- Global Voices em Português - https://pt.globalvoices.org -

“Com vandalismo”: documentário mostra lado das ruas nos protestos do Brasil

Categorias: América Latina, Brasil, Ativismo Digital, Filme, Mídia Cidadã, Política, Protesto

Este post faz parte da nossa cobertura especial Revolta do Vinagre [1]

Entre os manifestantes de todas as idades e classes sociais que saíram para as ruas de Fortaleza, no Ceará, durante os protestos que tomaram o Brasil de assalto nos últimos meses, estavam quatro jornalistas documentando tudo com suas câmeras na mão. O resultado se tornou o documentário independente “Com vandalismo”, com assinatura do Coletivo Nigéria [2].

A crise de credibilidade da mídia tradicional junto aos manifestantes, fez com que a narrativa da mídia de massa fosse obrigada a abrir espaço para a “massa de mídias” [3]. Junto com as transmissões ao vivo da Mídia Ninja [4], os vídeos que documentaram ações ao vivo, se tornaram a linguagem oficial das ruas de norte a sul. Porém, poucos foram capazes de sintetizar o espírito diverso dos protestos como “Com vandalismo”.

Cartaz do documentário Com Vandalismo na página de Facebook do Coletivo Nigéria. [5]

Cartaz do documentário Com Vandalismo na página de Facebook do Coletivo Nigéria.

Através de imagens pouco editadas e com grandes sequências, o filme aborda o discurso da mídia tradicional, que dividiu os manifestantes entre pacifistas e vândalos, e vai na contramão, retratando as causas das ações mais do que as consequências. O desafio lançado logo de início é “qual a motivação para a desobediência civil?”.

Apesar de ilustrar somente fatos ocorridos em Fortaleza entre os meses de junho e julho, o documentário serve como retrato do panorama geral sobre os protestos em todo o Brasil. O filme acompanha a evolução das manifestações, que começaram em protesto pelo atraso na entrega das carteiras estudantis, e logo evoluíram para reivindicações maiores ligadas a educação, saúde pública e política. Assim como em outros lugares, quanto mais adesão ganhavam, mais confusas e divididas as manifestações se tornavam.

Enquanto a imprensa e a polícia apontam vândalos, os cineastas contrapõe um dos gritos comuns dos manifestantes, de que “vândalo é o Estado”, levantando questões como as desapropriações em prol de obras para a copa do mundo, violência por parte da polícia militar, entre outras.

Para a Agência Pública [6], que já produziu trabalhos em parceria [7] com o grupo, o filme [8] é:

Um relato/reflexão realizado no calor da hora, em que a cronologia dos fatos, a variedade de ângulos e de entrevistados, e a sobriedade dos jornalistas, contribuem para criar um panorama completo das manifestações em Fortaleza, revelador para os que buscam compreender quem é e o que deseja essa juventude que está nas ruas das capitais brasileiras.

Assista, “Com Vandalismo”, aqui: