Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

EUA, Singapura: A respeito da compra de noivas com cartões de crédito

O blog Human Trafficking [Tráfico de Humanos, en] por Amanda Kloer – hospedado em Change.org, nos Estados Unidos – declarou vitoriosa [en] sua campanha para que empresa de cartões de crédito Diners Club International [en] parasse de fazer negócios com uma empresa de Singapura que vende noivas vietnamitas por encomenda. Mais de 800 pessoas assinaram um abaixo-assinado para fazer com que a Diners Club parasse de facilitar a compra de mulheres para casamento.

O abaixo-assinado online dizia:

Human beings should not be bought or sold, and they certainly shouldn't be part of a payment plan, a “blue light special”, or a clearance sale. Mail order brides are not only extremely vulnerable to human trafficking, but also domestic violence, abuse, rape, and exploitation. While creating a payment plan to purchase a human being is ethically and philosophically disgusting, it also reduces the economic barrier to buying a bride. Removing that barrier allows traffickers to acquire women using less capital than they needed before. It opens the door to a new socio-economic class of criminals to buy and exploit these women.

Seres humanos não deveriam ser comprados ou vendidos, e eles certamente não deveriam ser parte de um plano de pagamento, de ‘promoções relâmpago’, ou liquidações. Noivas por encomenda não são apenas extremamente vulneráveis ao tráfico de humanos, mas também à violência doméstica, abuso, estupro e exploração [en]. Enquanto a criação de um plano de pagamento para a aquisição de um ser humano é ética e filosoficamente repudiante, a atitude também reduz a barreira econômica para comprar uma noiva. A remoção dessa barreira permite aos traficantes a aquisição de mulheres usando menos capital do que precisavam antes. Abre uma porta para a compra e exploração dessas mulheres por uma nova classe socioeconômica de criminosos.

Noivas por encomenda não são ilegais na Singapura, e nem na maior parte do mundo. Este mês, The Electric New Paper, de Singapura, publicou uma série de artigos a respeito da Vietnam Brides International [Noivas do Vietnã International], incluindo um sobre o plano de pagamento mensal da empresa no valor de 167 dólares com o cartão Diners Club, e outro sobre a variação nos preços para noivas, dependendo de onde elas vêm. A jornalista, Crystal Chan, também falou com o diretor-geral assistente (de vendas e marketing) da Diners Club (Singapura), quem disse, “Nós não fazemos um julgamento moral os negócios estabelecidos com nossos parceiros comerciantes. Para nós, o mais importante é a legitimidade do negócio”.

Desde o abaixo-assinado, a empresa de cartão de crédito mudou seu discurso e escreveu a seguinte carta para Change.org:

“On behalf of Diners Club International, which is part of Discover Financial Services, we appreciate [your] bringing this specific merchant relationship with a Diners franchisee to our attention. Formal steps have been taken to terminate the relationship [with Vietnam Brides International].”

“Em nome da Diners Club International, que é parte da Discover Financial Services, nós agradecemos vocês por nos chamarem a atenção sobre a relação deste específico comerciante com a franquia da Diners. Passos formais foram tomados para finalizar a relação [com a Vietnam Brides International].”

Em Change.org, Amanda Kloer conclui:

This statement is telling, and it says that you all made a huge difference. Your letters made Diners Club aware of the partnership one of their franchisees had made with a mail order bride service. You helped keep an important financial protection in place for women at risk of trafficking and abuse via the mail order bride industry. You refused to accept that an international company can treat and finance women like objects. This is one of those rare moments when you can see the important changes your actions bring, and the difference you make in the world.

Thank you for bringing this issue to Diners Club's attention. And thank you Diners Club International for making the important decision to protect women and girls from exploitation. Together, we are the change we wish to see.

Esta declaração diz que todos vocês fizeram uma grande diferença. Suas cartas fizeram com que a Diners Club tivesse conhecimento da parceria feita por uma de suas franquias com o serviço de encomenda de noivas [en]. Vocês ajudaram a manter uma barreira financeira importante no lugar para mulheres em risco de tráfico e abuso via a indústria de encomenda de noivas. Vocês se recusaram a aceitar que uma empresa internacional pudesse tratar e financiar mulheres como objetos. Este é um desses raros momentos que vocês podem ver as mudanças importantes frutos de suas ações, e a diferença que vocês fazem no mundo.

Obrigado por levarem este assunto aos olhos da Diners Club. E obrigado à Diners Club International por tomar esta decisão importante para proteger mulheres e garotas da exploração. Juntos, nós somos a mudança que desejamos ver.

Em abril, Global Voices vinculou uma publicação [en] feita por Alvinology [en] em Singapura, sobre um filme da Al Jazeera a respeito das noivas por encomenda. O filme conta a história de duas garotas que vão a Singapura em busca de uma nova vida.

Alvinology indaga por quê homens procuram noivas estrangeiras quando se tem homens e mulheres em Singapura. Ele escreve:

In the video, a Vietnamese bride can be “purchased” on-the-spot for S$10,000. The girl on the right was only 18-years-old when she was sold to a 35 year-old Singaporean man who went to the matchmaking agency to choose his bride together with his mom.

What’s even more humiliating, the girls were made to visit a clinic in Singapore to get a certificate verifying their virginity before they can be sold.

While both the Vietnamese girls and the Singaporean men who entered into such marriages are willing adults, I wonder how many of such couples end up truly happy.

No vídeo, uma noiva vietnamita pode ser “adquirida” no local por 10 mil dólares. A garota na direita tinha apenas 18 anos quando foi vendida para um homem singapurense de 35 anos de idade, que foi a uma agência de encontros para escolher sua noiva acompanhado por sua mãe.

O que ainda mais humilhante, as garotas tiveram que ir a uma clínica em Singapura para pegar um certificado verificando sua virgindade antes que pudessem ser vendidas.

Apesar de que ambas as garotas vietnamitas e os homens que as compraram fossem adultos e consentissem com o casamento, fico imaginando quantos casais tem um fim verdadeiramente feliz.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.