Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

China: o fugitivo mais procurado, agora bloga?

Caminho até o fugitivo mais procurado [En]

Como idealizador da maior rede de contrabando jamais existente, cuja empresa totaliza 10 bilhões de dólares, Lai Changxing [En] é um criminoso legendário, assim como uma figura pública controversa da China. Antes de fugir para o Canadá, quando o governo central estava determinado a acabar pela raíz com o seu reino, tornou-se, sem sombra de dúvida, o homem mais poderoso em Xiamen, uma rica cidade litorânea. Contrabandeou para lá inúmeros carros de luxo e cargas de petróleo equivalentes a muitos tanques. Em 1997, num único ano, 10% do petróleo consumido em toda a China foi importado através de sua empresa. Além do petróleo, também cigarros, óleo de cozinha, televisões, e muitos outros itens, estão em sua lista de contrabando.
Embora tenha obtido somente o diploma do primeiro grau, ele intimidou, corrompeu e controlou quase todos os burocratas locais, em particular o sistema alfandegário.
É raro na China que o poder de um homem de negócios possa ser maior do que àquele do governo, mas o Senhor Lai parece ser uma exceção. A espantosa riqueza e sua “generosidade” são o segredo. Ele costumava declarar que “Não temo os funcionários do governo, o que temo é que eles não possuam desejos.” Desde que um homem possua desejos, para Lai, este homem está sujeito à manipulação.
Ele é proprietário de um prédio misterioso denominado “aposentos vermelhos”, que é, na verdade, um clube de luxo onde ele faz os funcionários se sentirem como se estivessem no paraíso. Em poucos anos, Lai conseguiu tecer uma rede protetora tão forte ao seu redor que na investigação descobriu-se que 700 funcionários, dentre eles Li Jizhou, o Ministro para Segurança Pública em Beijing, e Lan Pu, o vice-prefeito de Xiamen, foram subornados por Lai. Se não fosse uma chamada telefônica de um de seus amigos da Segurança Pública e Lai teria sido capturado e sentenciado à morte, ao invés de se tornar um fugitivo, agora no Canadá.
Desde então, é todo o tempo ameaçado de extradição, Sua estada no Canadá tornou-se um ponto sensível da relação entre a China e o Canadá. Tendo perdido a aura original, como é sua vida hoje em dia?
TIME o entrevistou [En] e mostra sua vida, já sem deslumbre algum, num país estrangeiro desconhecido; entretanto, mais recentemente, parece que ele mesmo está se preparando para contar suas versões das histórias. Ele começou a blogar.

Lai? Blogando?

No KDNET, um painel popular de discussão, uma postagem denominada “Lai está blogando, o que ele está tentando dizer?” [Zh] apareceu no dia 3 de março, e logo chamou muita atenção.
O nome Lai Changxing, em si, já é suficiente como manchete. Em 1999, histórias sobre ele quase preenchiam todas as páginas dos jornais diariamente. Ao retratá-lo como pecador imperdoável, no entanto, o lado duvidoso do burocrata chinês parece vir, impiedosamente, à luz .
Na postagem, o link direciona as pessoas para um site social em rede, como o facebook, denominado That'sMetro. Com o nome de Fat-Xing, a primeira postagem [Zh] do blogueiro é sobre sua vida na infância, a qual apresenta uma total semelhança com a infância de Lai.
Sua segunda postagem é agora mais conhecida, como se fosse uma apologia, também uma denúncia sobre a corrupção e injustiça em maior escala que ocorre na China atual.

Ele fala sobre contrabando

Let me talk about smuggling. My understanding is that smuggling is just to bring the good things from abroad to China. Nobody wants bad things. About a decade or two ago, all that is smuggled are of high quality. Mr. Liu (boss of Lenovo, the largest computer company in China), isn't your company also founded on smuggling? If there is no trade barrier in the world, would there still be smuggling? That's the loophole of our system.
In western countries, mostly smugglers are simply fined, because they doesn't hurt anyone's fundamental rights. It doesn't threaten people's life. At most it is a redistribution of wealth….

