curso de autoaprendizagem de navajo, língua amerígena falada no sudoeste dos Estados Unidos.
    • Estudantes de cherokee, falado no centro-sul dos Estados Unidos, podem se comunicar num mundo virtual.
    • Os falantes do ojibwe de Manitoba, no Canadá, estão utilizando um aplicativo de iPhone para revitalizar a sua língua, assim como os falantes de Winnebago, no meio-oeste dos Estados Unidos.

África

América Central e América do Sul

Ásia

Ártico

.

Oriente Médio

Pacífico

 

Para maior atualizações das tecnologias de educação de línguas indígenas, consulte o site com conteúdo de curadoria de Allyson Eamer.

Tradução editada por Débora Medeiros como parte do projeto Global Voices Lingua