Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Tunísia: Temores de insegurança mancham a alegria da liberdade

No dia 14 de janeiro de 2011, o presidente Zine El Abidine Ben Ali fugiu de forma abrupta do país que ele governou impiedosamente por mais de duas décadas. O povo da Tunísia tomou as ruas para celebrar o alvorecer da nova independência. A euforia rapidamente deu lugar ao medo relacionado a questões de segurança. Espalharam-se notícias sobre vândalos que invadiram as principais cidades, saqueando lojas e casas e ateando fogo em propriedades e edifícios. O som de disparos ecoou nas ruas desertas da capital, enquanto o exército posicionava suas tropas em áreas estratégicas de Tunis. O clima entre os cidadãos ainda é de celebração. Eles formaram grupos de vigilância para defender suas famílias e propriedades. Alguns deles compartilharam suas impressões em blogs.

Foto: cortesia de Nawaat.org

Quando a noite cai e o toque de recolher é imposto, poucos se arriscam a sair de casa. Diferente deste homem, cuja celebração da liberdade o fez enfrentar seus medos para entoar: “Vida longa à Tunísia! Ben Ali fugiu! Não tenha medo! Nós estamos livres!” (vídeo [Ar] publicado no Youtube por Nawaat):

O blog Winds of Tunisia escreve [Fr]:

Un peu partout en Tunisie et de plus en plus à Tunis les sbires de Ben Ali organisés en bandes armées sement la terreur chez les citoyens.

Soit c’est leur dernière cartouche afin de créer le chaos dans la population pour un éventuel retour de Zinochet, soit c’est la politique de la terre brulée.

Ils tentent de s’introduire dans les habitations tout en ravageant les commerces.

Mais les citoyens s’organisent pour défendre leurs biens.

Soyez vigilants tous ensembles,éloigner les enfants, protéger les accès de vos habitations, le tout sans panique!

Em todo lugar na Tunísia e cada vez mais em Tunis, seguidores leais de Ben Ali, organizaram-se em grupos armados e estão espalhando terror entre os cidadãos.
Será esta a última cartada para criar o caos e assustar a população para preparar um possível retorno de Zinochet [Zine El Abidin Ben Ali comparado ao ditador chileno Pinochet], ou será a política de tocar fogo na terra?

Eles tentam invadir as casas enquanto outros estão destruindo o comércio.

Mas os cidadãos estão se organizando para defender suas propriedades.

Vamos vigiar todos juntos, manter as crianças longe, proteger as entradas das nossas casas, tudo sem pânico!

O blogueiro Khannouf convoca as pessoas a agir em conjunto e se organizar [Fr]:

[H]ier au soir dans la ville de Bizerte, des citoyens ont arrêté une camionnette banalisée dans la quelle des policiers armés [responsables] de pillage et terrorisaient les gens. La milice du RCD, les responsables du ministère de l’intérieur sont les seuls qui ont les moyens aujourd’hui de faire ce qui est entrain d’être fait. Il ne faudrait pas que la révolution soit trahi, soyons responsable ! Alors dressons nos listes, placardons des photos dans les rues, organisons en comité de quartier pour protéger non seulement nos vies, nos biens, mais aussi nos dispensaires, nos hôpitaux, nos lycées et tous les autres locaux de notre administration qui renferment encore des archives utiles pour savoir qui a fait quoi. Notre mémoire, toute notre mémoire même les traces des malversations sont dans ces archives et il est logique qu’il y ait qui voudrait les faire disparaitre.

Ontem à noite na cidade de Bizerte, cidadãos pararam uma van na qual prenderam policiais armados responsáveis por saquear e aterrorizar as pessoas. As milícias do RCD [o partido do ex-presidente] e funcionários do Ministério do Interior são os únicos que possuem os meios para promover isso. Nós não deveríamos permitir que alguém traia a revolução. Vamos ser responsáveis! Então vamos preparar nossas listas, colocar nossos cartazes nas ruas, organizar comitês no bairro para proteger não apenas nossas vidas, nossas posses, mas também nossas clínicas, nosssos hospitais, nossas escolas e todos os edifícios de nossa administração que ainda podem abrigar arquivos utéis que nos ajudarão a saber quem fez o quê. Esta é nossa memória. Traços de ação ilegal estão nos arquivos e é lógico que algumas pessoas vão querer fazê-los desaparecer.

A blogueira e colaboradora do Global Voices, Lina Ben Mhenni, foi esta manhã a Kabbaria, no subúrbio de Tunis para investigar as notícias sobre um ataque armado contra o bairro. Ela descreve a situação lá [En]:

I had to stop in many roadblocks . Indeed, the kabbaria's inhabitants were watching their families, houses and properties as several criminal groups have been attacking different cities in Tunisia after the collapse of Ben Ali's regime. I knew that early in the morning a young man from the Kabbaria was killed by 3 men in an ambulance belonging to Aziza Othmana hospital […] The inhabitants said that they arrested one of the gangsters who were in the ambulance . They discovered that they belong to the presidential guard. In fact, they found the identity card of one of them.

