Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Post no Facebook criticando a ocupação da Crimea causa demissão de jornalista russo

Um soldado "não-identificado" defende esse gato que fala russo. "Obrigado pelo fato de eu não mais ser "kit"" ("gato" em ucranianoo, o homônimo "kit"" em russo significa baleia). Imagem encontrada online, autoria desconhecida.

“Um soldado “não-identificado” defende gato que fala russo. “Obrigado pelo fato de eu não mais ser “kit” (“gato” em ucraniano, o homônimo “kit” em russo significa baleia). Imagem encontrada online, autoria desconhecida.

Enquanto muito se fala sobre a aplicação de censura na internet e imprensa por parte do governo russo, o que acontece com mais frequência é, na verdade, a imposição da auto-censura em veículos de imprensa em um nível mais baixo, corporativo. No caso em questão, um jornalista foi recentemente demitido na cidade de Perm por republicar em sua página no Facebook um post – relativamente inocente, embora sarcástico – do blog de outra pessoa.

O post original foi escrito por Roman Romanenko, do distrito de Vologodsky, em 4 de março 2014. Nele, Romanenko, que também trabalha na imprensa, escreveu uma declaração irônica convocando Putin a “ocupar” a região russa de Vologodsky, a fim de proteger os direitos de moradores “falantes de russo”. Romanenko estava referindo-se, evidendemente, à suposta ocupação russa da Península da Crimeia (local cuja presença de tropas ainda é negada por oficiais russos). Ele escreveu [ru] precisamente o seguinte:

Мы тут все сплошь русскоязычные и наши права очень ущемляются. Наши больные не могут получить нужных им лекарств и лечения, уровень нашего образования падает с каждым годом […] А еще мы узнали, что вы собираетесь потратить много денег, чтобы нормализовать жизнь в Крыму. Стесняемся спросить: можно ли потратить эти деньги на нормализацию жизни в Вологодской области. А то наша область в такой долговой яме, что ни на что денег не хватает. А нам очень нужны мосты, дороги, спортивные сооружения, промышленные объекты, новые рабочие места…

Todos nós aqui falamos russo, e nossos direitos estão sendo feridos. Nossos doentes não conseguem obter os medicamentos e cuidados médicos que de necessitam, nossa educação só piora a cada ano […] Além disso, ouvimos dizer que você está planejando gastar uma grande verba para melhorar a vida dos moradores da Crimeia. Perguntamos com hesitação: será que este dinheiro não poderia ser usado para melhorar a vida na região de Vologodsky? Pois nossa região está muito endividada, não temos dinheiro para nada. E precisamos de pontes, estradas, esportes, desenvolvimento industrial, novas vagas de trabalho…

Alexander Erenko, jornalista baseado em Perm, compartilhou [ru] a mensagem acima em sua parede, alterando a região de Vologodsky para a sua própria cidade. Apesar da republicação ter sido compartilhada apenas 44 vezes, em contraste com as 3.323 vezes que o post original de Romanenko foi compartilhado, a postagem aparentemente desagradou aos chefes de Erenko. O jornalista foi demitido dentro de uma hora, segundo relato da Echo de Perm [ru] (redação local da rádio Echo Moskvy [Eco de Moscou]).

Enquanto isso, Romanenko não foi o único a levantar a questão da incongruência entre a forma como Moscou aparenta tratar os cidadãos da Crimeia e a forma como trata seus próprios cidadãos, em casa. O tweet a seguir, da blogueira Irina Petrova, foi compartilhado quase mil vezes, inclusive pelo líder da oposição Alexey Navalny (ainda que ele esteja atualmente sob prisão domiciliar e tecnicamente incomunicável):

O governador da região de Moscou reservará 40 milhões de rublos do orçamento regional para restaurar um hospital na Crimea. Loucura!! Será que ele já visitou os hospitais de Moscou???