Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Quirguistão: Mantendo a Calma

Etno-nacionalismo. Ele começa com argumentos sobre a língua e acaba com conflitos sobre terra. Normalmente, o período entre ambos é salpicado com mentiras. Por esta razão, o papel desempenhado pelas organizações de mídia independente online como Kloop.kg de separar o fato da desinformação é crucial no Quirquistão atualmente.

A cobertura em primeira mão dos comícios que aconteceram na vila de Mayevka foi [ru] equilibrada e responsável, em nítido contraste com um excesso de informações que havia surgido em fóruns de Internet e agências de notícias estrangeiras no mesmo dia, afirmando que as manifestações foram um atentado premeditado contra a minoria étnica russa da aldeia.

Rumores de que uma escola no norte da cidade de Kant tinha sido incendiada e que confrontos étnicos estavam acontecendo em Bishkek provaram ser falsos..

No entanto, cinco pessoas de diferentes etnias perderam suas vidas nos comícios em Mayevka, fornecendo  provas – se alguma era necessária – de que a condição pós-revolucionária deste país da Ásia Central ainda está longe de ser estável.

E enquanto o sensacionalismo e histeria distorcem a imagem global ao ponto de [chegar a] extremos, exemplos de sentimentos nacionalistas e discriminatórios podem ser encontrados em outras partes do país. Sergey Vysotsky [ru], um jornalista baseado na cidade de Karakol, região de Issyk-Kul, relata sobre o exercício de exclusão deliberada de jornalistas não-quirguizes, falantes de russo, em uma conferência de imprensa com o novo governo local. Em um artigo intitulado “A nova visão do novo governo” Vysotsky escreve [ru]:

The Press Conference held for Karakol journalists with the governor of Issyk-Kul region, Mirbek Asanakunov… turned into a noisy debate, and almost grew into a scandal.

Participating Russian-speaking journalists asked to meet in an accessible language throughout, but faced a lack of understanding of their views on the part of the new leadership of the Kyrgyz language journalists and newspapers.

“Any person living in Kyrgyzstan is obliged to know the Kyrgyz language,” said the regional correspondent of the newspaper Kyrgyz Tuusu, Jeenbaev Turk. “It is time to hold all meetings only in the national language. “

A conferência de imprensa para os jornalistas de Karakol com o governador da região de Issyk-Kul, Mirbek Asanakunov … transformou-se num debate espalhafatoso, e quase virou um escândalo.

Jornalistas participantes de língua russa pediram para que se falasse em uma linguagem acessível por toda parte, mas enfrentaram uma falta de compreensão de suas ideias por parte da nova liderança dos jornalistas e jornais de língua quirguiz.

“Qualquer pessoa que vive no Quirguistão é obrigada a conhecer a língua quirguiz”, disse o correspondente do jornal regional Kyrgyz Tuusu, Jeenbaev Turk. “Está na hora de se realizar todas as reuniões apenas na língua nacional. “

Vysotsky acrescenta que a conferência de imprensa continuou sem o uso de um intérprete para os jornalistas que não falavam quirguiz.

O russo permanece como a língua “oficial” do Quirguistão enquanto o quirguiz é a língua do “Estado”. Apenas 68,9% da população é etnicamente Quirguiz, relativamente poucos em comparação com outras e mais homogêneas nações da Ásia Central, e grande parte da população da capital Bishkek considera o russo como sua primeira língua. Além disso, devido à sua predominância durante o período soviético, muitas minorias étnicas têm sido educadas para falar russo, não quirguiz.

Para aqueles interessados na situação da propriedade da terra no país, um artigo bem fundamentado escrito [ru] pelo blogueiro Akyikat sob o título “Pare de se agachar!” fornece uma visão interessante sobre alguns dos diversos interesses envolvidos na apreensão e ocupação do solo, um tema que está chegando à linha de frente da vida política no Quirguistão no momento. Concluindo, o autor faz um apelo para que o governo provisório mova-se rapidamente sobre o assunto:

“Please initiate a moratorium on the granting of land plots for individual housing construction and start a mortgage program for the erection of a multi-storey public housing! We want to live in a beautiful city and not be afraid to visit all its parts,” the user posts in reference to the recent instability in some of the capital Bishkek's surrounding villages.”

“Por favor iniciem uma moratória sobre a concessão de terrenos para construção de moradias individuais e comecem um programa de hipotecas para a construção de uma habitação pública com vários andares! Nós queremos viver em uma cidade bonita e não ter medo de visitar todas as suas partes”, o usuário publica em referência à recente instabilidade em alguns dos vilarejos ao redor da capital Bishkek.”

No entanto, outros usuários estão trocando essas questões de peso totalmente, escolhendo, ao invés, celebrar a chegada da Primavera neste espetacularmente belo e montanhoso país.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.