Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Moçambique acolheu primeiro “TechCamp” da África Austral

No final do evento, houve oportunidade para uma foto em família.

No final do evento “Machamba de Tecnologia” houve oportunidade para uma foto em família.

A Embaixada dos Estados Unidos da América em parceria com a Embaixada da Suécia organizou em Maputo, durante os dias 5 e 6 de Junho de 2014, a primeira edição do evento TechCamp na África Austral, denominado “Machamba de Tecnologia – Para uma Geração Inovadora” [en]. TechCamp é uma série de sessões em que as Organizações da Sociedade Civil (OSCs) têm a oportunidade de aprender a fazer uso das tecnologias com vista a alcançar as soluções para os seus problemas.

O evento juntou líderes de OSCs moçambicanas e especialistas de tecnologia de Moçambique (como a plataforma Olho do Cidadão), Zimbabwe, Quénia, Cabo Verde, Portugal, Suécia e Índia. As OSCs puderam apresentar os desafios enfrentados em suas áreas de actuação e os especialistas apresentaram uma série de ferramentas tecnológicas que servissem de solução para esses desafios.

Pritam Kabe, um dos membros da organização do evento, partilhou no Twitter alguns momentos do evento:

OSCs e especialistas em tecnologia buscando soluções tecnológicas para problemas locais – dia 2 do #techcamp em Moçambique

Os principais desafios apresentados pelas OSCs foram:

Participante apresentando soluções encontradas no #TechCamp para os desafios da sua OSC

Participante apresentando soluções encontradas no #TechCamp para os desafios da sua OSC

  • Como aplicar as estratégias de marketing digital para sensibilização das causas humanas;
  • Como criar grupos de OSCs da mesma categoria e facilitar a comunicação entre estes;
  • Que ferramentas e técnicas que habilitam os usuários a ganharem acesso à informação, contarem suas próprias histórias e ficarem seguros online;
  • Envolver populações que “não estão na internet”;
  • Mapeamento de eventos, o que está a acontecer e onde;
  • Uso de vídeo de baixo custo para sensibilização e engajamento;
  • Angariação de fundos através das ferramentas da tecnologia.

No último dia do evento, os participantes apresentaram as soluções para os seus desafios.