Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Future Places: tecnologias para a emancipação da cidadania

Future Places - Media Lab for Citizenship

Future Places: Laboratório de mídia para a cidadania. Website: futureplaces.org | Facebook | Twitter: @futureplacespt

Future Places, um festival dedicado aos meios digitais que se assume e estende, nesta sexta edição, enquanto laboratório de cidadania. Os “lugares do futuro” acontecem no Porto de 28 de Outubro a 2 de Novembro de 2013. 

“Um festival sem audiência, em que todos os presentes participam e descobrem em directo formas de colaborar”, explicou o curador Heitor Alvelos numa inspiradora nota de encerramento da edição de 2012, na qual recordou “o mote de sempre”, desde 2008, “as tecnologias são potenciais ferramentas de emancipação dos cidadãos”:

não subscrevemos o paradigma que está por detrás da instantaneidade vertiginosa e auto-referente dos gadgets digitais. Queremos usá-los, sim, mas recusamos a amnésia que muitas vezes transportam e induzem. Queremos simultaneamente honrar uma herança histórica, analógica, que atribui sentido e explica o que somos hoje; queremos cultivar a determinação que permite revoluções lentas, mudanças de paradigma a longo prazo; e participando em actos de contestação ao que é socialmente injusto, queremos simultaneamente propor. 

Durante uma semana as portas estarão abertas para debates, performances, concertos e outras práticas com a participação de artistas, criadores, investigadores e académicos da área dos novos media. Uma série de “citizen labs” proporcionará oficinas de stopmotion, música, jogos, fotografia e mais. 

  • Miguel Fernandes

    Es un evento con mucha pompa y circunstancia. Pero no es nada más que tomar la ocasión para hacer un evento lleno de pompa, cuando se tienen problemas como cáncer de becas de doctorado que van a ser publicados desde febrero y hasta ahora, nada! Es el estado crónico de estas instituciones (Austin y FCT-Portugal) ni siquiera dar una excusa ante tal escenario, la referencia es siempre el silencio!