Deixe-me falar sobre contrabando. Meu entendimento é de que contrabando existe só para trazer as coisas boas de fora para dentro da China. Ninguém quer coisas ruins. Aproximadamente uma ou duas décadas atrás, tudo que era contrabandeado era de alta qualidade. Sr.Liu (chefe no Lenovo, a maior empresa de computadores da China), sua companhia não depende também de contrabando? Se não houver barreiras comerciais no mundo, ainda assim haveria contrabando? Essa é a válvula de escape de nosso sistema.
Em países ocidentais, a grande maioria dos contrabandistas são simplesmente multados, pois não prejudicam os direitos fundamentais de qualquer pessoa. Não há ameaça à vida das pessoas. É, no máximo, uma redistribuição da riqueza…

Talking about depriving people of their life, I have to mention one person. His name is Niu Gensheng, the boss of Meng Niu Dairy. His business is wholly for depriving people of their life. He doesn't let go anyone, whether the old, the young, or babies.

E por falar em deprivar as pessoas de suas vidas, tenho que mencionar uma pessoa. Seu nome é Niu Gensheng, o chefão no Meng Niu Laticínios. O negócio dele está totalmente voltado a desprover as pessoas de suas vidas. Ele não deixa ninguém ir, seja velho, jovem, ou bebês.

Aqui, refere-se à recente crise da melamina [En] que matou várias crianças devido à adição ilegal de materiais químicos ao leite infantil. Além disso, Meng Niu foi acusado de usar MOP, um outro produto químico que é tido como potencial causador de cancer.


Um contrabandista imperdoável, ou um homem de negócios nascido fora de seu tempo?

A autenticidade do blogue ainda não está evidente. Há alegações de que o website não é confiável, pois quando o assassinato por decapitação ocorreu na Virgina [sic] Tech, [En] o blogue do assassino também, aparentemente, foi encontrado lá. Assim sendo, as pessoas têm dúvidas quanto a se o blogue é uma farça usada só para fazer propaganda do website.

No entanto, são os comentários alí deixados que acabam sendo interessantes. O pecador imperdoável em 1999, depois de 10 anos de uma vida como fugitivo, parece ter mudado a impressão que exerce sobre a mente do público, tornando-se mais e mais afável. Um punhado de comentários expressam uma compaixão profunda por Lai.

有隆奶大 diz: [Zh]

Xing, I come here just to support you. Hope you can have a good time abroad, no longer threatened by any prosecution.

Xing, venho aqui só para te dar apoio. Espero que você possa ter uma vida agradável fora, sem ameaças devido a qualquer perseguição.

牛逼党主席 [Zh] diz,

I heard your name everyday before. Now I finally have a chance to respond to you.
Waking up from dream, I found I have been fooled so much and so long before. So are many of my countrymen. Keep blogging, we now stand with your freedom.

Antes, ouvia menção a seu nome todos os dias. Agora, finalmente, tenho a chance de responder a você.
Acordo e descubro que, anteriormente, havia sido inúmeras vezes e profundamente ludibriado. Assim também ocorre com muitos de meus conterrâneos. Continue blogando, vibramos com a liberdade que você conquistou.

快乐大灰狼 [Zh]

I happened to be in Xiamen in 2000. I passed by the Red Chamber everyday, hearing all about your legend and anecdotes. I have also heard that 90% Xiamen citizens think you did good to them.

Por acaso estava em Xiamen no ano 2000. Passava na frente do Red Chamber todos os dias e ouvia tudo sobre sua fama e suas histórias. Soube também que 90% dos cidadão de Xiamen acham que você lhes trouxe benefício.

Uma das razões para que Lai, um criminoso que deveria supostamente ser desprezado pelo país mas que, ainda assim, é favorecido pela opinião pública, é o baixo preço do petróleo que ele costumava ocasionar.
Um diálogo que um blogueiro, 百草止水, anotou em seu blogue [Zh] reflete o porquê de um taxista acreditar que Lai contribuiu para um preço de petróleo mais viável para o bolso do consumidor, ao competir com os monopólios CNPC e CPCC, controlados pelo Estado.

