Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Mongólia: Projetos de Mineração Ameaçam Meio de Vida de Pastores

[Todos os links levam para páginas em inglês]

Projetos de mineração na Mongólia prometem o desenvolvimento de uma infraestrutura social e econômica e uma forma de amenizar a pobreza, mas, nesse caminho, comunidades locais próximas às minas sentem o impacto negativo que afeta o meio ambiente e seus meios de vida tradicionais.

A ONG ambientalista CEE Bankwatch Network tem reportado sobre projetos de mineração no Quirguistão e na Mongólia, projetos que têm sido encorajados pelo Banco Europeu para a Reconstrução e o Desenvolvimento. A preocupação da Bankwatch, expressa no ‘Rushing into gold can leave people behind, EBRD‘ [A corrida do ouro pode deixar pessoas para trás, EBRD], envolve destruição de recursos, particularmente água, e mudança nos preços de commodities:

Whether the promised revenues will help Mongolia to develop badly needed welfare services and build an economy that can sustain the depletion of its resources or sudden changes in commodity prices is an open question however. The dominance of the mining sector has already raised fears of a “dutch disease” or “resource curse”.

Se a receita prometida vai ajudar a Mongólia a desenvolver os tão necessários serviços de bem-estar e construir uma economia sustentada sobre a destruição de seus recursos, ou se vai causar repentinas mudanças no preço de commodities, essa é uma questão que permanece por responder. A dominação do setor de mineração despertou receios da “maldição de recursos” ou de uma “doença estrangeira”.
Mina aberta na Mongólia. Imagem do usuário do Flickr pjriccio2006 (CC BY-NC-SA 2.0).

Mina aberta na Mongólia. Imagem do usuário do Flickr pjriccio2006 (CC BY-NC-SA 2.0).

Este curto vídeo foi produzido pela CEE Bankwatch Network, do leste europeu, pela Urgewald, da Alemanha, o Bank Information Center, dos Estados Unidos e pelo Oyu Tolgoi Watch, da Mongólia, que estiveram no país para estudar o impacto socioambiental provocado pela mina de carvão de Ukhaa Khudag, no deserto de Gobi, ao sul:

Se o vídeo anterior mostra como a situação está ficando com a mineração na Mongólia, no Quirguistão já se tem uma longa história de efeitos negativos da mineração sobre o meio ambinete, a saúde e as comunidades locais.

O vídeo seguinte é a respeito da região glaciar do Quirguistão e visita as áreas no entorno de Kumtor, uma mina de ouro a céu aberto em operação há 15 anos. As comunidades recebem em troca envenenamento por cianeto e contaminação da água; nada do desenvolvimento e dos benefícios prometidos chegou até eles.

Os vídeos e a informação sobre mineração na Mongólia e no Quirguistão foram divulgados no post ‘Earth's Riches, people's troubles. Mining in Central Asia‘ [Riquezas da Terra, problemas para as pessas. Mineração na Ásia Central]:

The cases in question – the Oyu Tolgoi and Tavan Tolgoi mines in Mongolia and the Kumtor gold mine in Kyrgyzstan – are both important contributors to their country's national income and both receive (or in case of Oyu Tolgoi may soon receive) support from the European Bank for Reconstruction and Development (EBRD). Both, however, pose risks to the local communities that can't be compensated in monetary terms.

The cases in question – the As minas de Oyu Tolgoi e Tavan Tolgoi na Mongólia e a mina de ouro Kumtor, no Quirguistão – são importantes fontes de receita para as economias desses países e recebem (ou, no caso de Oyu Tolgoi, podem em breve receber) apoio do Banco Europeu para a Reconstrução e o Desenvolvimento (EBRD). Entretanto, elas impõem riscos às comunidades locais que não podem ser recompensadas em termos monetários.

Esses países não são os únicos que ostentam um desenvolvimento com os impactos negativos trazidos pela mineração. Bem próximo dali, no Tibete, aldeões conseguiram paralisar um projeto de mineração que estava a ser instalado numa de suas montanhas sagradas.

O assunto é controverso; qual é o preço que uma comunidade deve pagar pelo desenvolvimento de seu país? Vladlena Martsynkevych, coordenadora da Bankwatch para a Ásia Central escreve:

The extractive industry can very well contribute to a country’s economic development and bring desired employment and revenues. At the same time mining is a highly disruptive activity with considerable negative impacts on the environment and the livelihoods of local communities. In countries with underdeveloped democratic structures, lack of institutional capacity or simply corruption, the damages can quickly overweigh. Benefits can then bypass the local level and end up enriching the involved companies and – not least – the technological progress and wealth in developed nations.

A indústria extrativista pode muito bem contribuir para o desenvolvimento econômico de um país e trazer receita e empregos. Ao mesmo tempo, a mineração é uma atividade altamente exploratória, imputando consideráveis impactos negativos sobre o meio ambiente e os meios de subsistência das comunidades locais. Em países com estruturas democráticas pouco desenvolvidas, com deficiente capacidade institucional ou simplesmente corrupção, os prejuízos podem rapidamente se intensificar. Os benefícios, então, ignoram o nível local e terminam por enriquecer as empresas envolvidas e – também – o progresso tecnológico e a riqueza dos países desenvolvidos.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.