Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Arábia Saudita: País Onde as Mulheres Serão Subordinadas Para Sempre

A Arábia Saudita está a par e passo com a modernidade e a blogueira Eman Al Nafjan diz-nos como.

Sabia que a Arábia Saudita tem um serviço local que permite ao Ministro dos Negócios Estrangeiros enviar mensagens de texto a um guardião sempre que uma “subordinada” deixa o país?

E que estes “guardiães” são pais e maridos, ou na sua ausência, irmãos  e que a palavra “subordinadas” refere-se às esposas, filhas e irmãs?

Eman faz uma pausa nas férias para deixar o relato:

I am currently on a family vacation in Italy but I had to post what the Ministry of Foreign Affairs sent my husband. Apparently they have a new service where they send the male guardian a text every time a “dependent” leaves the country. They don’t state which country the dependent left for but simply state that they did leave. My husband tells me he got the same text when I left for Germany.

Estou actualmente em Itália de férias com a minha família mas tinha de escrever que o Ministro dos Negócios Estrangeiros enviou o meu marido. Aparentemente, o ministério tem um novo serviço em que enviam ao guardião um texto sempre que a “subordinada” deixa o país. Não declaram para que país foi a subordinada. Dizem apenas que saiu. O meu marido disse-me que recebeu a mesma mensagem quando viajei até à Alemanha.

Ela acrescenta:

I am an adult woman that has been earning my own income for over a decade now but according to the Saudi government, I am a dependent till the day I die because of my gender.

Sou uma mulher adulta que ganha o seu próprio salário há mais de uma década, mas segundo o governo Saudita, sou subordinada até morrer devido à minha condição de mulher.

Este pequeno post abriu a caixa de Pandora e atraiu 93 comentários até à data. Os comentários vão desde mensagens de apoio até ao questionamento de questões religiosas aos leitores que partilharam experiências similares.

Kha mostra-se surpresa e escreve:

My goodness. They send text messages? It’s amazing how a country can get with the times in terms of technology but be COMPLETELY behind in terms of gender and sex equality. Huh.

Meu Deus. Eles enviam mensagens? É impressionante como um país pode acompanhar a modernidade tecnológica, mas estar COMPLETAMENTE atrasado no que se refere ao género sexual e à igualdade entre os sexos. Hum.

A leitora que se intitulou de  Health Practitioner partilha também a sua experiência com viagens dizendo:

I was travelling with my mother who is 60 that time and we discovered that the permission has expired, the officer told me, it is okay if the female above 50 she can travel without a permission!!!

what shocks me more; that lots of female doctors and Phd holders cannot travel to attend any conference or event without getting a permission from her male guardian who could be 21 years old but useless or younger than her.

for me, this is real tragedy when well-educated depended females cannot even visit a Saudi gov. office without their guardian not to mention travelling abroad..

Eu estava a viajar com a minha mãe que tinha 60 anos na altura e descobrimos que a autorização tinha expirado, o agente da polícia disse-me que está tudo certo se  a mulher tem mais de 50 anos e que pode viajar sem autorização!!!

O que mais me choca; que muitas mulheres médicas e com PhD não possam viajar para participarem de alguma conferência ou evento sem terem a autorização de um guardião que pode ter 21 anos, ser um inútil ou mais novo do que ela…

isto para mim é uma verdadeira tragédia, quando mulheres com formação não podem sequer visitar um escritório do governo Saudita sem o seu guardião, já para não falar nas viagens ao estrangeiro…

Om Lujain acrescenta:

I think they each chose whatever age they want to as my mom is 54 and still needs permission from her younger brother (she is divorced) to travel, and still has to travel with a paper giving her permission from said younger brother.

And you are correct, it is a tragedy when a grown women cannot make her own decisions and must in essence beg her brother/son/father/husband for whatever she needs.

Acho que eles escolhem a idade ao acaso. A minha mãe tem 54 anos e ainda precisa de autorização de um irmão mais novo (ela é divorciada) para viajar e ainda tem de viajar com um papel autorizado pelo irmão mais novo.

E estás certa, porque é uma tragédia quando uma mulher adulta não pode tomar as suas próprias decisões e deve básicamente, implorar ao irmão/filho/pai/marido o que quer que seja.

