Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Preso no México o homem mais procurado do mundo: El ‘Chapo’ Guzmán

"El Chapo" Guzman es transferido a un helicóptero de la Policia Federal el 22 de febrero, 2014. Foto por Omar Franco Pérez Reyes, copyright Demotix.

“El Chapo” Guzman sendo transferido de helicóptero pela Policia Federal no dia 22 de fevereiro de 2014. Foto de Omar Franco Pérez Reyes, copyright Demotix.

Na praia turística de Mazatlán, situada no estado de Sinaloa, noroeste do México, foi preso Joaquín Guzmán Loera, mais conhecido como “El Chapo”, acusado por tráfico de drogas, crime organizado e diversos homicídios.

Após a morte de Osama Bin Laden em maio de 2011, Guzmán foi posto em primeiro lugar na lista dos homens mais procurados do mundo [en]. Guzmán foi considerado também um dos homens mais poderosos do planeta pela revista Forbes [en], que o identificava como o CEO do Cartel de Sinaloa.

Guzmán já esteve em uma prisão de segurança máxima no México, no estado de Jalisco; no entando, fugiu sob circunstâncias suspeitas em 2001, durante a administração do então presidente Vicente Fox.

A Associated Press foi a primeira agência a divulgar a notícia da captura através do twitter, no sábado, 22 de fevereiro de 2014.

ÚLIMAS NOTÍCIAS: Oficial dos EUA: ‘Chapo Guzmán’, chefe do Cartel de Sinaloa, foi preso no México por autoridades mexicanas e americanas. 

A notícia foi amplamente comentada no Twitter, tanto que chegaram a fazer piada:

Não sabia que trabalhava na CIA com tantos especialistas em segurança nacional! Falando sobre a detenção do Chapo

O usuário Pablo M. Aguilar questionou a apreensão de Guzmán em relação a uma publicação polêmica da revista Time:

Curiosamente, a detenção de “El Chapo” aconteceu 2 dias antes do lançamento da revista Times em que o presidente Enrique Peña Nieto aparece com o slogan “Salvando o México”.

Por outro lado, o usuário Isaias Villa G destacou a necessidade de uma melhor investigação antes de se discutir a captura:

Mais que pôr em dúvida ou minimizar a captura de “El Chapo”, deveríamos exigir uma melhor investigação de seus vínculos no México e nos EUA.

John M. Ackerman, conhecido opositor ao governo de Enrique Peña Nieto, disse o seguinte sobre a detenção:

“El Chapo” foi o chefe do crime mais mimado por Fox e Calderón. Quem será seu substituto durante o mandato de Peña? Grande “alternância” democrática. 

O jornalista Ciro Gómez Leyva [es] se pronunciou sobre a possível participação da Força Administrativa de Narcóticos (DEA) dos Estados Unidos na prisão de Guzmán.

Nosotros, la DEA, atrapamos a El Chapo Guzmán junto con marinos mexicanos. Eso es al menos lo que podía leerse desde anoche en el New York Times, y que se acoplaría con la forma en que se fue conociendo la noticia el sábado.

Antes que cualquier funcionario, AP y el propio New York Times confirmaron, con todo y fotografía, la nota de la captura de El Chapo. ¿Quién les filtró menudo banquete? ¿El gobierno mexicano (por razones que podrían ser entendibles), o fue la DEA? La noticia oficial la dio el presidente Peña Nieto a las 13:43, con un retraso de casi tres horas respecto de los adelantos que salieron de Estados Unidos.

Nós, a DEA, prendemos o El Chapo Guzmán junto com fuzileiros mexicanos. Pelo menos era isso o que se podia ler desde ontem à noite no New York Times, e que coincide com a forma como a notícia foi divulgada no sábado.

Antes de qualquer funcionário, a Associated Press e mesmo o New York Times confirmaram, com foto e tudo, a notícia sobre a captura de El Chapo. Quem lhes deu esse grande furo? O governo mexicano (por razões bem claras) ou a DEA? O presidente Peña Nieto só se pronunciou sobre o assunto às 13:43, com um atraso de quase três horas em relação aos adiantamentos que vieram dos EUA.

A detenção de “El Chapo” Guzmán aconteceu em um contexto de fortalecimento da violência em Michoacán [es] (região dominada por grupos armados rivais do Cartel de Sinaloa) e muitos anos depois de se haver iniciado a ‘guerra’ contra o crime organizado [es], responsável pela morte de dezenas de milhares de mexicanos.

Esse foi o segundo grande chefe do crime preso durante o mandato de Enrique Peña Nieto. A anterior foi Elba Esther Gordillo, mais conhecida como la “Maestra” [es], que foi presa em fevereiro de 2013.

Tradução editada por Débora Medeiros como parte do projeto Global Voices Lingua