Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Tailândia: ‘Vermelhos’ realizam grande passeata

11 de Março: Os Camisas Vermelhas estão chegando! [en]
13 de Março: Calmaria antes da tempestade?

Os anti-governistas Camisas Vermelhas, na Tailândia, deram até meio-dia do dia 15 de Março para o Primeiro Ministro Abhisit Vejjajiva dissolver o parlamento e convocar novas eleições. Os Camisas Vermelhas fizeram o ultimato domingo, no centro de Bangkok, enquanto prometem agregar mais seguidores caso Abhisit não atender às demandas.

Apesar do calor de verão, pelo menos cem mil pessoas marcharam nas ruas de Bangkok no domingo. De acordo com os noticiários, os “bandos rurais” adentraram a capital com 13.385 pick-ups, 3.385 carros, 36 caminhões, 60 ônibus, 17 tratores e-tan, 137 motocicletas, 115 vans e três viagens de trem. Muitos manifestantes também viajaram de barco. Organizadores esperam alcançar a meta de um milhão de pessoas nos próximos dias.

Muitos Camisas Vermelhas são apoiadores do Primeiro Ministro afastado, Thaksin Shinawatra, mas nem todos são fãs do líder fugitivo que recentemente foi julgado culpado por corrupção. Os Camisas Vermelhas integram a Frente Unida da Democracia Contra Ditadura (United Front of Democracy Against Dictatorship, em inglês, com a sigla UDD), que trabalha para que o regime apoiado pelo militares de Abhisit seja substituído por um novo governo democrático.

Abhisit garantiu à população que o governo não usará força sem necessidade para controlar passeatas. No entanto, o blog Life in Bangkok (Vida em Bangkok) destacou que o número de  forças de seguranças aumentou na capital.

…an additional nine companies of security personnel (were) deployed, with the number of police and military units near the rally site rising to 42 companies… I wonder how long until the security apparatus outnumber the protesters, … ? More troops were also sent to reinforce the 11 Infantry Regiment in Bang Khen where the government has set up a peacekeeping and monitoring command center”

…um adicional de nove empresas de segurança privada (foi) mobilizado, com o número de unidades policiais e militares próximas ao lugar da caminhada subindo para 42… Me pergunto quanto falta até que o contingente de segurança ultrapasse o número de manifestantes, … ? Mais tropas também foram enviadas para reforçar o 11º Regimento da Infantaria, em Bang Khen, onde o governo montou um centro de comando de manutenção de paz e monitoramento”

The Bangkok Bugle esteve [en] na passeata de 14 de março:

I'm home after spending a couple of hours walking up and down Rajadamnoen Avenue in Bangkok where most the red-shirt anti-government protesters are gathering. It's hard to estimate just how many people, but for certain the numbers are growing by the hour. Policing is light and the mood of the protesters, at least when I was there, was jovial although seemingly determined.

Estou em casa após passar algumas horas andando na Avenida Rajadamnoen, em Bangkok, onde a maioria dos Camisas Vermelhas anti-governistas estão se encontrando. É difícil estimar a quantidade de pessoas, mas com certeza o número aumenta a cada hora. O policiamento está tranquilo e o temperamento dos manifestantes, pelo menos quando estive lá, era jovial, apesar de visivelmente determinado.

Um leitor do Bangkok Pundit ressaltou que o manifestantes Camisas Vermelhas foram saudados calorosamente por muitos residentes de Bangkok:

To me, the most interesting thing to observe were the ordinary Thais — vendors, people coming out of their shops, and people streaming from smaller sub-sois to watch — along the street who were not wearing red, but were cheering as well, and as the convoy of thousands finished the protest and started driving along Sukhumvit, these same un-red-shirted people waved and called out to the departing Reds. Also, a surprising number of people driving private cars, honked their horns and waved and smiled at the Reds as they drove past. Many men and women not wearing who had just come out to the street to watch were waving whatever red things they could find as the Reds departed: red shopping bags, faded Coke signs, I even saw a red sock!

Para mim, o mais interessante em observar foi que tailandeses comuns – vendedores, pessoas saindo de suas lojas, pessoas aparecendo de ruelas e becos  – estavam na rua, sem vestir vermelho, mas ainda assim participando, e quando o comboio de milhares terminou o protesto e começou a percorrer a Sukhumvit, essas pessoas não-camisas-vermelhas acenaram e se despediram dos Vermelhos. Além disso, um surpreendente número de pessoas dirigindo carros particulares buzinou, acenou e sorriu para os Vermelhos, enquanto passavam por eles. Muitos homens e mulheres sem vermelho que tinham acabado de chegar à rua para assistir estavam acenando qualquer coisa vermelha que encontrassem enquanto os Vermelhos partiam: sacolas de compra vermelha, imagens da Coca-cola, e vi até uma meia vermelha!

