- Global Voices em Português - https://pt.globalvoices.org -

Mundo Árabe: Calendário da Revolução

Categorias: Oriente Médio e Norte da África, Arábia Saudita, Bahrein, Egito, Jordânia, Líbia, Marrocos, Síria, Sudão, Tunísia, Ativismo Digital, Liberdade de Expressão, Mídia Cidadã, Política, Primeira Mão, Protesto, Tecnologia

Este post é parte de nossa cobertura especial Protestos no Egito em 2011 [1].

Uma  calendário da revolução árabe está sendo divulgado online, com as potenciais datas marcado para revoluções no Sudão, Síria, Argélia, Líbia e Marrocos. As datas são 30 de janeiro (estudantes sudaneses já estão marchando pelas ruas de Cartum [2]), 05 de fevereiro, 12 de fevereiro e 13 de março, respectivamente.

No Baréin, a data que está sendo sussurrada é 14 de fevereiro e a conversa no Twitter é também a de dar lances sobre as mudanças na Arábia Saudita e no resto do mundo árabe.

Após a Tunísia, que pegou  as pessoas de surpresa, a pergunta na mente de todos era:  poderia esta bem sucedida derrubada de um ditador se repetir em qualquer outro país[?] Dez dias depois, os egípcios se levantaram, primeiro exigindo reformas políticas e econômicas e, agora, pedindo a cabeça do presidente Hosni Mubarak, que os governa há 30 anos.

Reações no Twitter vão da descrença à completa solidariedade com a mudança, alguns até desejando que as ondas da revolução cheguem a suas costas. A conversa é internacional, com os usuários do Twitter em todo o mundo dando suas opiniões.

@ewilke tuíta:

@ewilke [3]: Seriously, a timetable!? on twitter. The Arabic Revolution Timetable: Sudan #Jan30 Syria #Feb05 Algeria #Feb12 Libya #Feb30 Morocco #March13

@ewilke [3]:Sério, um calendário!? no Twitter. O Calendário da Revolução Árabe: Sudão #Jan30 Síria #Fev05 Argélia #Fev12 Líbia #Fev30 Marrocos #Março13

@martinchulov acrescenta:

@martinchulov [4]: Activists are using twitter to line up the dominoes post-Egypt. Yemen Feb 3, Syria Feb 5, Algeria Feb 12 – the ‘Arab Revolution Timetable’.

@martinchulov [4]:Ativistas estão usando o twitter para alinhar os dominós pós-Egito. Iêmen Fev 3, Síria Fev 5, Argélia Fev12 – o “Calendário da Revolução Árabe”.

E @kywa_kt brinca:

@kyaw_kt [5]: “Arab Revolution Timetable”? How motivating it is!

@kyaw_kt [5]: “Calendário da Revolução Árabe”? Como isso é motivador!

Yvonne Ridley observa:

@yvonneridley [6]: It's not only #Mubarak who doesn't want TV in #Tahrir Square it's all other Arab leaders who dont want people watching #Egyptian Revolution

@yvonneridley [6]: Não é apenas Mubarak que não quer a TV na Praça Tahrir, são todos os outros líderes árabes que não querem o povo assistindo à Revolução Egípcia

E @hamish6PM concorda:

@hamish6PM [7]: Could there be a more poignant symbol of Arab revolution than thousands of heads lowered jointly in prayer in liberation sq? #Egypt #jan …

@hamish6PM [7]: Poderia haver um símbolo mais comovente da revolução árabe do que milhares de cabeças baixas conjuntamente em oração na praça da liberdade?

Enquanto isto, os tambores da revolução continuam a reverberar por toda a região:

@lostronaut1 [8]: walk like an egyptian —— the dictators must go! #egypt #revolution #china #saudi #kuwait #iraq #algeria #oman #libya #yemen #sudan

@lostronaut1 [8]: Caminhem como um egípcio —– os ditadores devem cair! #egito #revolução #china #arabiasaudita #kuwait #iraque #argéliaa #omã #líbia #iêmen #sudão

Embora a Arábia Saudita ainda não tenha uma data no calendário de eventos, as conversas no Twitter estão cheias de especulações:

@mkingscott [9]: RT @AhmedKhan01 Saudi Arabia, I think – then that will fall, hopefully. Revolution is never pretty or easy, we may be having one here soon ;-)

@Medros [10]: RT @SagibbsVentCo I would imagine the US would be all in on a revolution in Syria, Iran, or elsewhere. Now Iraq, Saudi Arabia, or other places?

@SaleemaGul [11]: @goldenrox77 Revolution in Saudi!! Wouldn't that be sweet! Let's have a #revolution from Pakistan to Saudi. Let's be free! #Egypt

@mkingscott [12]: RT @AhmedKhan01 Arábia Saudita, eu acredito – que vá cair, eu espero. Revolução nunca é bonita ou fácil, nós talvez tenhamos uma aqui logo ;-)

@Medros [13]: RT @SagibbsVentCo Eu imagino que os EUA dariam tudo por uma revolução na Síria, no Irã ou em outros lugares. Agora no Iraque, Arábia Saudita, ou em outros lugares?

@SaleemaGul [11]: @goldenrox77 Revolução na Arábia Saudita! Não seria delicioso? Vamos ter uma revolução do Paquistão à Arábia Saudita. Vamos ser livres! #Egito

Outros olham para os fatos:

@KidsHaveRights2 [14]: RT @Tharwacolamus: Age of Arab Rulers: Saudi 87, Egypt 83, Kuwait 82, Iraq 78, Algeria 74, Oman 71, Libya 69, Yemen 69, Sudan 67 #revolution

@KidsHaveRights2 [14]: RT @Tharwacolamus: Idade dos governantes Árabes: Arábia Saudita 87, Egito 83, Kuwait 82, Iraque 78, Argélia 74, Omã 71, Líbia 69, Iêmen 69, Sudão 67 #revolução

Baréin não está incluído no calendário original, mas a hashtag #feb14 está sendo objeto de conversas e comentários:

@TruthWitness [15]: 14th February 2011 Day of Anger in #Bahrain ! Let the #Revolution begin! http://www.youtube.com/watch?v=1zYw89v7g0U #Egypt #jan25

@TruthWitness [15]: 14 de fevereiro de 2011 Dia da Ira no Bahrein! Que a Revolução comece! http://www.youtube.com/watch?v=1zYw89v7g0U #Egito #jan25

De acordo com o calendário, a Síria deve ser o próximo acontecimento, mas as pessoas com que conversei na Síria são cautelosas.

Aqui uma seleção de reações da Síria:

@sy0free [16]: More security in the Syrian cities, the number of armed individuals protecting security branches has doubled, getting ready for #feb05

@Hamawii [17]: ppl in #Syria are you ready for #feb05 ?? i hope so :s ==> http://on.fb.me/fRuGkC

@sy0free [16]: Mais segurança nas cidades sírias, o número de indivíduos armados protegendo áreas de seguranã dobrou, se preparando para #fev05

@Hamawii [17]: Pessoas na Síria, estão preparadas para #fev05? Eu espero que sim :s ==> http://on.fb.me/fRuGkC

Enquanto isso, relatos continuam a fluir de levantes na Líbia [18] [en], Iêmen [19] [en] e Jordânia, cujo rei acabou de indicar um novo primeiro ministro [19].

Este post é parte de nossa cobertura especial Protestos no Egito em 2011 [1].