Eu tive que parar em muitas barricadas nas ruas. De fato, os moradores de Kabbaria estavam protegendo suas famílias, casas e propriedades já que vários grupos criminosos têm atacado diferentes cidades na Tunísia depois do colapso do regime de Ben Ali. Eu soube que naquela manhã mais cedo um jovem de Kabbaria foi morto por três homens numa ambulância pertencente ao Hospital Aziza Othmana […] Os moradores disseram que eles prenderam um dos membros do grupo que estava na ambulância. Eles descobriram que o grupo pertencia à guarda presidencial. Na verdade, eles encontraram o cartão de identificação de um deles.

O blogueiro Unlucky Luke explica que, apesar dos temores, o clima ainda é positivo [Fr]:

Aujourd'hui, malgré l'anarchie et le chaos, on respire, on est mieux, je vois des gens sourire dans la rue, malgré le fait que personne n'est content de la tournure, plus de sécurité, pénurie des aliments essentiels, mais ça valait la peine et le Dictateur est parti. Plus de Ben Ali, plus de Trabelsi, plus de corruption ( malgré qu'il reste quelques brebis gâleuses dans les administrations), plus de pression…. Libre, comme l'air qu'on respire, comme l'eau du fleuve qui accoure vers la mer…Libre

Hoje, apesar da anarquia e do caos, nós respiramos, estamos no lucro, eu vejo pessoas sorrindo nas ruas. Apesar do fato de ninguém estar feliz com o rumo dos eventos, com a falta de segurança, a carência de produtos essenciais, muitos pensam que valeu a pena. O ditador se foi. Não há mais Ben Ali, não há mais Trabelsi [a família dominadora da esposa do ex-presidente], não há mais corrupção (embora ainda existam algumas maçãs podres no governo), não há mais pressão… Nós somos livres como o ar que respiramos, a água que corre no rio… Livres.

Ismail El Hamrouni pede união e cautela [Ar]:

- كونوا يدا واحدة و لاتخافوا كنا رجال في وقت الشدائد وكذلك سنكمل ماتخافوش ولموا رواحكم لجان شعبيّة تتكون من ابناء وشباب قراكم و مدنكم لنتصدى لكل الخونة و الرعاع .
– لا تصدقوا الإشاعات ولاتساهموا بنشرها وخاصة على الشبكات الاجتماعية لانها وان صدق بعضها فإنها تروع الناس .
- Por favor, fiquem de mãos dadas e não tenham medo. Nós fomos corajosos na adversidade antes e continuaremos a ser. Formem comitês populares com a participação da juventude nas suas cidades e vilas para enfrentar todos os traidores e desordeiros.
– Não acreditem em boatos e não ajude a disseminá-los, especialmente nas redes sociais, pois mesmo que sejam verdadeiros eles apenas aterrorizam a população.

Mas as coisas estão melhorando, como o blogueiro Kiffe Grave aponta [Fr]:

[N]otre quartier a recommencé à vivre. Des voisins qui ne se connaissaient pas il y a de ça quelques jours, se sont unis pour se protéger mutuellement.

[N]os nuit depuis 3 jours sont les mêmes: ça tirait de quelques endroits bien précis, on entendait des cris au loin, les hélicoptère survolaient les alentours,… mais El Hamdou l’Ellahy tout va bien.

A la peur des premières nuits à rapidement pris le dessus une farouche envie de se battre et de se protéger. Les barrières sont tombé et tout le monde la main dans la main sans aucunes arrières pensées avons pris les choses en main.

Nous avons érigé des barricades aux différents points d’accès de la cité. Des groupes de 20 personnes s’y trouvant armés de pierres, de massues, de haches,… et de gsm car nous sommes tous reliés entre-nous et nous faisons passer l’information. Nous avons posté des sentinelles sur les toits avec des jumelles,… Bref notre cité est hermétique.

Notre but est simple nous défendre et apporter assistances aux forces de l’odre.

Ce soir, retour aux barricades! Fier de notre pays, fier de nous tous.

A vida voltou de novo ao nosso bairro. Vizinhos que não se conheciam antes estão unidos para proteger uns ao outros.

Nossas três últimas noites foram iguais: disparos ouvidos à distância, era possível ouvir gritos à distância também, o som do helicóptero voando por ali, mas também … El Hamdou Ellahy [oração a Deus].

O medo das primeiras noites está rapidamente sendo substituido pelo forte desejo de lutar e nos proteger. As barreiras psicológicas entre as pessoas se foram e todos trabalham de mãos dadas com o vizinho para ter o poder de ação em suas próprias mãos.

Nós erguemos barricadas em vários pontos de entrada da cidade. Grupos de 20 pessoas estão a postos, armados com pedras, lanças, bastões e… GSM. Sim, porque estamos todos conectados uns aos outros e passamos informações uns para os outros. Colocamos sentinelas nos telhados com binóculos… Nossa cidade está protegida.

Nosso objetivo é simplesmente defender a nós mesmos e oferecer ajuda às tropas.

Esta noite nós retornamos às barricadas! Orgulhosos de nosso país, orgulhosos de todos nós.

1 comentário

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.