Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Brasil: “Passamos o PIB do Reino Unido. E daí?”

A notícia rendeu manchete em praticamente todos os veículos de imprensa brasileiros na última semana de 2011: o Brasil supera Reino Unido e se torna a 6ª maior economia do mundo. Citando a edição de 26 de dezembro do jornal britânico The Guardian [en], a notícia divulgava uma projeção [en] feita pelo Centro para Pesquisa Econômica e de Negócios (CEBR, na sigla em inglês) de que o país fechará o ano como o sexto maior PIB mundial, US$ 2,5 trilhões.

É a primeira vez que os britânicos ficam atrás de um país sul-americano nesse tipo de ranking, o que suscitou um comentário bem-humorado do diretor-executivo da CEBR, Douglas McWilliams: “o Brasil tem batido os europeus no futebol por um longo tempo, mas superá-los na economia é um fenômeno novo”. No país, a notícia também foi acompanhada de muito bom humor, como mostra essa coleção de charges no blog Humor Político.

Dilma coroada. Charge de Alberto Alpino Filho, publicada no Yahoo! Brasil e reproduzida com autorização.

Charge de Alberto Alpino Filho, publicada no Yahoo! Brasil e reproduzida com autorização.

O Blog do Sarico elegeu a notícia como a melhor do ano:

Esta é, sem nenhuma dúvida, a maior notícia de 2011. E esta boa nova é fruto de um trabalho de muitas mãos, começado há 20 anos. Construir uma nação como o Brasil, requer muitas mãos e um longo período recheado de altos e baixos e com muita dúvida. O País do futuro tem nome e cores e fala português.

Viva o Brasil!

Para o gestor financeiro Hamilton Silva, o Brasil ruma para a quinta posição e um futuro ainda mais promissor. Ele comenta em seu blog:

Todos esses fatores e um otimismo das autoridades levam o país a crescer muito mais que o previsto, ou seja, poderemos sim atingir uma posição mais confortável. A quinta posição econômica mundial revela que a nação brasileira deverá ter papel de destaque no Conselho de Segurança Permanente da ONU, deve ser ouvido de forma mais efetiva na OPEP e precisa ser respeitado quando for acionado na Organização do Comércio e outras. Deve ter papel destaque no G8, G20 e demais organismos internacionais, como FMI e Haia, enfim chegamos.

Se o Brasil vai bem na matemática do Produto Interno Bruto (PIB), o mesmo não acontece com o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), que mede o padrão de vida das nações. O economista Frederico Matias Bacic destrincha a notícia, explicando por que “não podemos nos vangloriar”. Ele lembra que:

O crescimento do PIB mostra que ocorreu um aumento da atividade econômica (pode-se dizer que esse crescimento acarreta em geração de empregos e renda), o que é formidável, mas não mostra uma melhora social efetiva. Temos o sexto maior PIB do mundo, mas se olharmos o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) ocupamos a posição 84°, estamos atrás de países como Trinidad Tobago. México, Argentina, Bahamas. Se observarmos o PIB Per capita a nível mundial ocupamos a 76º posição.

O que quero dizer como essa pequena postagem é que existem índices econômicos/sociais mais importantes que o PIB para serem observados. Ter simplesmente um dos maiores PIBs do mundo não quer dizer, por si só, que estamos indo bem, é preciso olhar uma gama de dados, não podemos nos vangloriar em cima de uma única variável. Para ilustrar melhor o que quero dizer imaginemos o seguinte: que todos os países da África se unissem formando uma nova nação, com certeza, esse novo país teria um dos dez maiores PIBs do mundo, mas isso não quer dizer que se tornariam desenvolvimentos e socialmente justos. Seria apenas um grande país, com um grande PIB, como uma grande população miserável, repleto de problemas sociais.

Charge de Enio Lins

Charge de Enio Lins, para o Jornal Gazeta de Alagoas, publicada com permissão.

