Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Fotos de blogs afegãos, para além da Guerra e dos Wikileaks

Ao publicar fotos retratando vários outros aspectos do país, os blogueiros afegãos revelam um Afeganistão para além da guerra e dos Wikileaks.

Nasim Fekrat, um blogueiro premiado, nos revela [en] os dois semblantes do Afeganistão. O lado bonito – o das belezas naturais – e o lado “feio” do país – o da pobreza.

A beleza do Afeganistão

Band-e Amir Lake, photo is copyright Nasim Fekrat (use only with permission)

Lago Band-e Amir. Foto de Nasim Fekrat (direitos autorais reservados, publicada com permissão)

Nasim escreve [en]:

Band-e Amir was to become Afghanistan’s first national park in the 1960s, but due to the instability of the Kabul government at the time, this did not happen. In 2004, Band-e Amir was submitted for recognition as a World Heritage site. In 2008, Band-e Amir was finally declared Afghanistan’s first national park.

Band-e Amir deveria ter se tornado o primeiro parque nacional do Afeganistão nos anos 60, mas isso não aconteceu devido à instabilidade do governo de Cabul na época. Em 2004, Band-e Amir foi sugerido para tombamento como Patrimônio Cultural da Humanidade. Em 2008, Band-e Amir foi finalmente declarado o primeiro parque nacional do Afeganistão.

Ele também retrata a luta da população carente:


Grim picture of life, near the giant Buddhas of Bamiyan, a rare archaeological site. Photo copyright Nasim Fekrat (used with permission)

Triste retrato da vida, perto das estátuas gigantescas dos Budas de Bamiyan. Foto Nasim Fekrat (direitos autorais reservados, publicada com permissão)

O blogueiro diz [en]:

Many of the impoverished families living in the caves say they are too poor to live anywhere else even though the government insists that they are doing damage to an the area, near the giant Buddhas of Bamiyan, which is a rare archaeological site. All are refugees who fled areas of fighting during the Taliban era, and have now returned from the other parts of Afghanistan. The cave dwellers are all Hazara, who are religiously and ethnically distinct and survivors of intense persecution by the Taliban.

Muitas das famílias carentes que vivem nas cavernas se dizem pobres demais para morar em outro lugar, mas mesmo assim o governo insiste que elas estão danificando uma área perto das estátuas gigantescas dos Budas de Bamiyan, que é um raro sítio arqueológico. Todos são refugiados fugitivos de zonas de combate durante a era Talibã, e que agora voltaram de outras partes do Afeganistão. Os moradores das cavernas são todos do povo Hazara, que é distinto em termos religiosos e étnicos, e sobrevivente da grande perseguição promovida pelo Talibã.

Asadollah Habibzadeh, jornalista e blogueiro especializado em fotos com base em Herat, no Afeganistão, compartilha [fa] várias fotos da cidade onde mora.

Exposição de caricaturas na Biblioteca de Herat:

As fotos nos levam a uma jornada pela terceira maior cidade do Afeganistão, retratando desde a indústria da apicultura [fa] até uma conferência feminina [fa] na cidade de Herat.

1 comentário

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.