Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Haiti: Le Cap Haitian envia algumas notícias

Quarta-Feira, 13 de janeiro: o dia seguinte ao terrível terremoto de 7 graus que deixou o Haiti em uma situação indescritível, a Radio Kiskeya fala dos problemas de comunicação [fr] que a ilha segue enfrentando:

Aucune station de radio ni de télévision n’est disponible en Haïti ce matin. Le local de Radio Kiskeya est endommagé. Le système téléphonique est hors service.

Não há estação de rádio ou TV funcionando no Haiti nesta manhã. O escritório da Rádio Kiskeya sofreu danos. A rede telefônica está fora de fincionamento.

No entanto, o blog haitiano de Le Cap Haitien, o Le Réseau Citadelle conseguiu publicar notícias tão logo o desastre de 12 de janeiro ocorreu. Aqui está a resposta dada pelo blogueiro a alguém preocupado com a situação [fr]:

Nous attendons des nouvelles de Port-au-Prince. C'est le pays tout entier qui souffre de la situation à la capitale. Chaque famille à au moins un parent à Port-au-Prince et les nouvelles sont très mauvaises.

Estamos aguardando notícias de Porto Príncipe. O país inteiro está sofrendo com o que ocorreu na capital. Cada família tem pelo menos um parente em Porto Príncipe e as notícias não são boas.

De manhã cedo, o blog Le Réseau Citadelle publicou um post entitulado “Nouvelle depuis Carrefour” (Notícias de Carrefour), no qual um homem chamado Patrick Jean Baptiste fala sobre a situação naquele bairro pobre de Porto Príncipe:

Grande désolation à Carrefour, plusieurs maisons effondrées dont des bâtiments publics comme le Collège Catherine Flon.

Grande devastação em Carrefour, várias casas desabaram, entre elas prédios públicos como o Collège Catherine Flon.

Ele mostra as dificuldades de comunicação que as pessoas estão enfrentando – mesmo em áreas que em condições normais não seriam distantes:

Elles tentent même de joindre leurs proches dans d'autres quartiers de Port-au-prince, sans succès en raison des problèmes de communication. Ce qui ajoute à leurs inquiétudes déjà grandes.

Eles [moradores de Carrefour] estão tentando entrar em contato com seus parentes em outros bairros de Porto Príncipe, sem sucesso, dados os problemas de comunicação. Isso aumenta ainda mais a preocupação.

Patrick Jean Baptiste também expressa uma compreensível ânsia de ver as coisas avançarem:

Il serait temps de tout faire pour rétablir les liaisons téléphoniques et faire parvenir de l'aide à Carrefour qui est gravement touchée.

É hora de fazer tudo o que for possível para consertar a rede telefônica e trazer assistência a Carrefour, que foi seriamente atingido.

No começo da manhã, Le Réseau Citadelle também publicou algumas das primeiras fotos tiradas em Porto Príncipe.

Mais tarde na quarta-feira, o blogueiro publicou o testemunho de um habitante de Pétionville/Delmas, chamado Alexandre, cuja conclusão resume claramente a situação [fr]:

On doit avoir les nerfs très solides pour assister au peu que j'ai vu.

As pessoas tem que ter nervos muito fortes para ver o pouco que vi.

Aparentemente, Alexandre caminhou pelas ruas, tentando achar alguns amigos e ele diz [fr]:

Jusqu'a présent pas de nouvelles de Michel Guerrier qui était coincé dans le building de la Dinasa au bas de delmas, ils étaient 8 a y être coincés, six ont pu être dégagés, a 2h am Michel et un autre étaient toujours coincés à l'intérieur et communiquaient par coups avec les sauveteurs.

Até agora nenhuma notícia de Michel Guerrier que estava soterrado no edifício Dinasa, em Delmas. Havia 8 deles soterrados lá, 6 foram resgatados. Às duas da manhã, Michel e um outro ainda estavam soterrados, e se comunicavam com a equipe de resgate por meio de batidas.

Apesar disso, ele dá uma informação tranquilizadora:

Le centre de Pétion- Ville n'a pas subi de grand dommages, presqu'intact à part quelques maisons. Galerie Rivoli et d'autres immeubles semblent intacts.

O centro de Pétion-Ville sofreu poucos danos, está quase intacto exceto por algumas casas. A Galeria Rivoli e outros prédios parecem intactos.

Finalmente, mais tarde, Le Réseau Citadelle retransmitiu a sugestão de um médico para cuidar das vítimas do terremoto em outros hospitais da ilha, em vez de esperar por ajuda humanitária internacional [fr]:

Envoyez les blessés dans le nord et dans tous les autres centres disponibles. Nous sommes prêts à les servir. Je pense que la majorité des médecins de ce pays pensent la même chose que moi. Nous avons été formés dans ce pays, par les ressources de ce pays, donnez nous les médicaments et les matériels nécessaires pour que nous puissions servir.

Enviem os feridos para o norte e para todos os outros centros de saúde disponíveis. Estamos prontos para cuidar deles. Penso que a maioria dos médicos do país pensa a mesma coisa que eu. Fomos treinados neste país, com os recursos disponíveis neste país. Dêem-nos as ferramentas e medicamentos necessários, e então poderemos ajudar.

A página de Cobertura Especial do Global Voices Online sobre o terremoto do Haiti está aqui [en].

3 comentários

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.