Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Cuba: Para Blogueiros Seria Melhor Que Papa Adiasse Viagem

Blogueiros cubanos expressam suas opiniões [en] a respeito da visita do Papa à Cuba que se aproxima [en], a preocupação principal sendo que o Vaticano esteja pondo seu selo de aprovação no regime dos irmãos Castro, apesar dos relatos constantes de violação dos direitos humanos que surgem da ilha.

À luz de novos relatos de ações sancionadas pelo estado contra membros do Las Damas de Blanco [Damas de Branco, em espanhol] fim de semana passado, o blogueiro da diáspora Uncommon Sense [en] sugeriu:

Pope Benedict XVI should postpone his planned visit in late March to Cuba. The visit was part of a quid pro quo between the regime and the church, but continued repression of women trying to go to Mass should not have been part of the deal.

O Papa Bento XVI deveria adiar sua visita a Cuba planejada para o final de março. A visita faz parte de um quid pro quo entre o regime e a igreja, mas a contínua repressão sobre as mulheres, em sua tentativa de ir à missa, não deveria fazer parte do acordo.

O blogueiro postou também um link para um abaixo-assinado virtual [es] que pede as assinaturas de pessoas que concordem com o adiamento da visita do pontífice “até o momento quando as condições de direitos humanos em Cuba tenham melhorado”.

Pedazos de la Isla fez eco a esta preocupação [en] e relatou sobre “um outro domingo de repressão”:

Just weeks before Pope Benedict’s visit to Cuba in March, another Sunday on the island- February 5th 2012- was marked by an excessive level of violence on behalf of the dictatorship against the peaceful Resistance, for simply trying to attend church.
In the city of Holguin, 5 Ladies in White were brutally arrested around 9 in the morning as they tried to reach the Jesus Christ Redeemer of Men Church.

Há apenas poucas semanas antes da visita do Papa Bento XVI a Cuba em março, um outro domingo na ilha – 5 de fevereiro de 2012 – foi marcado por um nível excessivo de violência em nome da ditadura, contra a Resistência pacífica, por simplesmente estarem tentando ir à missa.
Na cidade de Holguin, 5 Damas de Branco foram detidas com violência por volta das 9 da manhã no caminho para a Igreja Jesus Cristo Redentor dos Homens.

Na sequência, a postagem dava detalhes do tipo de violência testemunhada por algumas das mulheres:

In Guantanamo, 11 Ladies in White were able to make it to church, despite a constant vigilance. Another 20 Ladies in White assisted mass in the Santuary of El Cobre in Santiago de Cuba. 16 women were arrested as they tried to get to that mass, however, according to the Twitter account of Jose Daniel Ferrer Garcia (@jdanielferrer). Among those arrested, according to his Twitter, were Oria Casanova who was “violently arrested, dragged, and beaten by 4 oppressive agents” and Liudmilla Cedeno who was victim of “sexual harassment in the cell where she was being held”. Ferrer Garcia denounced, also through his Twitter, “that is how the henchmen who sustain the Castro brothers are- they beat, sexually assault, and harass defensless women in Cuba”.

Em Guantanamo, 11 Damas de Branco conseguiram chegar à igreja, apesar da guarda constante. Outras 20 Damas de Branco assistiram a missa no Santuário do El Cobre em Santiago de Cuba. Entretanto, 16 mulheres foram presas quando tentavam chegar àquela igreja, de acordo com o relato feito no Twitter por Jose Daniel Ferrer Garcia (@jdanielferrer). Entre aquelas que foram presas, conforme este Twitter, estava Oria Casanova que foi “violentamente detida, arrastada e espancada por 4 agentes opressores” e Liudmilla Cedeno que foi vítima de “assédio sexual na prisão onde ficou detida”. Ferrer Garcia denunciou, também por meio de seu Twitter, “é desta forma que os capangas que dão suporte aos irmãos Castro se comportam – eles espancam, fazem agressão sexual e molestam mulheres indefesas em Cuba”.

O blogueiro finaliza com as seguintes palavras:

In Cuba, the Ladies in White and other pro-democracy activists will continue marching, whether Pope Benedict publicly speaks out for them or not.

Em Cuba, as Damas de Branco e outros ativistas pró-democracia irão continuar em sua marcha, quer o Papa Bento XVI faça declarações a favor deles ou não.

Falar em defesa das Damas de Branco é uma coisa, falar com elas é outra totalmente diferente. Capitol Hill Cubans [en] relata que:

Last week, the Vatican confirmed meetings with Cuban dictators Raul and Fidel Castro during Pope Benedict XVI's March visit to the island. Meanwhile, Cuba's courageous Ladies in White have been told to stand idly by as the Pope's agenda is “very heavy” (apparently from meeting with dictators). How has the Castro regime received this news? With impunity, of course.

Semana passada o Vaticano confirmou reuniões com os ditadores cubanos Raul e Fidel Castro para março quando da visita do Papa Bento XVI à ilha. Enquanto isto, as corajosas Damas de Branco de Cuba foram alertadas para que permaneçam de braços cruzados uma vez que a agenda do Papa está “muito carregada” (aparentemente, de reuniões com ditadores). Como o regime de Castro recebeu esta notícia? Com impunidade, claro.

babalu também comenta [en]:

Apparently, the Vatican has set aside time during the Pope's visit to Cuba in late March to have the pontiff meet with dictators Fidel and Raul Castro. However, they are not sure if the Pope will have time to meet with the Ladies in White, devout Catholics who are suffering repression, intimidation, beatings, humiliating sexual assaults, and death at the hands of the Castro dictatorship for trying to attend mass every Sunday.
Is it me, or do the Vatican's priorities appear to be backwards?

