Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

China: Jornalistas se unem para exigir renúncia de governador

Uma revolta geral continua a se espalhar, após o incidente em que o governador da província de Hubei Li Hongzhong [de] arrancou [en] um gravador das mãos do repórter Liu Je entre sessões de uma Lianghui [en].

Nota do editor: O termo “Lianghui”, que significa literalmente “duas organizações, refere-se na China atual à Assembleia Popular Nacional e à Conferência Consultiva Política do Povo Chinês, maiores organizações em termos de decisões políticas de nível nacional.

Pegando a deixa de um discurso do Primeiro Ministro Wen Jiabao no Ano Novo Lunar sobre a necessidade da população por maior dignidade [en] e de outro na semana anterior pedindo maior supervisão pública sobre o governo, foi que jornalistas, acadêmicos e outras pessoas pelo país lançaram uma petição exigindo a renúncia de Li Hongzhong.

A isso se seguiu uma crescente demanda por desculpas de Li, como no editorial de 8 de Março (agora harmonioso [zh]) da revista Caijing – “Governador Li, poderia por favor se desculpar?” -, principalmente depois que ele se recusou a fazê-lo. Sophie Beach, do China Digital Times, tem um apanhado completo [en] dos vários lados da história.

camisa

“This ‘Two Sessions’ recorder is stealing-, grabbing- and governor-proof, perfect for you female reporters…”

“Este gravador ‘Duas sessões’ é à prova de roubo, de confisco e de governador, perfeito para vocês, repórteres mulheres…”

A petição foi lançada na manhã de sábado com nomes proeminentes e mais de 200 assinaturas no total até a última contagem; e o número continua crescendo num tópico do Google Buzz, onde há uma versão da petição traduzida para o inglês, em que se lê:

In their many weighty opinions on this matter, those from both the news and academic worlds speak now with the same voice, having found, in the shared shame this incident has brought upon them, the resolve to unite in condemning the terrific impact the Li Hongzhong incident has had. Regardless of your medium, be that newspaper, magazine, television, radio or microblog, or be you journalist from north or south, please do not hesitate in your resolve to continue reporting this story as it develops, as this is a battle for all of our rights.

We look to news workers to raise your arms and voice your concerns, at the same time that we welcome citizens to second the points made within this petition. Our tolerance has run its length and extends no further. People need to be reminded that journalists still exist in this world, as well as to be reminded what being a journalist means; more importantly, people need to know that their civil rights still belong to them and them alone. Having witnessed senior official Li's rage, the time has now come for him to see and hear the fury of the news media profession and how far that fury has now spread.

Entre as muitas opiniões de peso sobre o assunto, aquelas dos mundos da mídia e da academia agora falam a mesma voz, nessa vergonha compartilhada que o incidente gerou, tendo decidido pela união para condenar o terrível impacto do incidente com Li Hongzhong. Independente do meio, seja jornal, revista, TV, rádio ou microblog, quer você seja um jornalista do norte ou do sul, por favor não hesite em continuar relatando essa história enquanto ela se desenrola, porque esta é uma batalha para todos os nossos direitos.

Queremos que os trabalhadores da imprensa levantem seus braços e verbalizem suas preocupações, ao mesmo tempo em que convidamos os cidadãos a considerarem os destaques desta petição. Nossa tolerância já se foi e não há como segurar. As pessoas precisam ser lembradas que jornalistas ainda existem neste mundo, e também sobre o que significa ser jornalista; mais importante, as pessoas precisam saber que seus direitos civis ainda pertence a eles e somente a eles. Testemunhando a fúria do representante Li, momento chegou para ele ver e ouvir a revolta dos jornalistas e o quão disseminada ela já está.

Mo Zhixu, escritor, blogueiro, twitteiro e editor de Beijing, oferece outra perspectiva à reação contra Li:

12:38 AM Mar 12th 我觉得吧,省长抢笔事件在推特上也不要太追究了,说到底这事情跟新闻自由也没多大关系,不过是地方大员藐视了一哈中央媒体权威,如果两会自由采访,抢笔事件才与自由言论有关吧

Acredito que, com o incidente do Governador Li tomando o gravador portátil, as pessoas no twitter não deveriam levar isso muito longe. No fim das contas, não tem muito a ver com liberdade de imprensa; é só uma questão de um chefão do governo local ser insolente com a autoridade da imprensa oficial do governo. Se houvesse de fato liberdade de imprensa na Lianghui, então tomar o gravador portátil de alguém seria questão de liberdade de expressão.

12:39 AM Mar 12th 没日人民报的证件,连被抢的资格都没有,所以,这事件提升到新闻自由的高度,我看也不靠谱

Se você não porta uma identidade da People's Daily, então você nem se qualifica para ter seu equipamento de gravação tomado. É por isso que acredito que é sem fundamento jogar com isso como questão de [violação de] liberdade de imprensa.

1:04 AM Mar 12th 我并没有说不应该关注抢笔事件,我只是强调,这事情跟新闻自由关系不大。通过掩盖当下媒体的权力属性,将这个事件包装成新闻自由事件,在我看来是不成立的

Não estou dizendo que não se deva atentar para o incidente do gravador portátil roubado; estou só enfatizando que não é muito questão de liberdade de imprensa. É difícil fazer disso um caso se você nega o poder que [certos] meios de comunicação atualmente têm e reformulam isso como um incidente de liberdade de imprensa.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.