Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Tailândia: “Estamos cansados do Ministério da Cultura”

“We're sick of Ministry of Culture in Thailand”

“Estamos cansados do Ministério da Cultura da Tailândia”

Esta página de fãs no Facebook foi criada por internautas que estão criticando os métodos e as políticas do Ministério da Cultura da Tailândia. O Ministério tem sido rigoroso na promoção e acompanhamento da cultura tailandesa autêntica em sites da mídia de massa e da nova mídia. Até o momento, a página tem 2.857 fãs.

thailand-210x300

A página do Facebook foi também uma resposta à reação exagerada de funcionários do Ministério à um tópico de discussão iniciado por um de seus funcionários no popular portal da web Pantip. A intenção da equipe era solicitar o feedback das pessoas sobre o desempenho do ministério. O fórum gerou um debate interessante, incluindo críticas construtivas sobre o trabalho do ministério. Mas funcionários do ministério não gostaram dos comentários negativos. O ministério forçou seu próprio funcionário a revelar sua identidade e emitir um pedido público de desculpas.

Sampan Ruksa, o funcionário do ministério que iniciou a discussão online, escreveu uma carta de desculpas por seus atos. Ele começou por apontar que não queria causar desrespeito ao ministério por iniciar uma discussão na Internet no Pantip, uma vez que é um website popular e confiável.

Pantip is a top tier, high quality Thai web board. The respondents on the web board are members of the site who must submit their national ID card number or show their IP address. Discussion on this web board is more polite than on other web boards.

O Pantip é um fórum tailandês de alta qualidade. Os indivíduos que respondem no fórum são membros do site, e que devem apresentar o número do cartão de identidade nacional ou mostrar o seu endereço de IP. Discussões neste fórum são mais corteses do que em outros fóruns.

Sampan pediu desculpas aos seus superiores e colegas de ministério:

I, Mr. Samphan Ruksa, started discussion threads at the beginning of last month on the web boards of Pantip.com, Larn Dham Sewana, and MThai. I contacted the Larn Dham Sewana administrator at the beginning of last month to request the thread be deleted.

I believe that my actions have had no benefit to the Cultural Monitoring Office, and worse, have caused discouragement and unease to the staff members who work therein. I hereby accept that my actions were due to my ignorance, inexperience, foolishness, and an incomplete understanding of their work process. In addition, I acted without consulting my superiors, acted beyond my duties, without judgment, and inappropriately, by allowing the outside public to criticize the Office's work too intrusively, to the point of criticizing specific individuals.

Thus, I, as the one who caused the damage, hereby take responsibility, admitting that my actions were unwitting. I apologize to each staff member of the Cultural Monitoring Office. I realize that the policies and the work of each staff member benefit our society and nation. They are determined and diligent, enduring difficulties and fatigue, and are very dedicated to their work. I am sorely grieved.

Eu, o Sr. Samphan Ruksa, iniciei tópicos de discussão no início do mês passado nos fóruns de Pantip.com, Larn Dham Sewana e MThai. Entrei em contato com o administrador do Larn Dham Sewana no início do mês passado para solicitar que o tópico seja excluído.

Acredito que minhas ações não tiveram nenhum benefício para o Escritório de Monitoramento Cultural (Cultural Monitoring Office), e pior, causou desânimo e desconforto para os membros da equipe que trabalham no órgão. Eu, portanto, aceito que minhas ações foram devido à minha ignorância, inexperiência e insensatez, e uma incompleta compreensão de seu processo de trabalho. Além disso, agi sem consultar meus superiores, agi além de minhas funções, sem julgamento, e de forma inadequada, permitindo que o público externo criticasse tão intrusivamente o trabalho do Escritório, a ponto de criticar indivíduos específicos.

Assim, eu, sendo aquele que causou o dano, declaro assumir a responsabilidade, admitindo que minhas ações foram inconscientes. Peço desculpas a cada membro da equipe do Escritório de Monitoramento Cultural. Eu percebo que as políticas e os esforços de cada membro da equipe beneficiam a nossa sociedade e nação. Eles são determinados e diligentes, resistentes à dificuldades e fadiga, e são muito dedicados ao seu trabalho. Estou extremamente aflito.

Kong Rithdee, em seu blog Bangkok Post, criticou as reações dos funcionários do ministério

The more the conservative wing of the ministry — which is the dominant wing — continues to display their pathetic inability to understand what's going on outside their self-constructed cocoon of “morality” and “values”, the more they're feeding the bonfire of frustration and radicalism. The more rabidly they want to censor, the more they'll drive people to hatch underground vendetta — and the power of technology will be on their side.

Poor ministry. They still don't get it that the most important culture is the culture of constructive criticism and free expression.

Quanto mais a ala conservadora do ministério – que é a ala dominante – continuar a exibir sua patética incapacidade de compreender o que está acontecendo fora do seu casulo auto-construído de “moralidade” e “valores”, mais eles estão alimentando a fogueira de frustração e de radicalismo. Quanto mais violentamente eles querem censurar, mais eles conduzem às pessoas a incubar uma vigança subterrânea – e o poder da tecnologia estará ao lado destas pessoas.

Pobre ministério. Eles ainda não entenderam que a cultura mais importante é a cultura da crítica construtiva e livre expressão.

Comentando na página do Facebook, Natnaree Uriyapongson dá este conselho:

The Ministry of Culture should do something about the many prostitutes swarming our country instead of turning a blind eye and using it to “help and promote” our economy!!

O Ministério da Cultura deve fazer algo sobre as muitas prostitutas aglomerando nosso país, em vez de fechar os olhos e usá-las para “ajudar e promover” a nossa economia!

Na Tailândia, os cidadãos podem discar um número para se queixarem de imagens, espetáculos e eventos que não representam a cultura tailandesa. O Thai Film Journal relata:

Call 1765. In Thailand that's the number to dial if you see or hear anything that might be deemed inappropriate — beauty queens in non-Thai costume, nipple slips, offensive love songs or a film — anything you think hinders social development, the Nation and “fine Thai culture”.

“Disque 1765. Na Tailândia, este é o número a ser discado se você ver ou ouvir qualquer coisa que possa ser considerado inadequada – rainhas de beleza em trajes não-tailandeses, nipple slips (top less), filmes ou canções de amor ofensivas – qualquer coisa que você pense que dificulta o desenvolvimento social, a Nação e a “encantadora cultura tailandesa”.

A  “força policial de cultura” na Tailandia é composta de 1,3 milhões de voluntários de 4.825 redes de todo o país que acompanham programas de TV, sites e eventos midiáticos que ofendem e prejudicam a cultura tailandesa.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.