Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Cidades do Curdistão iraniano em greve em protesto contra execuções

A vida chegou a um impasse em várias cidades curdas no Curdistão iraniano e em outras províncias enquanto empresas e lojas entraram em greve na quinta-feira, 13 de maio, para protestar contra a execução de quatro prisioneiros curdos – Farzad Kamangar, Ali Heidarian, Farhad Vakili e Alam Shirin Holi – na manhã do dia 09 de maio de 2010. Várias organizações de direitos humanos acusam o Irã de torturar dissidentes para confessar seu envolvimento com organizações terroristas.

Enquanto a mídia iraniana não relatou nenhuma notícia do Curdistão, cidadãos curdos forneciam informação enquanto fotografavam e gravavam vídeos das cidades sonolentas.

Esta é Sanandaj, o centro do Curdistão Iraniano, filmado na quinta:

Saman Rasoulpour publicou diversas fotos de Sanandaj no dia da greve:

E aqui podemos ver lojas fechadas em Mehabad, outra cidade curda.

Havayeh Tazeh escreve [fa]:

The strike has paralysed cities in Kurdistan. Another 12 Kurdish prisoners may face execution soon. They do not have any access to lawyers and their only hope is us.

A greve paralisou as cidades do Curdistão. Outros 12 prisioneiros curdos talvez enfrentem execuções em breve. Eles não tem qualquer acesso à advogados e suas esperanças somos nós.

Dulatmeli acrescenta que quinta marcou mais um dia de bravura na história curda.

1 comentário

  • Cidades do Curdistão iraniano em greve em protesto contra execuções…

    A vida chegou a um impasse em várias cidades curdas no Curdistão iraniano e em outras províncias enquanto empresas e lojas entraram em greve. Enquanto a mídia iraniana não relatou nenhuma notícia do Curdistão, cidadãos curdos forneciam informação enqua…

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.