Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Tanzânia: Dar Sketches, de blog a livro

Dar Sketches [en] é um blog de desenhos e escrita criativa inspirados pela cena urbana de Dar es Salaam, maior cidade da Tanzânia. Ao fim do projeto, o blog será transformado em um livro.

Histórico do projeto:

O projeto começou a partir do interesse nos prédios antigos do centro de Dar es Salaam, e do desejo de retratar um pouco da essência deles antes que fossem demolidos. Como artista e ilustradora, acredito que desenhos conseguem capturar uma imagem diferente e, algumas vezes, mais vibrante do que fotografias. Enquanto a arquitetura oferece o contexto, a vitalidade da cena urbana de Dar, por si só, é um mundo maravilhoso, farto e peculiar. Por isso os desenhos evolveram para incluir cenas urbanas completas, além de retratos de vendedores ambulantes, dadadalas [os táxis coletivos típicos da cidade], bicicletas sobrecarregadas, arte de rua e muito mais.

‘Street level’ [Nível Urbano] pretende ser um espaço para escrita criativa sobre Dar es Salaam. Contos, poemas, reflexões ou mesmo duas linhas de pensamento e fatos interessantes serão recebidos com gratidão e levados em consideração. Os escritos podem ser inspirados pela arte ou vice-versa.

Sobre a blogueira:

Sarah Markes trained at Central St. Martins in London as an illustrator and graphic designer. She has lived in Dar es Salaam for the last seven years, working on an array of educational and creative projects.

The writers

‘Street level’ will feature a selection of contemporary creative writing by Tanzanian and international authors who live and work in the city. 15 writers have already expressed an interest in the project with several others contemplating it!

Sarah Markes formou-se no Central St. Martins, em Londres, como ilustradora e designer gráfica. Ela mora em Dar es Salaam há sete anos, trabalhando em uma gama de projetos educacionais e criativos.

Os escritores

‘Street level’ trará uma seleção de textos criativos contemporâneos escritos por autores da Tanzânia e de outros países que trabalham e moram na cidade. Quinze escritores já demonstraram interesse no projeto, enquanto vários outros estão contemplando a ideia!

O livro será dividido em oito seções:

The content

1. KARIBU BONGO: Welcome to Dar

2. STREET SCENE: Urban space and the architecture of Dar

3. STREET LIFE: The people of Dar

4. STREET TRADE: Vendors galore and more

5. STREET CUISINE: Tanzanian tastes

6. STREET TRANSPORT: People and goods on the move

7. STREET GREEN: The natural environment of Dar

8. STREET STYLE: Dar heritage at risk

Conteúdo

1. KARIBU BONGO: Bem-vindo a Dar

2. STREET SCENE [Cena Urbana]: Espaço urbano e arquitetura de Dar

3. STREET LIFE [Vida Urbana]: O povo de Dar

4. STREET TRADE [Negócios Urbanos]: Vendedores ambulantes e outros

5. STREET CUISINE [Cozinha Urbana]: Os sabores da Tanzânia

6. STREET TRANSPORT[Deslocações Urbanas]: Pessoas e coisas em movimento

7. STREET GREEN [Verde Urbano]: O meio ambiente de Dar

8. STREET STYLE [Estilo Urbano]: O patrimônio ameaçado de Dar

Alguns dos desenhos que aparecem no blog:


Homenagem aos vendedores ambulantes:

"In Praise of Street Vendors", por Sarah Markes

Some grumble about the space taken up by assorted vendors on Dar’s crumbling pavements or the apparent disarray of the city’s myriad street stalls, but how can you not be grateful for all the goods and services that are at your fingertips in every part of the city? Whether it’s an icy cold bottle of water thrust through your window in traffic, that Arsenal sticker you have always wanted or your bicycle tyre repaired in minutes, Dar’s thriving street trade can provide.

Alguns reclamam da falta de espaço nos passeios esfacelados de Dar tomados pela multidão de ambulantes, ou da aparente desordem da multitude de barracas de vendas, mas como não deixar de agradecer todos os produtos e serviços que estão ao seu alcance em qualquer lugar da cidade? Seja uma garrafa de água gelada jogada através da sua janela no tráfego, aquele adesivo do Arsenal que você sempre quis ou o pneu da sua bicicleta consertado em questão de minutos, é possível encontrar tudo no próspero comércio ambulante de Dar.

Sou Machinga [gíria para vendedor ambulante em suaíli]:

"I am Machinga" por Sarah Markes

The sweet, sticky heat makes my clothes stick to my skin. I am damp to the touch, dripping with the unavoidable refuse of my art. Yes, I am an artist my friend, although you may not think so. How else can you explain what I do? I walk the town like a vagabond of the vanguard, a viscous fluid in the arteries of Bongo streets, providing for your every need.

All it takes is a single look, you know the one, while you inch along in the snaking foleni [queue] hoping for some form of respite, and you pleadingly glance out your half-rolled down window, I see the yearning in your eyes. Before you even know what it is that you desire, I will be there, with karanga na maji [groundnuts and water] and perhaps a cigarette or two. I will provide. You take what I offer with subtle contempt, annoyed that I know you better than yourself, but alas, what is an artist to do?

