Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Paquistão: Continua Vivo Saadat Hasan Manto, Escritor da Era da Partição

[Todos os links levam para página em inglês, a não ser quando informado o contrário]

Saadat Hasan Manto (1912-1955) foi um escritor de contos, dramaturgo e também tradutor da região de Punjab, na Índia. No último dia 11 de maio, o povo do subcontinente celebrou o aniversário de 100 anos de nascimento dele, destacando a importância do escritor na era da partição Índia-Paquistão. Conselhos de arte no Paquistão, além de clubes de imprensa e literários estão organizando festas para lembrar o legado e a importância dele na sociedade de hoje.

A contribuição básica de Manto para a literatura Urdu (em relação à partição) é que ele considerou a morte de milhares de hindus e muçulmanos durante a migração como um massacre da humanidade e não como de qualquer religião em particular. Ele disse:

Don't say that a hundred thousand Hindus or a hundred thousand Muslims have been massacred. Say two hundred thousand human being have been slaughtered.

Não digam que cem mil hindus ou cem mil muçulmanos foram massacrados. Digam que duzentos mil seres humanos foram assassinados.
Saadat Hasan Manto. From twitter: @siddharth426

Saadat Hasan Manto. Do twitter: @siddharth426

Esta foi a mensagem de Manto no momento em que a divisão religiosa estava em seu auge. As pessoas foram divididas – e isoladas – em diferenças religiosas e não consideraram a matança um grande crime contra a humanidade. Em tais momentos, Manto ressurgiu como um mensageiro do humanismo na literatura subcontinental. Ele escreveu dramas como ‘Toba Tek Singh’ (nome de uma aldeia na região paquistanesa de Punjab), no qual destacou as misérias da partição.

Mas seria Manto relevante hoje em dia? Sim! Ele é definitivamente relevante. A crítica dele contra os valores hipócritas da sociedade, a atitude para com os tabus sociais e ethos [ur], além das reações extravagantes nas observações em relação aos Estados Unidos, fazem dele uma lenda viva. Manto, como Zahida Hina diz com razão, era um visionário.

A composição literária de Manto pode atualmente ajudar o Paquistão a sair do abismo do fundamentalismo e do extremismo que está aumentando dia a dia. As crises políticas e culturais que o Paquistão enfrenta hoje em dia foram previstas anos atrás por Manto em seu artigo ‘Allah ka bara fazl ha’ (A benevolência de Deus é infinita).

A mídia social foi inundada com comentários sobre a vida de Manto e sua obra.

B. P. Singh elogia Manto com as seguintes palavras:

Perspicacious man, a real human being, I have acted in one of his plays in India, and truly I follow some of his writing religiously. If the mankind seriously follows his writing spirit, the world really will become a heaven! True homage and salute to a nice person ‘Manto’.

Homem perspicaz, um verdadeiro ser humano, tenho atuado em uma de suas peças na Índia, e realmente eu sigo alguns de seus escritos religiosamente. Se a humanidade seguir seriamente o espírito da escrita dele, o mundo vai se tornar realmente um paraíso! Uma verdadeira homenagem e saudação para uma pessoa do bem como “Manto”.

Alguns tweets:

@navedjaved: Remembering a prolific writer and a genius of his times, Saadat Hasan Manto on his birthday- RIP Legend!

@navedjaved: Relembrando um escritor prolífico e um gênio do seu tempo, Saadat Hasan Manto em seu aniversário – Lenda viva!

@manish0891: Its 100th birth anni.of Saadat Hasan #Manto, one of the best short story writer of the Urdu language.

@manish0891: É o 100º aniversário de nascimento de Saadat Hasan #Manto, um dos melhores escritores de contos da língua urdu.

@osamamotiwala: Saadat Hasan Manto, although you are just a memory, but some memories last forever. Shine on you crazy diamond.

@osamamotiwala: Saadat Hasan Manto, embora você seja apenas uma memória, acredito que algumas memórias duram para sempre. Brilham como diamante.

Manto nunca teve medo de expressar seus pensamentos. Ele teve que ir a tribunal por conta de seus escritos. Mas Manto só escreveu o que viu. Nazir Ahmed Minto comenta:

Manto only wrote what he SAW,…… and which those people did not want too see !

Manto só escreveu o que viu,……e o que essas pessoas não queriam ver!

Naveeda Valentina twittou:

@NaveedaV: Janam din mubarak (Happy Birthday) Saadat Hasan Manto! A man who pulled no punches indeed. *jaam chalkaoing*

@NaveedaV: janam din mubarak (Feliz Aniversário), Saadat Hasan Manto! Um homem que não conteve a verdade. *jaam chalkaoing*

Está sendo dada uma ampla cobertura para Manto nos meios de comunicação paquistaneses (em Inglês veja: DAWN, THE NEWS). Este fato é digno de louvor o suficiente para ser citado. Embora o fanatismo tenha aumentado na sociedade, a voz de Manto ainda vive.

Ahmed Shakeel também twittou:

@Ahmed_Shakeel: It is heartening to see birth centenary of short story writer in Urdu Saadat Hasan Manto finds wide coverage especially in non Urdu media.

@Ahmed_Shakeel: É animador ver que o centenário de nascimento do contista em urdu Saadat Hasan Manto teve uma ampla cobertura, especialmente na mídia não urdu.

Manto faleceu em 18 janeiro de 1955 com 43 de idade. Os pensamentos dele estarão sempre conosco. Vivek Martolia comenta:

manto sahab amar rahenge hamesha ke liye , he is alive in his stories.

Manto vai viver para sempre, ele está vivo em suas histórias.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.