Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

“Tem boi na linha?” Aprenda a proteger as suas comunicações online

Um ano depois das primeiras revelações de Edward Snowden sobre a coleta secreta de dados de cibernautas pela Agência de Segurança Nacional Americana (NSA), foi lançado no Brasil o guia básico “Tem Boi na Linha?“:

TEM BOI NA LINHA? é um guia prático de combate à vigilância no âmbito dos movimentos sociais, destinado a grupos de ativistas, jornalistas, midialivristas ou a qualquer pessoa que precise ou deseje se proteger, e proteger suas comunicações e arquivos, da vigilância do estado e instituições privadas. 

"Tem Boi na Linha?" está licenciado sob Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.

Infografia: ameaças e riscos ao navegar na internet. “Tem Boi na Linha?” está licenciado sob Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional.

O nome parte de uma expressão popular usada no país quando há intrusão no meio de uma comunicação. A iniciativa surge em vésperas do dia 5 de junho de 2014, data de lançamento da campanha global #ResetTheNet de combate à vigilância na internet.

Disponível numa só página e em português, o guia “Tem boi na linha?” começa por enumerar ameaças e riscos ao navegar na internet, ilustrando o percurso das comunicações e algumas brechas onde pode haver intercepção de mensagens (como mostra a infografia ao lado direito). 

Depois passa para as dicas práticas, explicando de forma simples, clara e direta algumas ferramentas e táticas de auto-defesa que podem ser adotadas. Entre elas, a utilização de senhas fortes, a navegação anónima e criptografada, e como apagar vestígios de ficheiros no computador.

Para garantir a privacidade e segurança no envio e recepção de mensagens de emailchat, através do computador e de dispositivos móveis (como o telemóvel/celular), existem diversos serviços e aplicações disponíveis gratuitamente que são apontados no guia, bem como algumas plataformas seguras para a criação de blogs e sites,

[garantindo] que suas ações não serão monitoradas, seus dados não serão disponibilizados para grupos com interesses escusos, além de permitir, em alguns casos, que tudo seja feito de forma anônima.

Em relação à utilização das redes sociais, “Tem boi na linha?” dá três dicas “para diminuir os riscos de coleta de informações que você considere importantes e privadas”:

Não utilizar o perfil pessoal para articular ações, criar eventos, publicar informações sensíveis, trocar ideias e documentos ou fazer qualquer movimento (mesmo via mensagens privadas) que possa ser usado contra você.

Não utilizar o perfil pessoal para administrar páginas ativistas no Facebook.

Usar o Tor sempre que acessar redes sociais para ações ativistas.

O guia foi realizado pelo Centro de Mídia Independente do Rio de Janeiro (CMI-Rio) e gaivotas, a partir de um Laboratório tático contra repressão (Contralab) organizado pela NUVEM – Estação Rural de Arte e Tecnologia.

 

  • Thiana

    Adorei o projeto! Uma forma divertida e criativa de lidar com um assunto sério.