Excerpt from ‘I am machinga’ by Hafiz Juma

O doce calor pegajoso faz a roupa grudar na minha pele. Fico úmido ao toque, pingando com o inevitável recharçamento da minha arte. Sim, amigo, sou artista, embora talvez não creias nisso. De que outra forma posso explicar o que faço? Ando pela cidade como um vagabundo da vanguarda, um fluido viscoso nas artérias das ruas de Bongo, atendendo a todas as suas necessidades.

Basta um único olhar teu, tu sabes qual, enquanto rastejas ao longo da serpenteanda foleni [fila] esperando algum tipo de trégua, e em teu olhar suplicante para fora da janela meio aberta, vejo a vontade em teus olhos. Antes mesmo de tu saberes o que desejas, estarei lá, com karanga na maji [amendoin e água] e talvez um cigarro, ou dois. Eu fornecerei. Pegas o que ofereço com um sutil desprezo, irritado por eu te conhecer melhor do que conheces a ti próprio, mas para que mais serve um artista?

Trecho de ‘I am machinga’ de Hafiz Juma

Esquina iluminada:

"Light Corner" por Sarah Markes

“Dar’s street scenes tell a story of the city’s history, its people and their livelihoods – of the original inhabitants of Mzizima, the Sultans from Oman, the Germans, the British, the Indians, waves of immigrants from rural Tanzania and its surrounds.”

“A cena urbana de Dar conta a história da cidade, de seu povo e do modo de vida dele – dos habitantes originais de Mzizima, dos sultões de Oman, dos alemães, ingleses, indianos, das ondas de migrantes de zona rural da Tanzânia e suas cercanias.”

O prédio Reheman:

"Reheman Building in Dar Es Salaam", por Sarah Markes

“Do you have a favourite building or place in Dar es Salaam that you think i should draw? If so, do let me know…
Wouldn’t this building make a wonderful studio, coffee shop, book shop, lounge bar… oh dreamy on…”

“Você tem algum prédio ou local favorito em Dar es Salaam que eu deva desenhar? Se tiver, permita-me saber…
Esse prédio não daria um maravilhoso estúdio, cafeteria, livraria ou bar lounge… pode sonhar…”


Laranjas verdes
:

"Green Oranges" por Sarah Markes

“Juice dribbles slowly down his chin as he grins at me. Otherwise motionless, he carefully sucks every last piece of the fruit without breaking his smiling gaze. Sparkly eyes above a sun faded yellow football shirt. The dark ‘Fly Emirates’ slogan yells silently from his chest.

Casting the skin aside he finally turns and rearranges the baskets on his bicycle, crammed full with sweet green oranges to sell in town.

‘Fly Emirates’ is emblazoned across his back as well. This sinew limbed cyclist farmer, advertising one of the richest airlines in the world. His shirt has already travelled thousands of miles more than he ever will. I doubt he even has a passport, let alone anything more tangible than distant dreams of flight.”

“Suco goteja vagarosamente pelo queixo enquanto ele sorri para mim. Imóvel, se não fosse por isso, ele cuidadosamente chupa cada pedaço restante da fruta sem interromper o olhar sorridente. Olhos brilhantes sob uma camisa de futebol solamarela desbotada. O slogan escuro ‘Fly Emirates’ gritando silenciosamente em seu peito.

Jogando a casca fora, ele se vira por fim e arruma a cesta da bicicleta, cheia de doces laranjas verdes para vender na cidade.”

“‘Fly Emirates’ também está estampado em suas costas. Este agricultor ciclista, de membros musculosos, segue fazendo propaganda de uma das mais ricas companhias aéreas do mundo. Sua camiseta já viajou milhares de milhas a mais do que ele virá a passear um dia. Duvido até que tenha passaporte, quem dirá algo mais tangível do que sonhos distantes de um vôo.”

Normalhaueser:

Normalhaueser por Sarah Markes

“Built between 1891 and 1893 and originally called the ‘Normalhaueser’ this elegant building currently houses the commercial High Court.

(Info from ‘A Catalogue of the Protected Buildings in Dar es Salaam’ prepared by Sustainable Cities: PLUS Network Africa Program.)”

“Construído entre 1891 e 1893 e originalmente chamado de ‘Normalhaueser’, esse prédio elegante agora abriga a divisão de comércio da Corte Superior.

(Dados do catálogo de prédios protegidos de Dar es Salaam (‘A Catalogue of the Protected Buildings in Dar es Salaam’) preparado pelo Programa Cidades Sustentáveis: PLUS Network Africa.)”

Compras no trânsito:

"Shopping in traffic", por Sarah Markes

“One of the only redeeming features of Dar traffic, as far as i can tell, is the chance to peruse and haggle over all sort of wares… sunglasses, bandannas, stickers, towels, phone chargers, perfume, electric fans, maps, newspapers, cashew nuts, car polish, car jacks, wheel spanners, bags of apples and my all time favourite – nodding dogs… though i havn’t seen those for a while alas.”

“Uma das poucas compensações do trânsito de Dar, até onde eu sei, é a oportunidade de olhar e pechinchar tudo quanto é tipo de coisa… óculos escuros, bandanas, adesivos, toalhas, carregadores de celular, perfumes, ventiladores, mapas, jornais, castanha, polimento de carro, macaco de veículos, chave inglesa, sacos de maça e o meu preferido de todos os tempos – cachorrinhos que balançam a cabeça… embora tenha um tempinho que não os veja.”

* Todos os links levam a posts em inglês.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.