Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

África: Os ganhadores do Primeiro Prêmio Africano de Blogs para Jornalistas são…

Os vencedores do Waxal – Blogging Africa Awards (BAA) foram anunciados. Waxal é uma iniciativa do Instituto Panos da África Ocidental [en, Panos Institute of West Africa (PIWA)] em parceria de Highway Africa [en] e do Global Voices Online (África Sub-saariana). gv-waxal1

Waxal (pronuncia-se UÓ-ROL), que significa “fala” em Wolof [pt], captura a essência da evolução da worldwide web como uma plataforma para conversação e levantamento das vozes marginalizadas. A primeira edição do prêmio reconhece o uso da nova mídia pelos jornalistas profissionais na África e pelas organizações midiáticas africanas que trabalham para promover a produção de informação alternativa e expressão cidadã.

Depois de revisar os blogs inscritos, membros do júri concederam quatro prêmios em três categorias anunciadas no início do concurso e um prêmio especial de encorajamento. O júri procurou por blogs que ilustrassem uma boa linha editorial, qualidade de expressão, interação com usuários, originalidade, publicações freqüentes e variedade no conteúdo. Dez blogs também chamaram a atenção dos membros do júri.

O júri foi formado por: dr. Lilian Ndangam, professor de mídia camaronês radicado no Canadá, Joel Phiri, cineasta e especialista em multimídia do Zimbábue, e Fatou Jagne, especialista em mídia e liberdade de expressão. Ela é a coordenadora do programa Article 19 Africa. Todos os membros do júri são bilingües.

E os vencedores são…

1. Melhor Blog de Jornalista (em língua francesa):
Cedric Kalonji da República Democrática do Congo (ele costumava blogar em www.congoblog.net). Cedric trabalha há cinco anos como jornalista para a Radio Okapi:

I have been working for five years as a journalist for Radio Okapi (http://www.radiookapi.net) in Kinshasa. In 2005, I created a Blog on which I posted pictures and personal thoughts on ordinary daily life in Congo. More precisely, it all started in September 2005. At the time I was using a small digital camera that my mother had given me as a present. I posted my pictures and wrote captions to explain the content of the photos in more detail. (…) Very quickly I received comments and points of views from visitors, mainly from Congolese living abroad. At that time, there were very few pictures of Kinshasa on the Internet; this was a result of the 32 year-long dictatorship under Mobutu (…)I come from a country where most of the journalists are praising those in power, in order to receive protection and rewards. It is difficult, in that context, to be an independent journalist. You have to withstand strong criticisms and sometimes even threats. Thanks to the Internet, I can publish my articles without fearing the censorship that the ordinary newspapers are subject to. (…) My desire to share experiences of my daily life was driven by a deep need to express myself freely. Thanks to my Blog, I had the opportunity to develop a media of my own, and to talk freely on subjects that matter to me, without being censored. Nevertheless, I was and am very careful with my editorial line, and always take into account my own security.

Tenho trabalhado durante cinco anos como jornalista para a Rádio Okapi (http://www.radiookapi.net) em Kinshasa. Em 2005, criei um blog no qual posto fotos pessoais e reflexões sobre a vida diária normal no Congo. Mais precisamente, tudo começou em setembro de 2005. Na época eu estava usando uma pequena câmera digital que a minha mãe tinha me dado de presente. Eu publiquei minhas fotos e as legendei para explicar o conteúdo em detalhes. (…) Muito rapidamente recebi comentários e pontos de vista dos visitantes, principalmente dos congoleses que vivem no estrangeiro. Nessa altura, havia muito poucas fotos de Kinshasa na Internet, este foi o resultado de 32 longos anos da ditadura sob Mobutu (…) Eu venho de um país onde a maioria dos jornalistas estão elogiando aqueles no poder, a fim de receber proteção e recompensas. É difícil, nesse contexto, ser um jornalista independente. Você tem de resistir a fortes críticas e, por vezes, até mesmo ameaças. Graças à Internet, posso publicar meus artigos sem temer a censura que os jornais comuns estão sujeitos. (…) O meu desejo de compartilhar experiências da minha vida diária foi impulsionado por uma profunda necessidade de me expressar livremente. Graças ao meu blog, tive a oportunidade de desenvolver uma mídia propriamente minha e, para falar livremente sobre os assuntos que me interessam, sem ser censurado. No entanto, eu fui e sou muito cuidadoso com a minha linha editorial, e tenho sempre em conta a minha própria segurança.

