Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Turquia: Cronologia do #OccupyGezi nas redes sociais

Este artigo foi publicado originalmente no blogue do autor, Azadolu [en/tr].

No dia 10 de Abril de 2013, uma hashtag na “twittosfera” turca proclamava #ayagakalk (“levanta-te”). O apelo veio de um pequeno grupo de activistas que tentava preservar o parque existente na Praça Taksim, Parque Gezi, contra o projecto de construção de um centro comercial na zona. Ninguém esperava que este pequeno incidente se viesse a tornar no maior protesto na história republicana do país. Nas palavras do utilizador do Twitter Ezgi Medran [tr], que no dia 10 de Abril tentava recolher assinaturas para o protesto inicial, marcado para 13 de Abril:

@egedenizz Taksim Gezi Parkı'nı kurtarmak için, imzalarınızı bekliyoruz! http://taksimicinayagakalk.com/ #ayagakalk@ayagakalktaksim aracılığıyla

@egedenizz Precisamos das vossas assinaturas para salvar o Parque Taksim Gezi! http://taksimicinayagakalk.com/ #ayagakalk @ayagakalktaksim

Os protestos começaram como festival no dia 13 de Abril. O activista ambiental Barış Gençer Baykan [tr] escreveu:

@yesilgundem Taksim Gezi Parkı'na binlerce kişi sahip çıkıyor #ayagakalk @ayagakalktaksim pic.twitter.com/X6dek5HvnG

@yesilgundem Milhares estão a proteger o Parque Taksim Gezi #ayagakalk @ayagakalktaksim pic.twitter.com/X6dek5HvnG

Milhares de pessoas reunidas no Parque Taksim Gezi. Imagem partilhada no Twitter por @yesilgundem

Milhares de pessoas reunidas no Parque Taksim Gezi. Imagem partilhada no Twitter por @yesilgundem

Na altura, não se tinham registado ainda quaisquer confrontos entre as forças de segurança e os manifestantes. No dia 27 de Maio teve lugar outro protesto pelos mesmos motivos. Dessa vez, alguns activistas ocuparam o Parque Gezi para bloquear os trabalhadores da construção. A equipa 140journs [tr] partilhou uma imagem dos activistas com estas palavras:

@140journs Taksim Gezi Parkında dün gece başlatılan yıkım çalışmalarına karşın geceden itibaren nöbet tutuluyor. #ayagakalkpic.twitter.com/1ZVUpkgxkX

@140journs Existem patrulhas desde ontem à noite no Parque Taksim Gezi apesar das obras de demolição. #ayagakalk pic.twitter.com/1ZVUpkgxkX

Manifestantes acampam no Parque Gezi. Fotografia: @140journos

Manifestantes acampam no Parque Gezi. Fotografia: @140journos

A situação começou a ficar descontrolada depois de dois incidentes que se tornaram virais nas redes sociais. O primeiro foi a imagem de uma manifestante desarmada atacada com gás lacrimogéneo pela polícia, tirada por Osman Orsal, fotógrafo da agência Reuters. Mais tarde, numa operação de madrugada, a polícia incendiou as tendas dos activistas. O incidente ficou registado no YouTube.

A popular hashtag transformou-se em #direngeziparki (“resiste Parque Gezi”) e seguiu-se um crescente apoio aos protestos. O actor turco Memet Ali Alabora estava no parque e foi uma das primeiras celebridades a aderir activamente à resistência. Na sua conta do Twitter [tr], afirmou:

@memetalialabora Mesele sadece Gezi Parkı değil arkadaş, sen hâlâ anlamadın mı? Hadi gel. #direngeziparkı

@memetalialabora Isto não é apenas sobre o Parque Gezi, meu amigo, ainda não percebes? Vem, vamos embora. #direngeziparkı

A polícia começou a atacar os manifestantes com gás lacrimogéneo e canhões de água. A quantidade de gás usada foi excessiva. Testemunhas no local relataram que a polícia fazia pontaria aos corpos dos manifestantes quando atirava os cartuchos de gás. No Twitter, o utilizador Alper Orakci [tr] partilhou a quantidade incrível de cartuchos de gás lacrimogéneo na Istiklal Caddesi, a maior rua da Praça Taksim:

