Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Video-game: Zaytoun, o pequeno refugiado sírio-palestino

Este post foi publicado originalmente em Syria Untold e traduzido por Global Voices Arabic.

Zaytoun, o pequeno refugiado sírio-palestino, é o personagem principal de um videogame criado por um grupo de ativistas sírios, palestinos e espanhóis.

Através dos obstáculos que o Zaytoun confronta, as escolhas que ele faz e as pessoas que ele conhece, os jogadores deste video-game podem obter uma compreensão do contexto tanto na Palestina quanto na Síria e a situação atual de seu povo. O projeto inclui um site [en] com um arquivo que irá recolher informações sobre os campos diferentes de refugiados palestinos na Síria e no Líbano, a história da revolução da Síria e relatórios sobre os direitos humanos na região. Os criadores pedem a colaboração de todos para completar o trabalho.
Aqui está uma pré-estréia de cinco minutos do projeto:

O video-game compartilha a história do Zaytoun, o menino refugiado, que foi forçado a fugir após o regime sírio destruir sua casa no campo de refugiados de Yarmouk e matar muitos de seus amigos sírios. Em seu caminho fora do campo, os jogadores irão compartilhar sua viagem, os amigos que ele vai conhecer e as histórias que ele vai experimentar. Com a ajuda de documentos e mapas do estado das estradas, cidades, ruas e hospitais na Síria, ele vai tomar decisões sobre onde ir e como interagir com as pessoas que encontra. Se ele chega os locais determinados ou não, vai depender da sua capacidade de responder a perguntas sobre a história da Síria e da Palestina.

Zaytoun and his little Syrian brother

Zaytoun e seu irmão sírio mais novo. Fonte: o site de “Zaytoun, de fronteira a fronteira” [en]

A história de Zaytoun é a história de muitos palestinos [en] que deixaram sua terra na palestina depois da ocupação israelense e se estabeleceram na Síria, onde o Yarmouk e outros campos tornaram-se suas casas. Durante o início da revolta, o Yarmouk tornou-se um espaço acolhedor para quem fugia de outras áreas de Damasco, onde o regime reprimiu os manifestantes, e prendeu, torturou e matou ativistas. Solidariedade com a revolução e os que sofrem perseguição surgiu dentro do campo, o que, no final, levou a que fosse bombardeado por forças do regime.

Nas palavras de Mokha, um designer sírio-palestino, a revolução síria reconciliou muitos palestinos com sua identidade síria.

“We are not only Palestinians, we are also Syrians and we suffer what Syrians suffer. For many years I wondered why Syrians did not rise against their tyrants, and now that they have, I feel proud of my Syrian people, just like I do of my Palestinian people.”

“Nós não somos apenas os palestinos, também estamos sírios e sofremos o que os sírios sofrem. Por muitos anos eu me perguntei por que os sírios não se revoltavam contra seus tiranos, e agora que eles têm se revoltado, eu me sinto orgulhoso de meu povo sírio, assim como eu faço do meu povo palestino”.

zaytoun-poster-2

Zaytoun, o pequeno refugiado sírio-palestino. Fonte: site “Zaytoun, de fronteira a fronteira”

De acordo com o fotógrafo sírio, Huss:

“It is important to understand that the Palestinian and the Syrian struggle go hand in hand and are equally legitimate. Both peoples have been oppressed and are fighting for freedom, justice and dignity. Supporting the right of Palestinians to self-determination and freedom while justifying crimes committed by Assad is a sign of either ignorance or dogmatism.”

É importante entender que os Palestinos e sírios lutam juntos e suas causas são igualmente legítimas. Ambos os povos têm sido oprimidos e estão lutando por liberdade, justiça e dignidade. Apoiar o direito dos palestinos à auto-determinação e liberdade enquanto se justifica crimes cometidos por Assad é um sinal de ignorância ou dogmatismo.

Nas palavras de Sara Carrasco, da Espanha:

I support the right of every people to self-determination and autonomy, in every form. Both Syrians and Palestinians live under a monopoly of power directly connected to colonial and tyrannical interests. I am also concerned about our little knowledge of the struggles of our neighbors. In order to understand our own struggles in Spain and Europe, we need to be aware of those happening in the rest of the world. The image of Arabs and the Middle East and North Africa as a whole has been misrepresented by our media, and is it important to create alternative channels and projects to challenge such misrepresentations.”

Eu apoio o direito de todos os povos à auto-determinação e autonomia, em todas as formas. Tanto sírios quanto palestinos vivem sob o monopólio do poder diretamente ligado aos interesses coloniais e tirânicos. Também estou preocupada com o nosso pouco conhecimento das lutas dos nossos vizinhos. Para entender as nossas próprias lutas na Espanha e na Europa, é preciso estar ciente dos acontecimentos no resto do mundo. A imagem dos árabes e do Oriente Médio e Norte da África tem sido mal representada por nossa mídia, e é importante criar canais e projetos alternativos para desafiar tais deturpações.

Este post foi publicado originalmente em Syria Untold e traduzido por Global Voices Arabic.