Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Blogosfera australiana discute Cancún

Blogueiros australianos têm estado a refletir sobre os primeiros dias da Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas, em Cancún.

Giles Parkinson, na página Climate Spectator, oferece um relatório detalhado sobre o material da conferência, atualizado em 3 de dezembro. Ele reflete sobre o que muitos têm questionado – o custo da conferência:

One of the hot topics among official parties on the endless bus trips to and from the COP16 venues has been the cost of this business. Anyone who thought that a country that offers a basic wage of $5 a day to its own population, and $40-a-day-all-you-can-drink holidays to US college students, might be less costly than the notoriously expensive Copenhagen, has been mistaken.
Cancún Calling: One small step

Um dos tópicos quentes entre as delegações oficiais nas jornadas sem fim no transporte que as leva e traz das reuniões da COP16 tem sido o custo da empreitada. Quem pensou que um país que oferece salário mínimo de 5 dólares por dia e pacotes de férias de 40-dólares-por-dia-bebida-liberada a universitários estadunidenses gastaria menos que a notoriamente cara Copenhague, cometeu um engano.
Cancún Chamando: Um pequeno passo [en]

John Passant vem com sua perspectiva socialista no En Passant. Ele conclui uma longa argumentação a convocar para uma ação “de baixo para cima”:

We can’t wait in vain for President Obama or other politicians to do it for us. Ordinary people must step onto the stage of history to organize to force the change that we want to see and that is so urgently needed.
Cancún: Climate inaction conference

Não podemos ficar aguardando que o Presidente Obama e outros políticos ajam por nós. Pessoas comuns devem dar um passo para o palco da história e organizar uma pressão pela mudança que queremos ver e que é tão urgente.
Cancún: Conferência da Inação Climática[en]

O título do post de Waterdragon no North Coast Voices é um estraga-surpresas, mas é também um chamado para ação política:

…individual responsibility does not stop with reducing our personal carbon footprints, it extends to voting out of office every politician who blocks legitimate legislative response to global warming or seeks to water down bills addressing climate change so that carbon-reliant energy companies and industry can continue ‘business as usual’.
Cancún Climate Change Conference: yada, yada, yada

…responsabilidade individual não se encerra com redução de pegadas de carbonos, ela se estende para o voto que retira aqueles políticos que bloqueiam respostas legítimas do Legislativo ao aquecimento global ou que procuram diluir leis decisórias sobre mudanças climáticas, para que companhias e empresas de energia dependentes de carbono possam tocar seu negócio ‘como de costume’.
Conferência de Mudança Climática de Cancún: yada, yada, yada [en]

O “negotiator tracker” (em tradução livre, um rastreador de negociações) da Austrália, Philip Ireland, encara as discussões sobre o Protocolo de Quioto com um pouco de otimismo:

Cancún must include a mandate to continue negotiations towards a comprehensive and legally-binding outcome including in the Kyoto Protocol. Developing countries are anxious to see progress on a second commitment period of the Kyoto Protocol after the first period ends in 2012. Many development countries, whose people are most vulnerable to the impacts of climate change, will not accept a final agreement unless it includes the Kyoto Protocol as it includes important provisions such as adaptation assistance.
Kicking Kyoto around in Cancún

Cancún precisa adicionar um mandato para prosseguir com as negociações em direção a um resultado abrangente e juridicamente vinculante que seja incluído no Protocolo de Quioto. Países em desenvolvimento estão ansiosos para ver progresso na segunda fase de compromisso do Protocolo de Quioto, depois que a primeira fase terminar em 2012. Muitos países em desenvolvimento, cujas populações são mais vulneráveis aos impactos de mudanças climáticas, não vão aceitar um acordo final que não considere o Protocolo de Quito, já que este inclui importantes provisões, como assistência para adaptação.
Quioto é chutado para todo lado em Cancún [en]

O blog coletivo Larvatus Prodeo tem atualizações regulares sobre a COP16. O último balanço dá conta de notícias boas e ruins:

Is baseload power necessary?

Now here’s some good news. Baseload power may not be necessary.

David Mills, solar energy technology developer, has developed a new model for an energy system that does away with the conventional design of massive baseload infrastructure.

Republicans axe US climate change committee

US president Barack Obama’s Republican foes in the House of Representatives say they are disbanding the chamber’s committee on battling global warming, calling it a waste of money.

That’s definitely not good news.
Climate clippings 5

Uma usina para geração básica de energia é necessária?

Aqui vem uma boa notícia. Uma usina para geração básica de energia pode não ser necessária [en].

David Mills, produtor de tecnologias em energia solar, desenvolveu um novo modelo de sistema de energia que dispensa o design convencional de grandes infraestruturas de geração básica de energia.

Republicanos racham o comitê de mudança climática americano

Os adversários republicanos do presidente americano Barack Obama na Câmara dos Representantes dizem que estão a dissolver o comitê de combate ao aquecimento global [en], taxando-o de desperdício de dinheiro.

Definitivamente, não é boa notícia.
Clippings sobre clima 5 [en]

A Australian Youth Climate Coalition – AYCC (em tradução livre, “Coalizão da Juventude Australiana pelo Clima”) conta com 13 pessoas em Cancún. Eles apelaram para o governo australiano:

…to implement a carbon price that is in line with the science and fulfills our international responsibility – this means a carbon price that achieves an emissions reduction target that is substantially higher than 5%.

… to reaffirm its commitment to take on binding targets in a second commitment period under the Kyoto Protocol.

… [to remove] loopholes in the system set up to account for emissions reductions in the forest and land sectors.
AYCC’s policy platform at the UN

…implementar um preço sobre o carbono que esteja de acordo com a ciência e com nossa responsabilidade internacional – quer dizer, preço que atenda à meta de redução de emissões substancialmente maior que 5%.

…reafirmar seu compromisso em assumir metas vinculativas na segunda fase de compromisso do Protocolo de Quioto.

…[remover] as brechas do sistema em curso para contabilizar a redução de emissões em florestas e setor imobiliário.
Plataforma de medidas da AYCC na ONU [en]

A última palavra vem de “Proud Aussie Infidel”, do blog RightJab, em nome dos céticos sobre o clima:

The publicity surrounding Copenhagen was massive and its ultimate failure was a wonderful result to behold.
Cancun, the latest attempt by the UN to impose a world government on us all, has been a fizzler from the start.
Except for the attendees, perhaps, who look to be having a carbon blowout, wow of a time.
Time to give up on Climate Change, Biodiversity here we come.

A publicidade em torno de Copenhague foi enorme e seu subsequente fracasso foi um formidável resultado a vislumbrar.
Cancún, a mais recente tentativa da ONU de impor um governo mundial sobre nós, tem sido um fiasco desde o início.
Exceto talvez para os participantes, que parecem estar tendo um “arroubo de carbono”, curtindo o agito do momento.
Hora de desistir de Mudança Climática; Biodiversidade, aqui vamos nós. [en]

1 comentário

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.