Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

COP17: Jovens Compartilham Considerações Finais das Negociações sobre Mudanças Climáticas

Seguidores do Adopt a Negotiator Project [en] atualizaram seus blogs diariamente durante as duas semanas de negociações sobre alterações climáticas na Conferência das Nações Unidas Sobre Alterações Climáticas, COP17 [en], realizada de 28 de novembro a 9 de dezembro de 2011 na África do Sul. Seguidores acompanharam as negociações a partir de suas perspectivas regionais, escrevendo em línguas como português, espanhol, chinês,francês, polonês e inglês.

Um dos maiores resultados da conferência foi o segundo compromisso do Protocolo de Quioto, o único tratado internacional que juridicamente vincula a reduzir a emissão de gases de efeito estufa. Entretanto, o compromisso foi fragilizado uma vez que os maiores poluidores como Canadá, Estados Unidos, Japão, Russia, Austrália e Nova Zelândia se recusaram a assinar essa segunda fase.

Ativistas climáticos e organizações da sociedade civil ficaram desapontados com os resultados da conferência, especialmente porque países concordaram com um novo instrumento legal que irá substituir o Protocolo de Kyoto em 2020, enquanto ações urgentes são necessárias.

Aqui estão algumas das mais relevantes conclusões escritas pelos seguidores:

O seguidor sul-africano Alex Lenferna relata sobre os eventos finais no post “Uma provisória decepção na COP 17″ [en]:

I should be on a bus home now; instead I’m sitting in the ICC waiting for the proverbial white smoke to emerge as ministers try to bring COP17 to a close. Last night was supposed to be the closing night for COP 17, but there has been much disagreement among the global community around some very problematic texts that are being discussed around long-term cooperative action and the Kyoto Protocol…

“Eu deveria estar em um ônibus para casa agora; entretanto estou sentado no ICC esperando pela notória fumaça branca a emergir dos ministros ao tentar trazer COP17 a um fim. Ontem a noite deveria ser a noite de fechamento para o COP 17, mas tem havido muita discordância entre a comunidade mundial sobre alguns textos muito problemáticos que estão sendo discutidos acerca de ações de cooperação de longa duração e o Protocolo de Kyoto…”

Farrukh Zaman, seguidor paquistanês, escreve em “Decisões na COP17: atrasadas ou fora de rumo?”:

So while the delay has happened at COP17, let’s hope the negotiations don’t get derailed by postponing them till next year. But just one thing of caution, even though time has and is running out, we don’t need haste decisions; rather we want fair, ambitious and balanced package out of Durban. If that can’t happen here, then COP bis can be our last resort.

“Então, enquanto o atraso ocorreu na COP17, vamos esperar que as negociações não sejam desvirtuadas por terem sido adiadas até o próximo ano. Mas só um pouco de cautela, mesmo que o tempo esteja se esgotando, nós não precisamos apressar decisões; mas sim queremos um justo, ambicioso e balanciado pacote saido de Durban. Se isso não ocorrer aqui, então o COP “bis” pode ser o nosso último recurso.”

O seguidor francês Sébastien Duyk em “Inacabável conferência resulta a um acordo para negociações sem fim” [en] conclui:

Regarding negotiations for a comprehensive agreement that would include legally binding targets for emissions reduction, the Presidency proposes yet another extension of the discussions. This approach convinces few among the observers still in the conference venue. It appears that we keep relaying on the same solutions (creating a new ad-hoc working group…), despite the fact that they have already been tested repeatedly in the past and have not delivered any successful outcome since the adoption of the Kyoto Protocol in 1997.

Em relação as negociações para um acordo global que iria incluir metas juridicamente vinculantes para redução das emissões, a presidência propõe ainda outra extensão das discussões. Essa abordagem convence poucos entre os observadores que ainda estão no local da conferência. Parece que continuamos retransmitindo as mesmas soluções (criando um novo grupo ad-hoc de trabalho…), apesar do fato que eles já foram testados por várias vezes no passado e não forneceram nenhum resultado satisfatório desde a adoção do Protocolo de Quioto em 1997.

Encontro diário dos seguidores – COP17, Durban. Foto de Andrea Arzaba

Em “Do białego rana. Noc kobiet” [pl] (“Até o amanhecer. A noite é das mulheres”), Milosz Hordun, seguidor polonês, diz :

Ta noc należy do kobiet. Po pierwsze jest Maite Nkoana-Mashabane, przewodnicząca obradom. Zdecydowanie zmęczona ostatnimi dwoma tygodniami. Stara się skutecznie prowadzić strony do celu, udowadniając że afrykański COP może być skuteczny i przełomowy. Często jednak się gubi w procedurach, musi prosić o wsparcie sekretariatu. Jest Conni Hedegaard, unijna komisarz. Także na jej twarzy maluje się zmęczenie. Widać, że trudno jest jej znosić ogromną presję psychiczną, związaną z rozbratem między oczekiwaniami wielu Europejczyków oraz środowisk ekologicznych na całym świecie a możliwościami negocjacyjnymi.

Essa noite é das mulheres. Primeiramente, há Maite Nkoana-Mashabane, que preside a sessão. Ela definitivamente está cansada das duas últimas semanas. Ela faz o seu melhor para liderar os dois lados no sentido de obter um objetivo comum, provando que o COP africano talvez seja bem sucedido e se torne um momento decisivo de transição. Entretanto, ela se perde nos procedimentos com certa frequência; ai recorre à secretária para lhe ajudar. Há também Connie Hedegaard – Comissária européia [para ações climáticas]. Embora o cansaço também esteja escrito em todo o seu rosto. Você pode ver o quão dificíl é para ela controlar a enorme pressão, uma vez que há uma lacuna entre o que muitos europeus e ambientalistas esperam para o mundo e as possibilidades de negociação.

Priti Rajagopalan, da Índia, resumiu as realizações da conferência no post “COP17-Isto é o que aconteceu” [en] :

5.18am, International Convention Center, Durban

The verdict is out. What was accomplished at Durban.

1) Something called the Durban railtrack or trackroad ..oh, wait…platform.
2) Empty second commitment period
3) Empty green climate fund
4) Sleepy people most of whom had left by the time the final verdict was given.
5) How manipulative, apparently transparent democratic , multilateral process works.
6) People are looking for CBDR and Bali. If someone finds it, please return it.
7) Unclear mitigation target.
8) Massive failure of a peaceful kind.

5:18 da manhã, Centro Internacional de Convenções, Durban

O veredicto saiu. O que foi concluído em Durban.

1) Alguma coisa chamada de trilhos ou caminho de Durban ..oh, espere…plataforma.
2) Segunda fase do compromisso vazia.
3) Fundo climático vazio.
4) Pessoas sonolentas, sendo que a maioria já tinha partido no momento que o veredicto final foi dado.
5) Como o manipulador, aparentemente transparente e democrático, processo multilateral funciona.
6) Pessoas estão olhando por CBDR e Bali. Se alguém encontrar, por favor, devolva.
7) Objetivo de redução pouco claro.
8) Fracasso em massa de uma espécie pacífica.

Para ler outros posts finais sobre os seguidores acompanhando os Estados Unidos, México, Austrália, China, Canadá e Nova Zelândia, entre muitos outros, visite o site do Adopt a Negotiator Project.

Andrea Arzaba participou no COP17 como uma jovem seguidora para o México [es].
Obrigado a Krzysztof Pawliszak por traduzir o trecho do Milosz Hordun.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.