Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Venezuela: fotos bloqueadas no Twitter enquanto os protestos continuam

Todas as ligações apontam para sítios em inglês, excepto quando assinalado.

No dia 14 de Fevereiro, depois de dois dias de intensos protestos por todo o país, internautas venezuelanos relataram diversos problemas no acesso a algumas páginas da Internet. Foi reportado que várias páginas estavam bloqueadas e os utilizadores do Twitter não conseguiam aceder a imagens e vídeos na rede social que tem sido essencial para a comunicação entre os manifestantes. Gabriel Bastidas, jornalista venezuelano, disse no Twitter:

10:08 pm, poderão estar bloqueados na Venezuela os protolocos de multimédia do Twitter. Utilizadores relatam que não conseguem ver fotos.

O jornalista Jesús Torrivilla disse:

Eu tenho o cliente web do Twitter bloqueado. Uso ABA. Mas consegui aceder a partir do Tor.

A jornalista Laura Solórzano relatou:

O problema com as fotos no Twitter deve-se a um bloqueio dos protocolos de #media do Twitter. Está a ser feito pelo governo.

O problema com as imagens do Twitter está a acontecer apenas às pessoas com ligação CANTV. Inter e satélite estão normais.

Outros utilizadores fizeram traceroute ao servidor de imagens do Twitter e reportaram que a ligação estava interrompida pela CANTV, o fornecedor de serviços de Internet (ISP) detido pelo Estado que mantém praticamente um monopólio sobre os outros fornecedores de serviços de telecomunicações do país. Loris Santamaría, consultor de serviços de infraestruturas de rede, tuitou:

Bem, tenho o traceroute, quem nos está a bloquear é a Cantv

Outros utilizadores foram tendo dificuldades de acesso a diferentes sítios web ao longo do dia. Naky Soto, blogueira e activista venezuelana, reportou problemas em aceder à página do jornal El Nacional e juntou uma imagem de captura de ecrã:

Para muita gente as ligações do El Nacional dão este erro:

Na quinta-feira, 11 de Fevereiro, William Castillo, presidente da Comissão Nacional de Telecomunicações da Venezuela, CONATEL, declarou que a cobertura mediática dos protestos poderia resultar na violação da Lei de Responsabilidade Social na Rádio, Televisão e Meios Electrónicos. O governo venezuelano tem vindo a bloquear sítios web por diferentes razões há vários anos e no passado mês de Novembro rebentou uma onda de bloqueios, quando o Presidente Maduro anunciou medidas contra sítios web que informavam sobre o preço oficial de divisas estrangeiras. No dia 8 de Fevereiro, Castillo declarou que o governo havia bloqueado até 384 páginas por esse motivo:

CONATEL conseguiu que os operadores de Internet na Venezuela bloqueassem 384 endereços de páginas web que distribuem desinformação sobre o dólar ilegal.

Na sexta-feira continuaram os relatos isolados de problemas de acesso a outros sítios web, como Pastebin.com, Facebook e o próprio Twitter. Nessa tarde, a CANTV emitiu um comunicado [es] desmentindo categoricamente qualquer relação com o bloqueio de imagens no Twitter.