The oil price just started to climb up at the time. I was in a taxi chatting with the driver.

O petróleo tinha acabado de entrar numa escalada de preço naqueles dias. Estava num taxi, conversando com o motorista.

Blogger: The oil price is surging. You must spend a lot on the petroleum?
Driver: Yes, exactly. The money we labor to earn mostly go to the oil companies.
Blogger: But actually they don't earn much either, don't they? The crude oil is getting more expensive too, so not much profit can they actually gain.
Driver: No, you don't know the fact. They raise the price of product oil as soon as the international price goes up, but they fall far behind when the international price slumps. They control everything and we people can say nothing.

Blogueiro: O preço do petróleo está se elevando. Você, com certeza, gasta um bocado com gasolina?
Motorista: Sim, exatamente. O dinheiro que suamos a camisa para ganhar na maior parte vai para as companhias petrolíferas.
Blogueiro: Mas na verdade eles também não ganham muito, não é mesmo? O óleo bruto está cada vez mais caro também, sendo assim não tem como obter, na verdade, muito lucro.
Motorista: Não, você não está a par dos fatos. Eles sobem o preço do produto assim que o preço internacional sobe, mas eles ficam lá atrás quando o preço internacional despenca. Eles controlam tudo e nós, o povo, não podemos dizer nada.

Ao ouvir isso, o blogueiro, curioso, fez referência às duas principais companhias petroleiras, CNPC e CPCC, e de como sempre protestaram que a diferença entre os preços doméstico e internacional fazem-nas sofrer de um déficit profundo. De acordo com a reclamação, eles compram o petróleo caro no mercado global, refinam-o e depois vendem os produtos para o povo chinês dentro de uma margem restrita de preço baixo. O motorista deixou transparecer sua descrença com um ronco.

Driver: Think about that, if the domestic oil price is really lower than that in abroad, would smuggling be any bit profitable? Only when the domestic price is much higher, would people risk death to smuggle. Lai Changxing earned billions. Where is that from? It is exactly from the gap by which the domestic price exceeds the international price.

Motorista: Pense bem, se o preço do petróleo nacional fosse realmente mais baixo do que aquele lá fora, o contrabando seria lucrativo, em qualquer medida? Somente quando o preço interno fica muito mais alto que as pessoas colocam em risco suas vidas para contrabandear. Lai Changxing ganhou bilhões. De onde vêm todo esse dinheiro? Vem exatamente da diferença pela qual o preço interno supera o preço internacional.

Daí o motorista concluiu,

So, we drivers like Lai very much. If there were ten Lai Changxing, the oil price would have fall down dramatically.

Assim é que, nós, motoristas, gostamos muito do Lai. Se tivéssemos dez Lai Changxing, o preço do petróleo cairia dramaticamente.

Lai's smuggled oil will break through the barrier set by the monopolies, and will force the oil price down. People can hence benefit

O petróleo contrabandeado de Lai deverá quebrar a barreira imposta pelos monopólios, e forçar o preço do petróleo para baixo. As pessoas podem, então, se beneficiar.

O artigo do blogueiro One-point-five [Zh] faz eco ao argumento, decretando as líderes do petróleo como vergonhosas:

Last year, CPCC, regardless of its 39.6-billion net profit, asked for 10 billion compensation from the government, claiming that it bought crude oil in high price while sell low in product oil.

No ano passado, a CPCC, sem levar em conta seu lucro líquido de 39.6 bilhões, pediu 10 bilhões de compensação do governo, alegando que comprou óleo bruto por uma preço alto e vendeu baixo os derivados do petróleo.

A lógica por traz da falcatrua é que, se Lai pode contrabandear de fora e ganhar uma fortuna, não há razão para o preço doméstico do petróleo ser mais baixo.
É por isso que na internet uma postagem que circulou amplamente tem o nome corajoso de:

Missing Lai Changxing, missing the days with 1-Yuan oil. [Zh]

Saudades de Lai Changxing, saudades dos dias de petróleo por 1-Yuan.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.