Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Argentina: 35 anos depois, viva o carnaval!

Carnaval Porteño

Foto da conta do Governo da cidade de Buenos Aires no Flickr (CC BY 2.0)

Enquanto falar sobre carnaval em outros países da América Latina é tão comum como conversar sobre política, salsa ou rumba, na Argentina, por muitos anos, esta foi um assunto do passado. Em junho de 1976, época da ditadura militar, a Lei nº 21329 retirou o carnaval do calendário de feriados do país. Esta lei foi alterada no ano passado e este ano a Argentina voltou a comemorar a festa, com feriados nos dias 7 e 8 de março.

Devido à proibição de 1976, muitas tradições foram perdidas: foram-se os feriados, os desfiles de bairro, a brincadeira de jogar água em quem passa na rua ou os famosos balões e baldes cheios de água. Muitas cidades em todo o país continuaram realizando festas de carnaval, como Gualeguaychú [es], Corrientes [es], Salta e Humahuaca [es], dentre outras. Buenos Aires não perdeu a tradição e continuou com suas “murgas“, ritmo popularmente conhecido como “comparsas” (bandas carnavalescas de rua) em outros países. Mas a Argentina ainda não tinha uma data – dias de feriados bancários oficiais – para celebrar as festividades.

Em 1983, com o retorno da democracia na Argentina, as famosas murgas argentinas [es] começaram a reaparecer, mas o carnaval em si não era feriado. Até novembro de 2010, quando a presidente Cristina Fernandez de Kirchner reformou a lei 21.329 e a alegria retornou, especialmente para aqueles que lutaram pela restauração das festas de carnaval, como a Associação MURGAS [es] que alcançou seus objetivos depois de 14 protestos:

Después de 27 años en democracia y tras 14 multitudinarias marchas carnavaleras que las murgas realizamos año tras año en reclamo de la restitución del feriado nacional de lunes y martes de carnaval, logramos un hecho histórico, sin precedentes y de una profunda y enorme alegría: volver a tener los feriados de carnaval

Depois de 27 anos de democracia e 14 marchas de protesto organizadas pelas bandas carnavalescas de rua que se apresentaram ano após ano para exigir o retorno do feriado nacional de segunda e terça-feiras de carnaval, conseguimos um evento histórico, sem precedentes e de uma profunda e enorme alegria: voltamos a ter os feriados de carnaval
Carnaval Porteño
Foto da conta do Governo da cidade de Buenos Aires no Flickr (CC BY 2.0)

Blogs como La república de las palabras [es] expressaram contentamento pelo retorno do feriado de carnaval. Muitos jornais na América Latina, como o equatoriano El Comercio [es], o Prensa Libre [es] da Guatemala e, na Bolívia, o El Deber anunciaram o retorno do feriado.

Se considerarmos que 35 anos se passaram desde a eliminação dos feriados de carnaval, isso significa que muitas gerações não conhecem a causa da alegria ou celebração. Ou talvez muitos achem que para vivenciar o carnaval, seria necessário ir ao Brasil. Perla A. escreve em seu blog pessoal sobre as experiências relatadas por outras gerações, por onde os mais jovens aprendiam sobre a festividade através das histórias contadas por seus pais ou avós:

Todos lo que tenemos entre 30 y 40 años hemos crecido con los relatos de los carnavales de nuestros padres, de los disfraces que usaban y de la atmósfera festiva que se vivía, no en vano una canción dice: por esos cuatro días locos que vamos a vivir, en clara referencia a este festividad.

Todos nós que temos entre 30 e 40 anos de idade crescemos com os relatos de carnaval contados por nossos pais, sobre as fantasias que usavam e a atmosfera festiva que se vivia, não em vão uma canção dizia, “por esses quatro dias loucos que vamos a vivier, em clara referência a essa festividade.

É por isso que, durante o fim de semana prolongado, muitas pessoas aproveitaram a oportunidade para viajar. A lotação dos hoteis chega a mais de 80% de turistas nacionais desfrutando do feriadão. Certamente haverá uma avaliação para saber se a decisão de adotar um novo feriado foi uma idéia boa ou ruim, especialmente por este ano ser ano eleitoral, mas, à primeira vista, considerando o tráfego de turistas, não há opiniões em contrário. O carnaval da Argentina é novamente parte do calendário nacional.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.