@alperorakci Gaz bombasi kapsulleri!!! pic.twitter.com/pEmVk9ZBcY

@alperorakci Cartuchos de gás lacrimogéneo! pic.twitter.com/pEmVk9ZBcY

Quantidade excessiva de gás lacrimogéneo usado para dispersar os manifestantes. Fotografia partilhada no Twitter por @alperorakci

Quantidade excessiva de gás lacrimogéneo usado para dispersar os manifestantes. Fotografia partilhada no Twitter por @alperorakci

Osman Orsal, o fotógrafo da Reuters que tirou a fotografia emblemática da manifestante vestida de vermelho, foi ferido por um cartucho de gás. Benjamin Harvey [en], chefe de delegação da agência Bloomberg na Turquia, escreveu:

@BenjaminHarvey Osman Orsal, photographer. This is a photo he took in Istanbul yday: http://bit.ly/11GaGa1  This is him today: pic.twitter.com/8aU1vRZGjX

@BenjaminHarvey Osman Orsal, fotógrafo. Esta é uma das fotografias que tirou ontem em Istambul: http://bit.ly/11GaGa1 Este é ele, hoje: pic.twitter.com/8aU1vRZGjX

Osman Orsal ferido por um cartucho de gás lacrimogéneo.

Osman Orsal ferido por um cartucho de gás lacrimogéneo.
Fonte: pic.twitter.com/8aU1vRZGjX

Benjamin Harvey [en] exasperou-se com a CNN-Turquia por exibir um documentário sobre pinguins durante os confrontos:

@BenjaminHarvey Seriously, CNN-Turk is airing a show on penguins.

@BenjaminHarvey A sério, a CNN-Turquia está a exibir um programa sobre pinguins.

Os apoiantes do AKP (Partido da Justiça e do Desenvolvimento), o partido do governo na Turquia, culparam os manifestantes pelos confrontos, comentando no Twitter com a hashtag #oyunagelmeturkiyem (“não te deixes enganar, Turquia”). O utilizador Canan Kumas [en] escreveu:

@Canan_Hasret Tayyip has done nothing but help the country grow over the past years and now they want him impeached over a park #oyunagelmetuerkiyem

@Canan_Hasret Tayyip não tem feito outra coisa senão ajudar o país a crescer nos últimos anos e agora querem destituí-lo por causa de um parque #oyunagelmetuerkiyem

Refutando comparações entre a Turquia e a Primavera Árabe, outro utilizador, Bunyamin Hakimoglu [en], disse:

@Benj_Kobsch Don't imagine a spring in Turkey. The government is elected with a democratic election. Be aware of the difference! #OyunaGelmeTürkiyem

@Benj_Kobsch Não imaginem uma Primavera na Turquia. O governo é eleito com uma eleição democrática. Percebam a diferença! #OyunaGelmeTürkiyem

Por outro lado, também houve algumas críticas entre os seus apoiantes. Por exemplo, Ertugrul Gunay, senador do AKP e ex-ministro da cultura e do turismo, enfureceu-se com as ferozes políticas do seu partido contra os manifestantes:

@ErtugrulGunayFethin yıldönümünde Istanbul'da AVM yapmak için 75yıllık ağaçları kesmeye kalkanlar, ne Fatih Sultan'ı anlamışlar, ne de Yaradan'ın emrini!

@ErtugrulGunay Quem tenta abater árvores de 75 anos no aniversário da conquista de Istambul para construir um centro comercial não pode entender nem o Sultão Fatih nem a ordem de Deus!

Mesmo enquanto os protestos e confrontos continuaram por todo o país, o Primeiro-Ministro Erdogan não parecia disposto a recuar. Na sua conta pessoal do Twitter [tr], afirmou:

@RT_ErdoganMuhalefetin 100 bin kişi topladığı yerde biz 1 milyon kişi toplarız ama bizim böyle bir derdimiz yok.

@RT_Erdogan Onde a oposição junta cem mil pessoas nós podemos reunir um milhão, mas não alinhamos nesse tipo de questões.

Tradução editada por Débora Medeiros como parte do projeto Global Voices Lingua

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.