Entretanto, Hala diz que estes recursos, utilizados para controlar as mulheres da Arábia Saudita deviam ser investidos no desenvolvimento das infraestruturas do país. Hala escreve:

To think of all the money and planning that go to follow up on women, while our infra-structure is messy and collapsing with the some rainfall, someone up there got their priorities mixed…

E pensar em todo o dinheiro e planejamento necessários para seguir estas mulheres, enquanto as nossas infraestruturas são confusas e prestes a cair em colapso com as chuvas. Alguém lá em cima tem as suas prioridades trocadas…

Fawad faz de advogado do diabo e afirma não encontrar nenhum problema em enviar mensagens ao guardião:

its just a arrivals and departures,SMS servise.Whats the big deal? lol

é como as chegadas e partidas, serviços SMS. Qual é o problema? lol

Mas Kha não leva o comentário na brincadeira e contesta:

It is a big deal because it is basically a tracking system. Why shouldn’t someone be able to make decisions on their own without anyone knowing? Doesn’t a woman, or ANYONE, have a right to privacy? These text messages imply that these women are so helpless or dumb that the husbands need to keep a watchful eye. You know who you need to keep a watchful eye on? Children. Grown women who are professionals are NOT children. They should send text messages if a child leaves the country alone, not a grown woman!

É um problema porque estamos a falar basicamente de um sistema de rastreamento. Porque é que alguém não pode ser capaz de tomar as suas decisões sem o conhecimento de outrém? Será que as mulheres e TODA A GENTE não têm direito à privacidade? Estas mensagens sugerem que as mulheres são indefesas ou idiotas a ponto de precisarem ter os maridos a tomarem conta delas. Sabes quem é que precisa de vigilância? As crianças. As mulheres adultas com profissão NÃO são crianças. Eles devem enviar  mensagens de texto caso uma criança deixe o país sozinha e não uma mulher adulta!

Jenna lança uma nova proposta para o debate:

You know I also want a tracking system for my husband…everytime he talks to some strange woman or flirts with a woman… I want an SMS!

Sabem, eu também quero um sistema de rastreio para o meu marido…sempre que ele fala com uma mulher estranha ou flerta com alguma…eu quero uma SMS!

Para reacender o debate, eis mais um comentário desta vez lançado por Vicks:

Interesting article !!! What amazes me is the fact that though most of the comments on this article suggest they dislike this idea (and many others alike)applied by the Saudi govt but they fail to show the slightest dissent to the authorities or show any form of protests ( where are the womens rights activists or the muslim rights groups in this case?)……
Wouldnt at all be surprised that had any western govt did the same to muslim women in their countries,,,, the same people will be rallying outside chanting discrimination and islamophobia !!!!

Que artigo interessante! O que me espanta é o facto de que apesar da maioria dos comentários a este artigo sugerirem aversão a esta idéia (e muitos outros semelhantes) aplicada pelo governo da Arábia Saudita,  nenhum mostra a miníma dissidência em relação às autoridades ou revela a menor forma de protesto (0nde estão as activistas dos direitos das mulheres ou dos direitos muçulmanos neste caso?)…

Não ficaria surpresa se por acaso algum governo ocidental fizesse o mesmo às mulheres muçulmanas que vivem nesses países…essas mesmas pessoas farão protestos cantando contra a discriminação e a islamofobia!!!

Ari apela à revolução:

I am waiting for the day that these Saudi princesses of privilege actually DO something to set themselves free, rather than merely complaining all the time.

In the west, both women of privilege and social position as well as ordinary women and even men marched, protested, were arrested and imprisoned where many suffered abuse such as being force fed—all to get equality and the right to vote.

When Saudi women, as well as other Muslim women and men, are willing to pay the price for equality then they will get it. In the meantime, some will take vacations in the free world, while their less privileged sisters and brothers continue to suffer.

Until then, happy shopping!

Aguardo pelo dia em que estas privilegiadas princesas Sauditas  tenham que FAZER realmente alguma coisa para se libertarem, em vez de passarem a vida a queixarem-se.

No ocidente, tanto as mulheres privilegiadas e de boa posição social, assim como a mulher comum e até homens, marcharam, protestaram, foram detidos e encarcerados e muitos sofreram abusos como o de serem alimentados à força – tudo para terem direito ao voto e à igualdade.

Quando as mulheres Sauditas, assim como as mulheres e homens Muçulmanos, estiverem dispostas a pagar o preço pela igualdade então elas tê-la-ão. Até lá, algumas vão tirar férias no mundo livre enquanto as suas irmãs e seus irmãos menos privilegiados continuarão a sofrer.

Até lá, boas compras!

Para mais reacções, leia por favor os comentários no post original. A Eman também escreve e dá seguimento aqui.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.