Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Global: Comboio a caminho de Gaza entra para a história

O dia 22 de fevereiro entrou para a história quando um comboio indo do Reino Unido para Gaza teve permissão para ultrapassar a fronteira entre o Marrocos e a Argélia [en], que se mantinha fechada há quase 15 anos. A fronteira foi cerrada em 1994, depois que o Marrocos suspeitou do envolvimento do país vizinho em um ataque a um hotel na capital, Marraquesh.

Gaza; Peace N’ Freedom descreveu [en] o comboio e também compartilhou um vídeo:

Reminiscent of the solidarity work with Spain during the Spanish Civil War, the largest aid convoy ever from Britain to the Middle East is set to leave from Westminster, London, tomorrow February 14. The convoy consists of 100 vehicles, including a boat, a fire engine and 12 ambulances. Member of Parliament George Galloway will lead the convoy on its travel through Europe, North Africa to Gaza, Palestine. The convoy has been financed through donations from the British people. Video on the launching below, more info at VivaPalestina.org.

Remanescente do trabalho de solidariedade com a Espanha, durante a Guerra Civil Espanhola, o maior comboio de ajuda humanitária de todos os tempos a sair da Grã-Bretanha em direção ao Oriente Médio está programado para partir de Westminster, em Londres, amanhã, 14 de fevereiro. O comboio é formado por 100 veículos, incluindo um barco, um carro de bombeiros e 12 ambulâncias. O parlamentar George Galloway liderará o comboio em sua viagem pela Europa, África do Norte e Gaza, na Palestina. O comboio foi financiado através de doações do povo britânico. Abaixo está o vídeo de lançamento da campanha, para obter mais informações acesse VivaPalestina.org.


Embora o comboio esteja viajando a Gaza por motivos de ajuda humanitária, o mero fato de que ele passa por Maghreb pode ter efeitos de alcance ainda maior. Pelo menos dois membros do comboio vêm relatando histórias de sucesso através de blogues, e uma recente notícia [en] no site Viva Palestina demonstra que o envolvimento no sucesso do comboio não se limita apenas ao Reino Unido:

The convoy are now filling up with fuel in the town of Chlef. Apparently an Algerian is paying the bill on this occasion. The convoy has decided to make up some lost time by heading for Algiers this evening. The journey could take more than 3hours.

O comboio está agora sendo abastecido com combustível na cidade de Chlef. Ao que parece, um algeriano está pagando a conta nessa ocasião. O comboio decidiu correr atrás do tempo perdido passando pela [capital da Argélia] Argel na noite de hoje. A jornada pode demorar mais de 3 horas.

De acordo com algumas pessoas, o comboio está ajudando a fazer uma ponte entre a Argélia e o Marrocos. Yvonne Ridley, que junto com Hassan Al Banna Ghani está documentando a viagem para um filme, escreveu um artigo para o VivaPalestina.org [en], no qual ela diz:

Although there are still thousands of miles separating the convoy from its end game of delivering aid to Gaza, Saturday's border crossing is the one which will be recorded in the history books.

Morocco and Algeria agreed to put aside their differences to open their land border for the first time in 15 years for the sake of Palestine.

Palestine has often been described as the key which can open the door to Middle East peace, but tomorrow it will open a door in the Maghreb which has been tightly shut since 1994.

This wonderful gesture is something Condaleezza Rice failed to persuade the neighbouring countries to do – her last attempt before the departure of George W Bush was made in September.

But the peace mission and genuine humanitarian nature of the Viva Palestina convoy has melted the hearts of those on both sides of this vital land border which, when opened, will ease the passage of those carrying more than one million pounds of aid for Gaza.

Embora milhões de milhas de distância ainda separem o comboio do destino final da entrega, em Gaza, o fato dele ter cruzado essa fronteira no sábado é o que será guardado nos livros de história.
O Marrocos e a Argélia concordaram em deixar suas diferenças de lado para abrir os dois lados da fronteira pela primeira vez em 15 anos, em favor da Palestina.
A Palestina é normalmente descrita como a chave que pode abrir as portas para a paz no Oriente Médio, mas amanhã abrirá uma porta a Maghreb que tem-se mantido muito bem fechada desde 1994.
Esse gesto maravilhoso é algo que Condaleezza Rice não conseguiu, ela não persuadiu os países vizinhos a fazerem isso – o que foi sua última tentativa antes da saída de George W Bush em setembro.
Mas a missão de paz e de natureza genuinamente humanitária do comboio Viva Palestina derreteu os corações daqueles dos dois lados desse território de uma fronteira vital que, quando for aberta, facilitará a passagem daqueles que estão carregando mais de um milhão de libras esterlinas em ajuda para Gaza.

