Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Destaques da Lusofonia Online em 2011

Passou mais um ano em que bloguistas e activistas com vários sotaques de português, se juntaram para reportar, traduzir e defender blogs e mídia cidadã de todo o mundo. Conheça neste artigo os destaques da cobertura dos países de língua portuguesa no Global Voices em 2011.

Línguas e Culturas da Lusofonia

Em Fevereiro, demos voz a vários blogs que declararam o seu amor à língua portuguesa, prestando tributo à multiplicidade de falares de mais de 200 milhões de pessoas à volta do mundo.

Hau nia lian, hau nia rain (A minha língua, a minha terra). Foto de Sapo Noticias Timor Leste (domínio público)

Hau nia lian, hau nia rain (A minha língua, a minha terra). Foto de Sapo Noticias Timor Leste (domínio público)

Em Maio, o Jornal @Verdade, nosso parceiro em Moçambique, escreveu sobre o Português enquanto língua da “Moçambicanidade”.

Sobre Timor Leste, foi analisado o papel das línguas na afirmação da identidade de um país que conta com 16 línguas nacionais e dezenas de dialectos. Já de Cabo Verde, reflexões nos blogs defendem que existem “lugares sociais” distintos para a língua nacional, o Crioulo, a par da língua oficial, português.

Num prisma político mais denso, manifestações online expõem um outro lado do espelho linguístico, com as reacções à proposta de entrada da Guiné Equatorial na Comunidade de Países de Língua Portuguesa, um país sem olhos para os Direitos Humanos.

Brasil: Caminhos do Desenvolvimento

A despeito da crise do cenário internacional, o Brasil vive um período de otimismo econômico estimulado pelo mercado interno de consumo. Para manter esse crescimento, a política desenvolvimentista em curso no país tem pressionado o meio ambiente e os direitos humanos.

O custo social da expansão de biocombustível: a comunidade indígena Guarani Kaoiwa de Laranjeira Nhanderu foram expulsos de suas terras há 14 meses atrás para dar lugar as plantações de cana.Foto de Annabel Symington, direitos Demotix (21/10/10).

O custo social da expansão de biocombustível: a comunidade indígena Guarani Kaoiwa de Laranjeira Nhanderu foi expulsa de suas terras há 14 meses atrás para dar lugar as plantações de cana. Foto de Annabel Symington, direitos Demotix (21/10/10).

A floresta amazônica é visada como terra para a agropecuária e como fonte de matéria-prima e de energia. O novo Código Florestal, marco regulatório do uso das florestas do país, suscitou questionamentos e levou pessoas às ruas contra o favorecimento da agropecuária e do desmatamento. O agronegócio “verde” dos biocombustíveis e o reflorestamento com eucaliptos revelaram-se práticas insustentáveis, social e ambientalmente. A disputa por terra no agronegócio provocou, em 2011, assassinatos de ativistas e de lideranças indígenas. Contudo, o Brasil está a exportar seu modelo de agronegócio para outros países, como Moçambique.

A usina hidrelétrica de Belo Monte foi, sem dúvida, a maior causa de mobilização do ano, unindo ambientalistas, povos indígenas e populações ribeirinhas. Protestos no local e nas maiores cidades do país atraíram a atenção internacional e puseram em questão a política de direitos humanos do governo de Dilma Rousseff. Após o início da construção da usina, a mobilização não arrefeceu, mas adquiriu outros contornos, com um protesto Occupy tupiniquim e processos judiciais.

Essas e outras questões estão organizadas em quatro coberturas especiais: Floresta em Foco: Amazônia, Dossiê Belo Monte, Direitos Indígenas [en], e Desenvolvimento Global.

Portugal: Crise, Austeridade e Protestos

Desde a Manifestação da Geração à Rasca em Março até aos protestos globais do 15 de Outubro, Portugal viu, em 2011, a crise política e económica ganhar proporções, com a queda de um governo e a troika a entrar no país para o “resgate” financeiro da dívida pública.

Keep calm and protest. Indignados em frente à Câmara do Porto. Foto da organização do 15 de Outubro.

Keep calm and protest. Indignados em frente à Câmara do Porto. Foto da organização do 15 de Outubro.

Os internautas tomaram as redes sociais para se mobilizarem contra as severas medidas de austeridade, contra o “negócio” das agências de notação financeira mas também para encontrarem inspiração além fronteiras, como na Islândia, sobre outras formas de participação cidadã.

Com a página de cobertura especial Europa em Crise lançada em Setembro, o Global Voices tem servido de ponte linguística e proporcionado um maior diálogo entre os cidadãos “indignados” dos países europeus que estão a sofrer problemas semelhantes.

Angola: 32 Anos no Poder Suscitam Protestos

Em Angola, é cada vez mais visível, nas ruas e na internet, a revolta contra o governo de 32 anos de José Eduardo dos Santos. As manifestações teriam começado em Março, caso uma manobra de antecipação do governo não tivesse sido eficaz.

Em Setembro, o saldo de uma manifestação com forte carga policial sobre os manifestantes contou com sentenças de prisão para pelo menos 18 pessoas. Contra todas as expectativas, o movimento tem se consolidado ao mesmo tempo que prolifera o número de cidadãos repórteres no país.

Vídeo publicado no post Angola: Vídeos de Protesto Reprimido de Jovens em Luanda

Internet e cultura digital no Brasil

O acesso cada vez mais disseminado à internet no Brasil manifestou-se em 2011 muitas vezes de formas criativas, colectivas e eficazes. Tal foi o caso da mobilização em redes sociais para tirar um blog pedófilo do ar, e da chamada via Facebook à participação num protesto tão original como o do Churrascão da Gente Diferenciada, num bairro de classe alta em São Paulo.

Cartaz do protesto "Queremos ser Maria Bethania" convocado por Leon Prado no Facebook.

Cartaz do protesto "Queremos ser Maria Bethania" convocado por Leon Prado no Facebook.

Ao mesmo tempo, a arena online também foi palco de outros acontecimentos menos felizes ligados à cultura digital. Em Janeiro, o Ministério da Cultura anunciou o abandono da Creative Commons no seu site, um retrocesso flagrante nas políticas públicas ligadas à Internet e direitos autorais. Pouco tempo depois, em Março, o mesmo Ministério autorizou a famosa cantora Maria Bethânia a captar R$ 1,3 milhão de reais para a criação de um blog de poesias, despertando assim a ira de blogueiros, tuiteiros e de ativistas na área da cultura.

Casos de censura online continuam e ultrapassam por vezes os limites do virtual, chegando a manifestar-se em atentados contra a vida de blogueiros críticos à autoridade.

Em Dezembro tomamos conhecimento de novas ameaças de morte contra Ricardo Gama, blogueiro militante sobre casos de abuso de poder e outras irregularidades por parte da polícia no Brasil, que já havia sido baleado em um atentado no Rio de Janeiro em Março. No final do ano, o motivo por trás da morte de Hamilton Alexandre, polémico blogueiro de Santa Catarina, “suicídio por enforcamento”, não é convincente para muitos internautas, que exigem nas redes sociais rigorosa apuração do caso.

Em 2012 continuaremos a escutar as histórias que estão a ser contadas por cidadãos do mundo através da internet, e a amplificá-las para o conhecimento de uma audiência global. Temos as portas abertas para quem quiser juntar-se ao que foi considerado em 2011 um dos 10 projetos mais legais da internet pela revista Super.

https://pt.globalvoicesonline.org/?p=25165
Colaborou na redacção deste post João Miguel Lima.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.