Também analisando outros indicadores, o jornalista Sérgio Utsch recomenda cautela. Ele alerta:

O perigo dessa notícia que atiça o orgulho nacional é a cegueira que ela pode gerar. Mais importante do que termos um bolo enorme é que todos consigam comer um pedacinho digno. O “adversário” que acabamos de ultrapassar na tabela do campeonato econômico conseguiu fazer isso, enquanto nós brasileiros nos afogávamos num imenso oceano cheio de corruptos, ditadores e incompetentes. Tudo bem que o fermento do bolo inglês não anda funcionando muito bem, mas por aqui, ao contrário do Brasil, a maioria já tem um pedacinho garantido.

O economista Rodrigo Constantino diz que basta olhar ao redor do país para ver que não há o que se comemorar na miséria, criminalidade, concentração ilegítima de renda graças, corrupção, impunidade dentre outros problemas sociais. Ele indaga:

Sim, somos o sexto PIB do mundo. Sim, passamos o PIB do Reino Unido. E daí? Com tantos problemas que nos saltam aos olhos diariamente, é o caso de perguntar: Who cares?! Alguém aí melhorou de vida após saber desta notícia? Então que tal voltarmos nossa atenção para a imensa quantidade de problemas que temos de resolver para tornar o Brasil um país melhor, mais próspero, livre e justo?

Daisy mostra otimismo sem perder o bom-senso. Ela até deixa a comemoração para um momento mais oportuno:

Vamos celebrar quando alcançarmos o mesmo padrão de vida dos britânicos!

Brasil supera os britânicos. Charge de Benett, publicada com permissão.

Brasil supera os britânicos. Charge de Benett, publicada com permissão.

Segundo o CEBR, o ranking das maiores economias é liderado pelos Estados Unidos, seguido por China, Japão, Alemanha, França e Brasil e Reino Unido. De acordo com os dados do Fundo Monetário Internacional (FMI), o PIB brasileiro em 2011 deve somar US$ 2,517 trilhões, o que confirma as projeções do CEBR. Em 2010, o Brasil havia ficado na sétima posição, com PIB de US$ 2 trilhões.

  • Inocencio Albino

    No aspecto do trabalho o povo brasileiro possui uma cultura que, na minha oponiao, devia se seguida por todos os paises africanos falantes da lingua portuguesa, com destaque para Mocambique. Forca para o Brasil! Forca para o Governo Brasileiro! Esta lancado um exemplo – a cultura de trabalho – a seguir. Afinal, se a economia brasileira superou, este ano a Britanica, deve ao labor daquele povo laborioso, o brasileiro.

  • Bom ano, moderadamente!

  • Paula, parabéns pelo texto ficou excelente!
    Achei por coincidência e confesso que fiquei muito feliz ao ver uma referência ao texto que escrevi. Obrigado!

    Abraço

  • Rodrigo Arce

    Apesar de todos os problemas que existem em nosso país, ele está a caminho de virar um país de classe média e com garantias de que vai sobreviver a essa crise.

  • E daí que estamos no caminho certo, com a nossa idealista e valorosa Presidenta Dilma Roussef! Não é somente o fato de o nosso PIB haver superado o do Reino Unido, não. Nota-se mudanças visíveis na nossa estrutura social. Nossas estradas estão repletas de automóveis, pois a cada ano bate-se novo recorde de venda de veículos! Nossos aeroportos se transformaram em verdadeiras “rodoviárias”, pois o povo (inclusive o da classe C) está viajando de avião! E milhões deles viajando para o exterior, muitos apenas prá comprar produtos, haja vista o imenso fluxo para os “States” e Europa! O turismo interno está “bombando” também! O comércio e a indústria também faturando como nunca! O desemprego nos menores níveis dos últimos anos! Enfim, há um novo Brasil surgindo, sim, prá desdita dos apologistas do fracasso! Nosso IDH é ainda baixo? É, sim. Mas os gargalos estão sendo devagarzinho e sempre combatidos há 9 anos, prá todo o povo brasileiro ter, um dia, certamente, um nível de vida digno e decente! Pelo que estou vendo por aí, tenho muita fé neste País!!!

    • Rogerio Ap Silva de Andrade

      ilusão, ilusão….