Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

11 de Fevereiro: A Internet diz “não” à vigilância em massa

Cartoon por Doaa Eladl via Flickr, Web We Want (CC BY-SA 2.0)

Cartoon por Doaa Eladl via Flickr, Web We Want (CC BY-SA 2.0)

Todas as ligações apontam para páginas em inglês, excepto quando assinalado.

A nova lei nigeriana do cibercrime poderá combater a fraude financeira – mas poderá também silenciar vozes críticas. Na Argentina, as autoridades estão a recolher dados sobre o ADN dos cidadãos, leituras biométricas da íris e a sua maneira de andar. Activistas na Tunísia temem que a nova Agência Técnica das Telecomunicações possa inaugurar uma nova era de vigilância em massa.

Não há dúvida: a vigilância governamental em massa é um problema global.

No dia 11 de Fevereiro, cidadãos individuais, associações da sociedade civil e milhares de sítios web irão em conjunto tomar uma posição contra a vigilância em larga escala. Qualquer pessoa em qualquer lado pode participar – seja nas ruas ou na Internet.

Os programas de vigilância em massa violam o nosso direito à privacidade e infringem o nosso direito à liberdade de expressão e de associação. Prejudicam a liberdade e abertura da Internet global e vão contra os valores democráticos. Os documentos revelados por Edward Snowden no passado mês de Junho denunciaram dezenas de programas de recolha ampla de dados de vigilância e lançaram ondas de choque por todo o mundo.

Mas, para além de denunciarem algumas das mais gritantes violações de privacidade do governo dos Estados Unidos, as revelações de Snowden também trouxeram nova energia aos debates sobre vigilância e privacidade que acontecem um pouco por todo o mundo, como os que acima foram mencionados.

Algumas formas de participar:

ADERIR AO PROTESTO

Em países por todo o mundo existem grupos a organizar manifestações, hackathons e campanhas online. Aqui ficam alguns:

Argentina • Austrália • Áustria • Brasil • Canadá • Colômbia • Alemanha • França

Índia • México • Países BaixosPerú • PolóniaSérviaTailândiaUganda

Reino UnidoEstados Unidos

O seu país não faz parte da lista? Pode criar a sua própria campanha com os materiais aqui e nas páginas associadas. Leia os artigos da comunidade Global Voices sobre vigilância em todo o mundo na nossa página sobre o tema.

MOSTRAR APOIO

Seja solidário com a campanha de 11 de Fevereiro! Coloque um banner na sua página web. Partilhe a mensagem – ou um cartoon engraçado (como os que vê aqui) – nas redes sociais.

Banner por Alec Perkins via Wikimedia Commons, (CC BY-4.0)

Banner “O dia em que contra-atacamos”, por Alec Perkins via Wikimedia Commons, (CC BY-4.0)

Screen shot 2014-02-09 at 10.05.22 PM

Cartoon por Xpectro via Flickr, Web We Want (CC BY-SA 2.0)

Cartoon por Xpectro via Flickr, Web We Want (CC BY-SA 2.0)

Cartoon por Doaa Eladl, Web We Want via Flickr (CC BY-SA 2.0)

Cartoon por Doaa Eladl & Web We Want via Flickr (CC BY-SA 2.0)

DIGA “SIM” AOS PRINCÍPIOS GLOBAIS SOBRE VIGILÂNCIA DE COMUNICAÇÕES

Adira aos Treze Princípios sobre vigilância nas comunicações internacionais, desenvolvidos por especialistas em direitos humanos de todo o mundo. Estes princípios são a espinha dorsal dos esforços desenvolvidos pela sociedade civil para proteger o direito à privacidade do cidadão digital: um conjunto de linhas claras de actuação que estabelecem as obrigações dos governos em matéria de direitos humanos, no que respeita à vigilância.

 Leia e subscreva os princípios em qualquer uma das seguintes línguas:

Русский • Español • Hrvatski • Македонски • Shqip • Polski • Čeština • Svenska • Nederlands

Français • English • हिन्दी •  العربية • Italiano • Ελληνικά • Română • Slovenčina • Eesti • Slovenščina • Dansk

Magyar • Suomi • Deutsch • فارسی • Български • Latviešu • Lietuvių • Português • Quechua

繁體中文 • Tiếng Việt • 한국어 • Українська • ภาษาไทย • اردو

Mostre o seu apoio a estes princípios com um banner ou emblema.