Aparentemente, o Vaticano reservou tempo, durante a visita do Papa a Cuba no final de março, para encontro do pontífice com os ditadores Fidel e Raul Castro. No entanto, eles não tem certeza se o Papa terá tempo para encontrar as Damas de Branco, católicas devotas que estão sofrendo repressão, intimidação, espancamentos, assédio sexual humilhante e morte nas mãos da ditadura Castro, por tentar ir a missa aos domingos.
Sou só eu que penso assim, ou as prioridades do Vaticano parecem, de fato, estar ultrapassadas?

Ao mesmo tempo, Iván García escreveu um post que reflete sobre [en] “os flertes de Castro com o Vaticano”:

It has been a formidable spin. Pure political juggling. A future strategy.
After a stormy and hostile period against the priests, Catholics and of other religions, where not a few went to jail or were imprisoned in labor camps, Fidel Castro changed his policy of confrontation. It was because of the rise to power by popular and democratic vote of Salvador Allende in Chile in 1971, that Castro was restated his strategy of gunfire toward the Vatican.
Latin America was and is the region with the greatest number of Catholics worldwide. The bearded commander realized at once that any revolution, whether through elections or armed uprising, should begin by acknowledging the role played by priests, bishops and cardinals in a new proposal for social change and advocacy of the always excluded in the hemisphere.
And he began to design a new ideological castling. The Fourth Congress of the Communist Party in 1991, he accepted as members believers of any denomination.
He realized that to subvert, ideas were more important than bullets. And if these ideas were proclaimed from the pulpit…so much the better.

Foi uma guinada incrível. Puro jogo político. Uma estratégia futura.
Depois de um período turbulento e hostil contra os padres, católicos e de outras religiões, quando não poucos foram parar na cadeia ou foram internados em campos de trabalho forçado, Fidel Castro mudou sua política de confrontação. Devido à ascenção ao poder, por voto popular e democrático, de Salvador Allende no Chile em 1971, Castro reafirmou sua estratégia de tiros contra o Vaticano.
A América Latina era e ainda é a região com o maior número de Católicos no mundo. O comandante barbado percebeu, de imediato, que qualquer revolução, fosse por meio de eleições ou por levante armado, deveria começar pelo reconhecimento do papel desempenhado por padres, bispos e cardinais numa nova proposta para mudança social e a defesa dos eternamente excluídos no hemisfério.
E ele começou a desenhar uma nova jogada ideológica. Para o Quarto Congresso do Partido Comunista em 1991, ele aceitou como membros crentes de qualquer denominação.
Ele percebeu que para subverter, as ideias eram mais importantes do que as balas. E se estas ideias fossem proclamadas do púlpito…melhor ainda.

O post continua recontando a cadeia de eventos que culminarão na visita papal neste próximo mês:

After Castro was on the threshold of death in 2006, his brother, General Raul Castro, took the reins of power and further paved the way to Rome.

When the a political prisoner Orlando Zapata died on February 23, 2010, as a result of a prolonged hunger strike, and the civilized world launched a major campaign against the regime in Havana, due to excessive repression against opponents and the Ladies in White, Castro II knew immediately who to call.

And he called Cardinal Jaime Ortega…The Cardinal would become key political chess piece for the Castro brothers. He was the partner par excellence between government, the militant Ladies in White and the Spanish Foreign Minister Miguel Angel Moratinos. The talks allowed the release of dissidents who had remained behind bars since the crackdown of March 2003. Someday we will know if Ortega is driven by the hope that the situation in Cuba will lead to a democracy, or other pressures have led him to play a role that some exiled opponents see as cowardly.

What intrigues local observers is whether the conspiracy with the Cuban Catholic Church and the Vatican could lead to a democratic state of law. Or is just a ploy to gain time and give a wider social space to Catholicism in education and health, sectors facing hardships due to the widespread economic crisis in the nation.

Quando Castro esteve à beira da morte in 2006, seu irmão, General Raul Castro, tomou o controle do poder e levou ainda mais longe o caminho para Roma.

No momento em que o prisioneiro político Orlando Zapata morreu, no dia 23 de fevereiro de 2010, como resultado de um greve de fome prolongada, e o mundo civilizado lançou uma grande campanha contra o regime em Havana, devido à repressão excessiva contra os oponentes e contra as Damas de Branco, Castro II sabia, de imediato, a quem chamar.
E ele chamou o Cardeal Jaime Ortega… O Cardeal viria a se tornar uma peça política chave no jogo de xadrez dos irmãos Castro. Ele era o parceiro, por excelência, entre o governo, as militantes Damas de Branco e o Ministro do Exterior Miguel Angel Moratinos. As conversas permitiram a libertação de dissidentes que haviam ficado detrás das grades desde a repressão de março de 2003. Algum dia saberemos se Ortega foi movido pela esperança de que a situação em Cuba levaria a uma democracia ou outras pressões o levaram a encenar uma parte que alguns oponentes exilados veem como covarde.

O que intriga os observadores locais é se a conspiração com a Igreja Católica Cubana e o Vaticano poderia levar a um estado democrático de direito. Ou se é só um estratagema para ganhar tempo e conceder um espaço social mais amplo para o Catolicismo na educação e na saúde, setores que estão enfrentando dificuldades devido à crise econômica generalizada no país.

Igreja e Estado, pelo menos aos olhos da blogosfera cubana, parecem estar irremediavelmente entrelaçados.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.