Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Vídeos em Destaque: Defesa de Direitos Humanos

Esta seção almeja apresentar posts interessantes recentemente publicados no Global Voices, que exponham as variadas formas com que vídeos têm ajudado pessoas a contar histórias em todo o mundo. O leitor poderá acompanhar essa produção por regiões no nosso canal do YouTube.

Em fevereiro, diversas histórias que usam de vídeo focaram em violações de direitos humanos e os passos tomados para denunciar os abusos e tentar proteger as minorias e as comunidades desfavorecidas. Clique nas histórias para ver mais vídeos e saber mais sobre cada caso.

O direito à vida e à não-discriminação

Guatemala: Manifesto sobre o Genocídio de Mulheres Indígenas

Graças a ativistas, as cortes internacionais que julgam casos de genocídio contra a Guatemala vão levar em conta a violência perpetrada contra mulheres indígenas por 36 anos, em que foram vítimas porque eram mulheres e porque eram indígenas.

Um documentário [en, es] e variados depoimentos recontam suas angustiantes histórias, histórias que, por causa da discriminação sofrida por suas vítimas em suas comunidades e pelo medo de represália, foram mantidas em silêncio por décadas.

Lutando pela diversidade sexual

Uganda: O Projeto de Lei Anti-Gay Está de Volta

O mesmo projeto de lei que foi apresentado em 2009 está de volta na Uganda:

Uganda has again re-tabled the controversial anti-gay bill. Ugandan member of parliament, David Bahati, who proposed the bill back in 2009 has again considered tabling the draconian bill but with changes. He claims to have dropped the death penalty and jailing of family members who fail to report homosexuals to the authorities.

A Uganda desengavetou novamente o controverso projeto de lei anti-gay. O membro do Parlamento ugandense David Bahati, que propôs o projeto em 2009, estuda lançar novamente esta lei draconiana, mas com algumas mudanças. Ele alega haver desistido da pena de morte e da prisão para familiares que não reportarem homossexuais às autoridades.

No entanto, sob maiores críticas, percebeu-se que nenhuma modificação foi feitaa e que o projeto de lei permanece o mesmo que o apresentado em 2009. O vídeo a seguir [en] explica o impacto que o projeto de lei terá na comunidade LGBT, assim como em suas famílias e amigos:

Hong Kong: Vídeos Contra Bullying Homofóbico em Escolas [en]

Em Hong Kong, estudantes admitem que estudantes homossexuais são intimidados e discriminados, então uma organização encabeçou uma campanha de conscientização sobre a questão, focando na produção de vídeos online de entrevistas com estudantes de diversas orientações sexuais e especialistas no assunto.

O direito à educação

Espanha: Carga Policial Violenta Sobre Estudantes em Valencia

e

Espanha: Repressão Contra Estudantes de Valência Continua

Em Valência, estudantes decidiram protestar contra cortes de orçamento que afetaram suas escolas, forçando-os a levar consigo cobertores pela falta de aquecimento, durante um inverno particularmente frio na Europa. A polícia reagiu violentamente aos protestos, com estudantes sendo feridos e detidos; muitos vídeos foram produzidos, a expor os abusos contra adolescentes, mulheres e idosos.

Just a few days after the brutal police crackdown at the Luis Vives Institute of Secondary Education in Valencia [es], students have again been the target of beatings, pushing and violence from the police at a pacific protest in which they were, precisely, demonstrating against police violence. This time,the crackdown started on the afternoon with unexpected force.

Poucos dias depois da carga policial violenta no Instituto de Educação Secundária Luis Vives, em Valência, os estudantes voltam a ser alvo de espancamento, empurrões e violência por parte da polícia num protesto pacífico no qual estavam a manifestar-se precisamente contra a violência policial. Desta vez, a repressão começou durante a tarde [es] com força inesperada.

O direito à moradia

https://pt.globalvoicesonline.org/2012/02/21/brasil-quilombo-rio-dos-macacos-em-vias-de-expulsao/

Uma das comunidades mais antigas de descendentes de escravos no Brasil, o Quilombo Rio dos Macacos, onde moram e vivem cerca de 50 famílias, tem data marcada para a sua expulsão: 4 de março de 2012. A reivindicação das terras é feita pela Marinha do Brasil, que pretende expandir um condomínio para os seus oficiais naquele território da região limítrofe entre Salvador e Simões Filho, no estado da Bahia.

Descendentes de povos originários de África que durante o colonialismo foram levados das suas terras para se tornarem escravos no Brasil, os quilombolas vêem-se agora ameaçados a perder de novo o seu chão, apesar do direito à terra que habitam consagrado na constituição.

Este curta documentário mostra a situação enfrentada pelos quilombolas: com medo de deixar suas casas, impossibilitados de se deslocar livremente e receosos por sua segurança, suas famílias e suas casas.

Colômbia: Jornalista Cidadão Ameaçado por Vídeo Viral [en]

Um vídeo [es] sobre a resposta violenta do governo contra manifestantes pacíficos que protestavam contra o desvio de um rio de sua comunidade para a construção de uma represa fez com que o jornalista cidadão que o produziu recebesse ameaças de morte.

Brasil: Os Carentes Sistemas Penitenciários das Américas

Eventos recentes em prisões latinoamericanas que custaram a vida de centenas de internos despertaram olhares sobre as condições de vida e a superlotação de muitos centros penitenciários, que analisam que são tragédias esperando para acontecer. Pessoas que são privadas de sua liberdade como castigo por seus crimes deveriam ter asseguradas mínimas condições de vida, e muitas vezes estas não são garantidas, como mostra o documentário sobre a vida em prisões brasileiras, que apresenta também possíveis soluções para essa difícil situação.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.