Ele recebe 1 milhão de Francos CFA (aproximadamente US$2.000).

2 – Melhor Blog de Jornalista (em língua inglesa):
Rosebell Kagumire [en], uma jornalista de Uganda. Rosebell trabalha para o jornal Independent. Ela bloga principalmente sobre seu trabalho como jornalista:

I write mainly about my job as a journalist and also I comment on socio-political issues in Uganda and Africa mostly. I also write about opportunities that my colleagues can benefit from especially media related training. I write about conflict and the work I write in other media is always brought to feature on my blog. (…)Though very new my blog gives people my views about my life, my country and life generally (…)My interest in blogging is to express myself in sometimes ways that cannot be accepted in the media. I believe also it’s important for people and friend s to know my thought, principle and values which are all reflected in the different posts on my blog. I also think I can trigger discussion about many issues some of which I write about and others that are featured in the media for positive change. I get discussions going especially by posting my blog posts on facebook to share them with my colleagues. Through such discussion i get to know how the society views certain issues.

Escrevo principalmente sobre o meu trabalho como jornalista e também comento sobre questões sócio-políticas em Uganda e na África, principalmente. Eu também escrevo sobre as oportunidades cujos meus colegas podem se beneficiar especialmente relacionadas com o treinamento na mídia. Escrevo sobre conflito e os trabalhos que escrevo em outros meios são sempre levados para um lugar de destaque no meu blog. (…) Apesar de muito novo, o meu blog oferece às pessoas a minha opinião sobre a minha vida, o meu país e da vida em geral (…) O meu interesse no blog é a de expressar-me de formas que às vezes não podem ser aceitas nos meios de comunicação. Creio também que é importante para que as pessoas e os amigos conheçam meu pensamento, princípio e valores que estão todos refletidos nos diferentes lugares do meu blog. Também acho que posso desencadear discussão sobre algumas das muitas questões que escrevo sobre e sobre outras que estão apresentadas nos meios de comunicação para uma mudança positiva. Recebo discussões especialmente publicando minhas postagens do blog no facebook para compartilhá-las com os meus colegas. Através dessa discussão, eu fico sabendo como a sociedade vê determinados assuntos.

Rosebell recebe 1 milhão de Francos CFA (aproximadamente US$ 2.000).

3 – Melhor Blog de Organização da Sociedade Civil Africana:
Lusaka Times, um blog de notícias e discussão feito por zambianos por todo o mundo.

LT is an electronic news platform that allows all types of users to have an open discussion on the day to day current issues in Zambia. The idea that is powering Lusakatimes today was birthed in 1998 as a casual conversation between friends. In 1999, the idea was made manifest with the launch of Lusaka Information Dispatch. The project was funded by the Dutch IICD who provided seed capital for the equipment and operational costs for a limited duration. However, the operational model for Information Dispatch proved too difficult to sustain at the time. In 2002 Information Dispatch suspended its operation after key members quit the group. In January 2007, the site was re-launched under the new URL address called lusakatimes.com and a new operational model. Today Lusakatimes is run by a number of people distributed around the world, working in an open source type of structure, purely driven by hobby and ambition to provide Zambians around the world with current news content based on facts and not speculation. Our day to day news content comes from known Zambian sources like Zambia Daily-Mail, Times of Zambia, ZNBC and ZANIS. These are the giants whose shoulders we stand on. Our added value to the commodity called news is the speed with which we deliver it to our readers and the community, feeling and experience we have created around the news content on our website. Additionally, Lusakatimes also provides a platform for any Zambian who wants their article published, provided they take full ownership and responsibility of the content. The ability of our users to be able to read news and anonymously provide immediate feedback is something we have always highly valued from the Information Dispatch days. Lusakatimes.com was ranked as the most visited website in Zambia under traffic listing on Alex.