Reações e acompanhamentos no Twitter:

photo_journ: Number of redshort supporters & ordinary Thais lining da river is astounding. HUGE numbers. Small boats & jetski's joining
newley: Very difficult to navigate area in front of stage. Crowded. Took me 10 minutes to go less than 100 meter
tulsathit: Thaksin said he never intended to overthrow monarchy. “Only the ammart (royal advisers) that I want to overthrow”.
bangkokpundit: RT @tri26: Majority of protesters are NOT poor farmers but are middle class, @thaicam concurs
Saksith: RT @TAN_Network: Thammasat University cancels classes at Ta Phrachan campus Mar 15-16 due to red shirt protests
_Willowtree_: Ch 3 saying that the Red shirt medic group RSR found numbers of Rally goers are sick with food poisoning

photo_journ: Número de apoiadores Camisas Vermelhas & tailandeses comuns às margens do rio foi impressionante. GRANDES números. Barquinhos jetskis participaram
newley: Muito difícil transitar na área na frente do palco. Lotado. Demorei 10 minutos para andar menos de 100 metros
tulsathit: Thaksin disse que ele nunca pretendeu derrubar a monarquia. “Somente os ammart (conselheiros reais) que quero derrubar”.
bangkokpundit: RT @tri26: Maioria dos manifestantes NÃO é de fazendeiros pobres, mas de classe média, @thaicam concorda
Saksith: RT @TAN_Network: Universidade Thammasat cancela aulas no campus Ta Phrachan dias 15-16 de Março por causa de protestos dos Camisas Vermelhas
_Willowtree_: Ch 3 dizendo que o grupo médico RSR dos Camisas Vermelhas descobriu participantes da passeata doentes com infecção alimentar

O tweet que menciona a maioria dos manifestantes como da classe média contesta o estereótipo das notícias que os manifestantes eram principalmente do meio rural.

Rally

Comício dos Camisas Vermelhas. Foto por Newley

redshirts

Passeata dos Camisas Vermelhas. Foto por Newley

Political Prisoners in Thailand ficou desapontado com a maneira que a imprensa de massa local [en] tratou as passeatas:

PPT doubts that many of Bangkok’s population will ever know what is being said at the rally apart from the call for the government to call an election. The media are doing a remarkably poor job of reporting what is happening, even to the point of hardly showing the crowds assembled and, as far as we can tell, no attempt to present the views of those in the huge crowd. Most of this crowd present a profile that is very different from the “average Bangkokian.” That might seem a slightly odd statement, but there is a clear difference. It is not so much an ethnic difference, although that’s there; and it is not simplistic rich vs. poor; it is, we suspect, basically a class difference. Bangkok is very quiet outside the rally area. They’ll only be getting pro-government views from television and will never hear the issues involved, let alone understand them.

PPT duvida que a maioria da população de Bangkok algum dia irá saber o que tem sido dito nas passeatas, além da exigência que o governo convoque eleições. A imprensa está fazendo um trabalho marcadamente pobre de relatar o que está acontecendo, chegando ao ponto de pouco mostrar as multidões reunidas e, até onde sei, nenhuma tentativa de mostrar as visões dos que estão na multidão. Boa parte dos participantes tem um perfil muito diferente do “Bangkokiano comum”. Pode parecer uma frase um pouco estranha, mas há uma diferença clara. Não é tanto uma diferença étnica, apesar de existir; e não é uma relação simplista rico vs. pobre; é, suspeito eu, basicamente uma diferença de classe. Bangkok está muito quieta fora da área da passeata. E eles só receberão visões pró-governo pela televisão e nunca ouvirão sobre as questões envolvidas – muito menos entendê-las.

Thaksin, que se descreveu como um símbolo de democracia e é líder respeitado por muitos Camisas Vermelhas, dirigiu-se à multidão com um discurso por telefone. Saiyasombut traduziu [en] um pedaço do discurso:

“My dear people, there have been news spread that I’m supposed to be in Cambodia. I’m in Europe! I’m here to meet my children, who were attending a trade show in Germany so we’re going to meet in Europe. It is not true that I would be in Cambodia, because I don’t want tarnish the relationships between the two countries. What is for granted is that wherever I am, I can call in. Wherever I am I can video-link to you. (…) So stop with that lie!”

Meu povo querido, noticiários disseram que eu deveria estar no Camboja. Estou na Europa! Vim para ver meus filhos, que participaram de um encontro sobre comércio na Alemanha e vamos nos encontrar na Europa. Não é verdade que eu estaria no Camboja, porque não quero manchar as relações entre os dois países. Posso garantir que, de onde eu estiver, posso aparecer. De onde eu estiver, posso mandar mensagem de vídeo (…) Então parem essa mentira!

Gavin Gough percebeu a passeata com uma “atmosfera de carnaval” [en]:

Whilst yesterday’s protests had the feel of a holiday carnival, there was a subtle shift in the mood overnight. Red Shirt organisers and their armed guards have a look of steely determination behind their smiles and the on-stage rhetoric was dialled up several notches this afternoon. Whatever happens, Day Three promises to give the first indications of which way the political wind is going to blow.

Enquanto os protestos de ontem deram sensação de carnaval, houve uma sutil mudança no temperamento na noite passada. Os organizadores dos Camisas Vermelhas e seus guardas armados têm um olhar de determinação ferrenha por trás de seus sorrisos, e a retórica no palco foi aperfeiçoada à tarde. Aconteça o que acontecer, Dia 3 promete dar os primeiros indícios nos rumos que o vento político vai seguir.

There Live [en] e Thailand Voice [en] agrupam os posts de blog e as reações do Twitter mais relevantes sobre as passeatas dos Camisas Vermelhas no fim-de-semana. Fotos das passeatas estão disponíveis em PantipPrachatai, Media140Cod has been here, e outra do Prachatai.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.