Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Fábrica de Mídia: Um acelerador de notícias para a América Latina

Media Factory

No presente contexto de mudança, há muitas propostas que nos falam acerca de várias maneiras de lançar meios de comunicação deste século. Neste aspecto, encontramos abordagens como Media Factory (Fábrica de Mídia) [es], uma “fábrica de meios de comunicação”, como eles próprios se definem – em outras palavras, um acelerador para novas empresas digitais, focado exclusivamente na criação de meios de comunicação na América Latina.

Como explicam na sua página da internet [es], a sua “rede de mentores e investidores” é que lhes permite patrocinar uma pequena equipa de jornalistas, na qual investem 75 mil dólares por empresa e esperam um retorno de 17%. Inicialmente essas mídias digitais têm uma temática específica:

Vamos a crear medios de comunicación digitales inicialmente enfocados en política y economía para luego crecer hacia otras temáticas, con ambición de convertirlos en plataformas digitales dominantes.

Vamos criar meios de comunicação digitais inicialmente focados em política e economia para mais tarde incorporar outros temas, com a meta de convertê-los em plataformas digitais dominantes.

Mariano Blejman, sócio-gerente na Fábrica de Mídia e bolseiro da Knight no ICFJ (Centro Internacional Para Jornalistas) explicou [en] os passos a serem levados em cada projecto escolhido:

Vamos a elegir equipos de diversos países para que vengan a Buenos Aires por un periodo de cuatro meses y puedan crear los medios desde cero. La apuesta es a que en un período corto de tiempo los medios puedan crecer y generar audiencias reales y de tráfico y, con el conocimiento de los “lectores”, pasar a la monetización y las segundas rondas de inversión.

Vamos escolher equipas de vários países para que venham a Buenos Aires por um período de quatro meses e possam criar meios de comunicação a partir da base. Apostamos que, num curto espaço de tempo, os meios podem crescer e gerar audiências reais e tráfego, e, com o conhecimento dos “leitores”, passar à monetização e às segundas rodadas de investimento.

Para iniciar este projeto a ser lançado em Buenos Aires em janeiro de 2014 e concretizar novas formas de financiamento de meios de comunicação, rodearam-se com uma equipa de peritos, incluindo, entre outros: Sasa Vucinic, da plataforma de “crowdfunding” (financiamento colectivo) IndieVoic.es, que procura encontrar novas formas de financiar o jornalismo; James Breiner, estudante de modelos de negócios ligados ao ICFJ [en]; Christopher Altcheck, CEO da PolicyMic [en], um meio de comunicação dirigido à geração pós-internet; e Jim Frederick [en], editor da revista Time na Time Inc.

Artigo de Paula Gonzalo publicado originalmente em Periodismo Ciudadano (Jornalismo Cidadão).