Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

China: Favor não rotular o povo uigur de terrorista

Please don't put terrorist label on Uyghur people. Image from Flickr user @Todenhoff under CC: AT-SA

Por favor, não nos rotule como terroristas. Image from Flickr user @Todenhoff under CC: AT-SA

Os uigures estão cada vez mais associados ao termo “terrorista” na China, à medida em que há uma tendência por parte das autoridades locais e dos meios de comunicação de associar incidentes violentos causados por conflitos sociais em regiões fronteiriças a conflitos étnicos relacionados a movimentos separatistas. Esse estereótipo tem transformado crimes individuais aleatórios em responsabilidade coletiva de uma minoria étnica, resultando na rotulação de seus membros como suspeitos de terrorismo.

O último caso oficialmente definido como “terrorista” aconteceu no dia 16 de novembro de 2013 [en] no município de Xinjian Bachu. Onze pessoas foram mortas em uma delegacia, duas eram policiais locais e as outras nove eram uigures muçulmanos de Xinjian Bachu.

As autoridades locais do município rapidamente definiram o incidente como um violento ataque terrorista, e afirmaram que a estabilidade só foi efetivamente restaurada após a morte dos nove uigures. No entanto, segundo informações da Rádio Free Asia, as pessoas que cercaram a delegacia tentaram capturar vivos os jovens supostos terroristas, enquanto os policiais escolheram matá-los. Como não há testemunhas vivas além da polícia, a população se pergunta o que realmente aconteceu dentro daquela delegacia.

Hu Ping, dissidente chinês, propõe algumas questões sobre o incidente:

Qual é a natureza do incidente de 16 de novembro? Não me parece um ataque de guerrilha, já que não havia um plano de fuga. Sendo que os machados e facas usados como armas foram tão ineficientes para lutar contra os policiais, também não parece um ataque suicida. Bem, a natureza do ataque é bem clara. @IIham_Tohti

Em resposta a Hu Ping, o professor universitário uigur IIham Tohti ressaltou a necessidade de revisar a política étnica do governo chinês:

@HuPing1 O que aconteceu lá? Qual é a verdade? Só gente louca acreditaria que eram terroristas. Incidentes parecidos já aconteceram muitas vezes e nada foi feito a respeito. Você acha que nove pessoas entraram naquela delegacia procurando a morte? As autoridades não conseguem achar uma forma de impedir que isso aconteça novamente. Até agora, não pararam para pensar no problema da política étnica.

Alguns meses atrás, em abril, um conflito étnico [en] similar aconteceu na mesma delegacia e a violência deixou 21 mortos, incluindo 15 policiais e oficiais do governo. Esse acontecimento também foi definido como ataque terrorista.

No contexto do estabelecimento de um Comitê de Alta Segurança Nacional (NSC), muitos acreditam que as minorias étnicas em regiões fronteiriças se tornariam alvo de ações anti-terroristas. Por exemplo, Kai Lei, jornalista que trabalha para o Wenhui Bao, jornal favorável ao governo chinês, solicitou ao NSC a adoção de uma política mais severa em distritos como Bachu.

【当铲除巴楚等恐怖事件土壤】成立国安委,边疆事务当占重要地位,当高效应对、打击边疆恐怖、分裂势力。当严防、严打、铲除巴楚等既往发生恐怖事件地的土壤。

O estabelecimento do NSC é de extrema importância para o controle da segurança nas fronteiras. É preciso reprimir mais efetivamente os terroristas e movimentos separatistas nas áreas fronteiriças, e adotar políticas de repressão mais severas, como em Xinjian Bach, para evitar que esses ataques terroristas aconteçam novamente.

O conceito de ataque terrorista é altamente problemático na China, como destaca “Little Grandfather Aike”, escritor anônimo do Uighurbiz.net. Ele compara [ch] dois grupos de incidentes ocorridos em 2013 para demonstrar o conceito arbitrário de “ataque terrorista violento”. O incêndio criminoso em uma estação de ônibus em Fujian no dia 07 de junho versus um acidente automobilístico [en] na Praça na Paz Celestial, Pequim, no dia 28 de outubro, e um ataque a um hospital de Chengdu no dia 25 de agosto versus o ataque à delegacia de Bachu em 16 de novembro.

O incêndio em Fujian deixou 47 mortos e 34 feridos, e a polícia definiu o caso como um crime cometido por uma pessoa furiosa e desesperada. O caso de Pequim, que resultou em 5 mortos e 37 feridos, foi chamado de ataque terrorista planejado. Entre os mortos, haviam 3 uigures.

O autor destacou que a definição da natureza dos crimes tem provocado diferentes reações em relação aos criminosos, o primeiro caso é visto como um simples ato de insanidade, e o segundo como um ato terroristas baseado em questões étnicas:

因为新闻媒体和司法机关的定性不同让数千万维吾尔族一起背上了恐怖分子的名声,作为中国人来说大家觉得公平吗?[…] 全中国现在一说到新疆不是谈虎色变而是嗤之以鼻,总体评论就是:杀光他们,赶出去、杀几个就老实了,忘恩负义等词汇,我想说的是媒体你们有没有良心?你们的操守去了哪里?你们对全国中国人民的误导难道不是犯罪?

Por causa da definição que a mídia e o governo têm dado a esses crimes, milhões de uigures estão recebendo um crachá de terrorista. Se todos nós somos chineses, você acha que isso é justo? […] Agora em todo o país, toda vez que alguém fala em Xinjiang, as pessoas mudam o tom de voz. Em resumo, dizem: Mate-os, expulse-os! Não passam de um bando de gente ingrata. Onde está a consciência e a ética dos meios de comunicação? Será que esse “rótulo” não constitui também um crime?

Comparando o ataque em Chendgu ao ataque em Bachu, apesar de o primeiro ter sido bem planejado e especificamente contra funcionários do hospital, o incidente que resultou em 5 mortos e 11 feridos foi definido como “ato individual qualquer” enquanto o caso de Bach foi considerado um ato terrorista e os 9 supostos terroristas foram mortos no local.

这个大家可以轻描淡写的带过并没有扯到民族、暴徒等词汇,为什么新疆这么特殊?为什么维吾尔族这么特殊?西部大开发四川也是受益城市之一,大家并没有说什么四川同胞也坐享其成、好吃懒做还尽惹事添乱

[no caso de Chengdu] Como é que não há nenhuma referência a etnia nem o rótulo de malfeitor? Por que os casos que acontecem em Xinjiang recebem tratamento especial? Será que os uigures desfrutam desse tratamento especial? A província de Sichuan também é beneficiada pelo Projeto de Desenvolvimento do Oeste [en] mas as pessoas não são vistas como beneficiárias ingratas da política nacional, que não serve para nada além de criar caos.

Ele ainda conclama as autoridades a refletirem sobre a questão étnica, ajudando as minorias a estabelecerem uma imagem positiva dos grupos étnicos:

中国是一个多民族国家,你要先树立一个健康的民族形象,传播正确的民族文化和信仰,你才能真正意义的代表一个国家,所以我是一名维吾尔族,一个穆斯林,一名中国人,新疆正能量我传播,我为维吾尔族代言,我不是暴徒,我是中国人!

A China é um país multiétnico. Para que o Estado estabeleça sua legitimidade, é necessário ajudar os grupos étnicos a estabelecerem credos e culturas étnicas positivas e saudáveis. Eu sou uigur, muçulmano e chinês. Eu espalho uma imagem positiva de Xinjiang quando falo do povo uigur. Não sou malfeitor, sou chinês.