LT é uma plataforma eletrônica de notícias que permite a todos os tipos de usuários a terem uma discussão aberta sobre temas atuais do dia-a-dia na Zâmbia. A idéia que está alimentando Lusakatimes hoje nasceu em 1998 como uma conversa informal entre amigos. Em 1999, a idéia foi feita manifesto com o lançamento de Lusaka Information Dispatch [Correio Informativo Lusaca]. O projeto foi financiado pela holandesa IICD que forneceu o capital para equipamento e custos operacionais por um período limitado. No entanto, o modelo operacional para a Dispatch Information revelou-se demasiadamente difícil de sustentar-se no momento. Em 2002, Dispatch Information teve seu funcionamento suspenso depois de saídas de membros principais do grupo. Em janeiro de 2007, o site foi re-lançado no novo endereço URL chamado lusakatimes.com e com um novo modelo operacional. Hoje, Lusakatimes é gerido por um número de pessoas distribuídas por todo o mundo, trabalhando em um tipo de estrutura de fonte aberta, exclusivamente orientada por hobby e ambição de fornecer aos zambianos em todo o mundo a notícia atual com conteúdo baseado em fatos e não a especulação. O nosso conteúdo dia-a-dia de notícias vem de fontes conhecidas da Zâmbia como Zambia Daily-Mail, Times of Zambia, ZNBC e ZANIS. Estes são os gigantes em cujos ombros podemos apoiarmos. O nosso valor-agregado somado à mercadoria chamada notícia é a rapidez com que a entregamos aos nossos leitores e à comunidade, sentimento e experiência que temos criado em torno do conteúdo de notícias em nosso site. Além disso, Lusakatimes também fornece uma plataforma para qualquer pessoa zambiana que queira seu artigo publicado, na condição de assumir plenamente a propriedade e responsabilidade pelo conteúdo. A capacidade dos nossos usuários de serem capazes de ler as notícias e anonimamente fornecer feedback imediato é algo que é sempre muito valorizado desde os dias da Dispatch Information. Lusakatimes.com foi classificado como o mais visitado site na Zâmbia sob listagem de tráfego no Alex [en].

Lusaka Times recebe 2 milhões de Francos CFA (aproximadamente US$ 4.000).

4. Prêmio Especial do Panos Institute West Africa para a África ocidental:
Israel Yoroba Guebo da Costa do Marfim. Israel recebe 500.000 Francos CFA (aproximadamente US$ 1.000).

Abaixo estão os blogs que receberam felicitações do júri:

Categoria 1: Melhor Blog de Jornalista em francês (classificação sem hierarquia):
Edouard Tamba de Camarões
Ramata Sore de Burkina Faso
Basile Niane de Senegal

Categoria 2 – Melhor Blog de Jornalista em inglês (classificação sem hierarquia):
Emmanuel Onyango da Tanzânia
Conrad Dube from Zimbábue
Khaya Dlanga da África do Sul

Categoria 3 – Melhor Blog de Organização da Sociedade Civil Africana (classificação sem hierarquia):
Penplusbytes’ blog que cobriu as eleições de 2008 de Gana
REgul-Telco-Afrik do Senegal
20mai.net de Camarões
Remastp News

Outros blogs que chamaram a atenção dos jurados, individualmente, mas que não foram escolhidos por unanimidade por razões distintas:

Remmy Nweke da Nigéria
Martin Aihonnou de Benin
Nadine Kouamouo-Tchaptchet da Costa do Marfim
Vusi Gumede da África do Sul
Khaya Dlanga da África do Sul
Shashank Bengali do Quênia

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.