Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Reino Unido: Aos 77 anos, uma vida de inspiração

Julie Kertesz é uma pessoa que comemora seus 77 anos de idade como alguém que celebra a própria vida. Aposentada porém muito ativa, Julie se auto define como contadora de histórias e fotógrafa. Ela também é blogueira e videomaker e acaba de começar a sua carreira de comediante.

Nascida na Transilvânia (na época, parte da Hungria, depois da Romênia), ela mudou-se para a França aos 30 anos, e mora em Londres desde julho de 2008.

De acordo com Patrick Barry Barr, um dos fãs que acompanham seu trabalho no Flickr, site de compartilhamento de fotografias, Julie é um “modelo e exemplo para pessoas de todas as idades que desejem viver uma vida plena e ativa, cheia de aprendizado e ação”. Segundo ele (em 2005):

Julie70 exhibits a spirit that belies her age, as we tend to think of people in their 70’s, and I marvel at her enthusiasm, the way in which she relishes meeting strangers and sharing her enthusiasm with them. I will be 67 on 11 May, and when I grow up I want to be just like Julie Kertesz.

Julie70 exibe um espírito que desmente a sua idade, como tendemos a imaginar pessoas aos 70, e fico maravilhado com o seu entusiasmo, com o jeito como ela aprecia conhecer pessoas estranhas e compartilha o seu entusiasmo com elas. Farei 67 anos em 11 de maio, e, quando eu crescer, quero ser igualzinho a Julie Kertesz.
Auto-retrato, por Julie Kertesz

Auto-retrato – Julie Kertesz

Julie adora aprender e nunca parou de estudar – nem mesmo quando foi proibida pelo governo comunista da Romênia de dar continuidade aos estudos. Enquanto trabalhava em Paris, ela voltou às salas de aula, já mãe de dois filhos, e só deixou a universidade, aos 43 anos, com um PhD em Física.

Como ela conta na estória de sua vida descrita em seu blog, vida depois dos 70:

We are not giving up!
Each of us does something, either to live better or to rest alive.
Alas, I met also old people who looks as if they did already give up, and even some very young ones.
Lonely, in the metro.
Just look at them in the metro of Paris. How different with the man I met yesterday, working in the market. And so many others of us, living our lifes as full as possible.
Ok, we have a certain age, but we do not feel old inside!

Não vamos desistir!
Todos nós fazemos alguma coisa, seja para viver melhor ou para descansar em vida.
Ah, também conheci gente de idade que parece já ter desistido, e até mesmo alguns bem jovens.
Solitários, no metrô.
Basta olhar para eles no metrô de Paris. O quão diferente são do homem que conheci ontem, trabalhando na feira. E tantos outros de nós, vivendo nossas vidas o mais plenamente possível.
Ok, já temos uma certa idade, mas não me sinto velha por dentro!

Julie usa o Flickr, blogs e contação de estórias pessoais para inspirar outras pessoas. Em um comentário deixado no post “Coragem para rir de si mesma” (em françes) uma leitora mostra apreço pelos esforços dela:

[…] tu sais Julie, tu es Une Sage, je le pense. Tu m'aides souvent dans des moments compliqués, je me dis “attends, l'effet Julie va se produire, ça va aller”.

[…] sabe, Julie, acho que você é uma sábia. Você sempre me ajuda em meus complicados momentos, eu digo para mim mesma “aguarde, o efeito Julie se materializará, vai ficar tudo bem”.

Talvez a fonte de tamanha sabedoria seja a prontidão para se atrever a experimentar algo novo. No vídeo abaixo, Julie usa o seu quarto idioma para ilustrar algumas das muitas vezes que experimentou algo pela primeira vez entre os 25 e 70 anos:


Primeiras vezes, versão 1 por julie70

E foi precisamente aos 70 anos de idade que Julie descobriu a fotografia. Em 2006, ela criou o grupo !afterclass!, uma masterclass no Flickr onde hoje cerca de 2.500 pessoas aprendem fotografia juntas. Ela é também a criadora do grupo de leitura; o grupo nunca velho demais; e o não mais estranhos:

No more strangers. I met them, I spoke to them. I remember them.

Não mais estranhos. Eu os conheci, falei com eles. Lembro deles.

Esse último grupo inspira as pessoas a se aproximarem umas das outras e, com cada interação, um belo ser humano é revelado. Clique nas imagens abaixo para descobrir as estórias de vida Julie revelou através de suas “interações humanas” com pessoas estranhas.

[Exceto onde indicado, todos links levam a sites em inglês]

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.