Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

El Salvador: 30º Aniversário do Assassinato de Oscar Romero

Todos os anos, em 24 de março, o povo de El Salvador e em todo o mundo comemora a vida do arcebispo Oscar Romero, assassinado por pistoleiros enquanto celebrava a missa na capela de um hospital de San Salvador. Acredita-se que ele tenha sido alvejado por suas crenças manifestas contra a repressão do governo salvadorenho que tinha cometido violações dos direitos humanos durante a Guerra Civil, em curso durante aqueles anos.

Photo by Global Opportunity Garden and used under a Creative Commons license.

Foto de Global Opportunity Garden. CC

Tradicionalmente, o mês de março tem sido o mês em que os eventos são realizados para homenagear Romero, e o ano de 2010 é muito especial, porque marca o 30º aniversário do assassinato. Carlos X. Colorado postou um guia no Tim's El Salvador Blog sobre o que esperar durante as comemorações, incluindo uma possível declaração do Vaticano, o que poderia fornecer uma pista sobre o estado atual do processo de beatificação. Ele também acrescenta que esta celebração é única porque:

Thirty will be the largest round-number yet associated with a Romero anniversary, and the rise to power of the Left, with a President (Mauricio Funes) who openly touts Romero as his moral guide, raise a lot of expectations about the magnitude of this year's event.

Trinta será o maior número redondo associado a um aniversário de Romero, e da ascensão ao poder da esquerda, com um presidente (Mauricio Funes) que abertamente tem Romero como seu guia moral, levanta uma série de expectativas sobre a magnitude do evento do ano.

No entanto, há outra notícia que está atraindo a atenção dos blogueiros salvadorenhos. Um dos conspiradores do assassinato, Álvaro Rafael Saravia, um ex-oficial das Forças Armadas de El Salvador foi entrevistado pela revista online El Faro [es]. Na entrevista, Saravia revelou mais detalhes do assassinato. Mesmo que Saravia não tenha fornecido novas informações, como apontou Reyzope do blog El Trompudo [es], a entrevista foi interessante porque Saravia implicou, com nomes, os que estiveram envolvidos. Grande parte das informações foram descobertas a partir de documentos não classificados e de investigações conduzidas por Comissões da Verdade. No entanto, agora existem declarações públicas em primeira mão das pessoas envolvidas com o assassinato:

lo nuevo en todo esto es que uno de los participantes del asesinato, Saravia, incrimina a sus complices, a todo un grupo de personalidades públicas en este asesinato. Sus cómplices indirectos, gente que aún tiene participación en la cosa política y económica, […] Entonces, estos ya no son simples rumores, y las declaraciones pueden ser utilizadas como prueba en una eventual investigación y juicio que se inicie, si se quiere, para deducir responsables.

o que há de novo em tudo isso é que um dos participantes do assassinato, Saravia, incriminou seus cúmplices, acima de tudo, todo um grupo de figuras públicas neste assassinato. Seus cúmplices indiretos, gente que ainda participam da política e na área economia  em coisas políticas e econômicas, […] Então, eles deixaram de ser meros boatos e as declarações podem ser usadas como prova em uma eventual investigação e julgamento que se inicie, se quiserem, para deduzir os responsáveis.

El Faro liberou um vídeo com o audio da entrevista, acompanhado de legendas em inglês:

Alguns blogueiros aproveitaram a oportunidade para postar poemas sobre Romero, como este [es] de Chichipate Canaverales e este poema [es], escrito por “Mariposa” no Blog da Sura.

Um blogueiro, Raúl Fuentes, do blog Hunnapuh [es] tinha apenas 11 anos de idade quando Romero foi assassinado, mas ele lembrou de seu contato direto com Romero, quando Fuentes era membro de um coral infantil na comunidade de Santiago de Maria, no Departamento de Usulután, onde Romero servia como bispo daquela diocese. Fuentes lembra: “A imagem que eu tenho (de Romero) é que ele era uma pessoa muito humilde e alegre, e estava sempre de bom humor.” No entanto, ele escreve sobre o que ele se lembra sobre aquela noite em 24 de março de 1980 [es]:

Cuando a los 11 años en una noche de marzo por eso de las 8 de la noche dieron la noticia en la radio de que lo habian asesinado, senti un estupor, casi no lo podia creer pero ya a esa edad sabia que matar en El Salvador de esa epoca era cosa de todos los dias.

Quando, aos 11 anos, em uma noite de março por volta das 8 horas da noite, deram a notícia no rádio de que o haviam assassinado, senti um estupor, quase não podia acreditar, mas já nesta idade [eu] sabia que matar na El Salvador da época, era coisa de todos os dias.

À medida em que o tempo passa, muitas pessoas relembram Romero pelo que foram ensinadas na escola e pelas histórias que lhes foram passadas por seus pais e avós. Seu legado tem motivado os salvadorenhos a seguir seu exemplo, como os pensamentos que postou Pocote sobre o que Romero significa para os salvadorenhos [es]:

A monseñor Oscar Arnulfo Romero le debemos los salvadoreños, los amantes de la justicia, de la solidaridad, de la paz social y del bien común, un fervor esencial y el ejemplo constante de una actitud: si renovó la palabra, el mensaje de la voz para los sin voz, el cumplir exactamente con el testimonio cristiano, no fue menos por su compromiso genuino con los humildes y desheredados que por su limpieza de ánimo, su generosidad y su desprendimiento. Los adjetivos no sobran: monseñor Romero fue un sacerdote bueno, tanto como el marquesote y un profeta excepcional.

Con el magnicidio de Monseñor Oscar Arnulfo Romero, todos los salvadoreños perdimos algo. Su desaparición física nos concierne y nos compromete: el fue un profeta, honrado, humilde, inteligente, talentoso y cordial.

Ao monsenhor Oscar Arnulfo Romero, devemos nós, os salvadorenhos, os amantes da justiça, da solidariedade, da paz social e do bem comum, um fervor essencial e o constante exemplo de uma atitude: se renovou a palavra, a mensagem de voz para aqueles sem voz, o cumprir exatamente com o testemunho cristão, não foi menos por seu verdadeiro compromisso com os pobres e deserdados que por sua pureza de espírito, sua generosidade e altruísmo. Não existem adjetivos suficientes para descrevê-lo: o monsenhor Romero foi um bom sacerdote e um profeta excepcional.
Com o assassinato do monsenhor Oscar Arnulfo Romero, todos os salvadorenhos perderam algo. Seu desaparecimento físico nos preocupa e nos obriga: ele era um profeta, honesto, humilde, inteligente, talentoso e simpático.

1 comentário

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.