Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

EUA: Esfera tuiteira discute a coluna de Kristof sobre o Islamismo

O conteúdo da coluna de Nicholas Kristof, jornalista de longa data do New York Times, irritou a esfera tuiteira no último 6 de Março de 2011. A coluna, intitulada “Is Islam the Problem?” [en] [É o Islamismo o Problema?], analisa vários fatores que podem ter levado àquilo a que Kristof se refere como sendo “atraso” no mundo árabe.

A matéria desencadeou uma onda de protesto no Twitter, na qual indivíduos de toda parte do mundo expressaram indignação contra Kristof e o New York Times em geral. @avinunu resume [en] o problema:

Columnist @NickKristof uses words like “backward” to describe Arabs that he would not dare use for others.

O colunista @NickKristof faz uso de palavras tais como “atrasado” para descrever os árabes, palavras que ele não ousaria usar para outros.

E continua [en]:

Health, education, wealth statistics for blacks are well behind whites in America, @NickKristof. Is that because blacks are “backward”?

As estatísticas referentes à saúde, educação, riqueza dos negros mostram uma defasagem grande quando comparadas às referentes aos brancos nos Estados Unidos, @NickKristof. Você diria que esta diferença se dá porque os negros são “atrasados”?

Em seguida, ao fazer alusão à extensa experiência de Kristof em reportagens sobre a África, ele complementa [en]:

Let me ask you a question, @NickKristof, have you ever specifically used the word “backward” to describe Africa?

Deixe-me lhe fazer uma pergunta, @NickKristof, você alguma vez usou a palavra “atrasado” especificamente para descrever a África?

Depois disto o próprio Kristof tuitou, “Peço desculpas àqueles a quem ofendi com o título de minha coluna sobre o Islamismo — mas é o que está nas mentes das pessoas; temos novas evidências”.
@sickjew pergunta [en]:

Do you think @NickKristof would write a column titled, “Is Judaism the Problem?” It's “on people's minds”.

Você acha que o @NickKristof escreveria uma coluna intitulada “É o Judaísmo o Problema?” Está “nas mentes das pessoas”.

Outros Sintomas

Outros no Twitter levantam preocupações com o título da coluna (que pergunta se o Islamismo seria o problema), e sugerem que há outros fatores em questão. @cellabiao chama a atenção para [en] o apoio dos EUA para regimes ditatoriais no Oriente Médio:

@NickKristof the world knows only too well that US funded these murderous dictators; everyone cheers these revolutions. Take a hint already

@NickKristof o mundo sabe muito bem que os EUA financiou estes ditadores assassinos; todos torcem por estas revoluções. Já é hora de seguir esta pista.

Em resposta a outro tweet do Kristof (“@Soraal claro que o Oriente Médio é atrasado. Veja as taxas de alfabetização, a participação do trabalho feminino, os sistema políticos. A questão é por que”), @DianaValerie argumenta [en]:

@NickKristof @soraal this is a very ignorant comment that discounts our support of dictators who impede citizens’ progress.

@NickKristof @soraal este é um comentário muito ignorante que não leva em conta nosso apoio a ditadores que impedem o progresso de cidadãos.

É o New York Times o Problema?

Algumas pessoas já notaram que o próprio Times frequentemente se comporta de forma excluir as vozes de outros. @techsoc faz a seguinte observação [en]:

@jilliancyork Don't mind it Kristof joins sincere discussion on ME as long as *we* can also join a discussion about what is wrong w/ West.

@jilliancyork não se preocupe[.] Kristof participa de discussão sincera sobre Oriente Médio desde que *nós* possamos também participar de uma discussão sobre o que está errado com o ocidente

@humanprovince parece estar de saco cheio [en] com os escritores do jornal:

America really deserves better than the sophomoric barstool faux intellectualism of Brooks, Friedman; @NickKristof: http://nyti.ms/hRkYJF

Os Estados Unidos merecem algo melhor do que o intelectualismo de bar e imaturo de Brooks, Friedman e @NickKristof:

@krmaher considera o problema [en] responsabilidade dos editores:

To be fair, rest of the new @NickKristof column isn't terrible, but title is neon example of unequal standards. Editors should know better.

Para ser justo, o resto da nova coluna do @NickKristof não é ruim, mas o título é um exemplo de padrões descompensados. Os editores deveriam ser mais sábios.

Mas @emjacobi enfatiza [en]:

@krmaher editors should know better, and it's compounded by the fact that NYT columnists write their own headlines!

@krmaher os editores deveriam conhecer melhor, e junta-se a isto o fato de que os colunistas do NYT criam seus próprios títulos!

Concordando com Kristof

Embora boa parte da conversa no Twitter fosse no sentido de discordar com Kristof, há alguns que acreditam que a coluna de Kristof atingiu o objetivo. @walidbey afirma [en]:

@NickKristof your article about Islam is courageous. I see Islamic legal system doesn't fit modern age. #Islam should reinvent itself

@NickKristof, seu artigo sobre o Islamismo é corajoso. Percebo que o sistema de leis islâmico não está adequado para os tempos modernos. O Islamismo deveria se reinventar

@franyafranya sugere uma abordagem equilibrada [en]:

@NickKristof the arguments r fairly substantiated up til “psychological problem” -no support given; also, “backwardness” is a relative term

@NickKristof, os argumentos são razoavelmente bem fundamentados até o “problema psicológico” -nenhum suporte é dado; também “atraso” é um termo relativo.

@JeSuisBelEsprit é da opinião de que [en] a coluna de Kristof faz sentido:

@NickKristof Critical analysis is good for the soul. Islam itself is an human endeavor and like all human endeavors “things do fall apart.”

@NickKristof Análise crítica faz bem à alma. O próprio Islamismo é um empreendimento humano e da mesma maneira como todos os empreendimentos humanos “as coisas acabam se esfacelando.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.