Ela também compartilhou esse vídeo clipe:


Outro blogue, Gaza Convoy 2009, está detalhando a viagem de longe. No sábado, 21 de fevereiro, eles publicaram [en] essa notícia:

00:25 (GMT) – Text update from the A Team

“Salaam we went through centre and hundreds of people here, it was amazing as its somthing we have never seen before. There were hundreds of people on the streets cheering. We were on the roof of our van, hanging off the back ladder with Mudasir tannoy. It was top, even the police are cheering ‘Allah Hu Akbar’. The youths, kids and men were hugging us…a 15yr old boy told me that even the muslims who drink came on the street to shout ‘Allah Hu Akbar’ and they make dua for us everyday to succeed.

We have come to a caravan site to sleep now”

00h25 (GMT) – Texto atualizado pela equipe.
“Saudações enquanto atravessávamos o centro e passávamos por centenas de pessoas daqui, impressionou já que nunca tínhamos visto algo do tipo antes. Centenas de pessoas aplaudiam nas ruas. Estávamos no topo da nossa van, ou dependurados na escada traseira, com alto-falantes. Foi o máximo, até mesmo a polícia gritava ‘Allah Hu Akbar’ (“Deus é grande”). Jovens, crianças e homens nos abraçavam… um rapaz de 15 anos me disse que mesmo muçulmanos que bebem vieram às ruas gritando ‘Allah Hu Akbar’ e que rogam a Deus todos os dias pelo nosso sucesso.

Agora voltamos ao local onde a caravana está para dormir”

Por fim, Greg to Gaza, blogueiro que participa do comboio e está documentando a jornada [en]. Em uma de suas postagens mais recentes, ele estava em Oujda, região marroquina na fronteira com a Argélia:

Phone signal very sporadic. I'm fine. On Morocco Algeria border. First time open for 17 years. Just for us. Yesterday we had a fantastic reception at a socialist MP house and later that night a banquet in Oujda thrown by the greatest Islamic scholar in Morocco. Big rift in convoy today when some radical unruly elements were nearly sent home. A rebellion was finally successful when a third of the convoy refused to move from the Moroccan border unless everyone was let through. Time will tell whether that was the right decision. An Algerian MP has sent food to the border because we have been stuck at passport control for at least 9 hours. They have also promised free fuel tonight. Where we will sleep, when we can leave, how much longer its going to take or how many hours we have to drive are all unknowns.

O sinal de telefone é bastante errático. Estou bem. Na fronteira entre o Marrocos e a Argélia. É a primeira vez em 17 anos que ela se abre. Apenas para a gente. Ontem tivemos uma recepção fantástica na casa de um parlamentar socialista e mais tarde um banquete em Oujda, promovido pelo maior acadêmico do Islã do Marrocos. Grande discórdia hoje quando alguns elementos radicais insubordinados do no comboio quase foram mandados de volta para casa. Uma rebelião foi bem-sucedida, por fim, quando um terço dos comboios se recusou a se mover da borda no Marrocos, até que todos tivessem permissão para passar. O tempo dirá se essa foi a decisão certa. Um parlamentar argeliano enviou comida à fronteira, porque ficamos presos na seção de controle de passaportes por nove horas. Eles também prometeram combustível de graça hoje a noite. Ainda não se sabe onde vamos dormir, quando partiremos, quanto tempo isso ainda durará ou quantas horas precisaremos dirigir.

1 comentário

  • Ju

    The Freedom Theatre Under Attack!

    On the morning of April 15, 2009, an unknown individual set fire to The Freedom Theatre in Jenin Refugee Camp, Occupied Palestine. The main door of the theatre was completely burned, but the fire did not spread inside the building and the theatre remains largely unharmed.

    This was the second attempt to burn the theatre. On the night when Al Kamandjati Music Centre in Jenin was devastatingly set on fire three weeks ago, there was also a first failed attempt to destroy The Freedom Theatre.

    The Palestinian Police was immediately informed of the initial attempt to burn the theatre, but to date nothing has come out of the police investigation. This renewed attempt confirms that the theatre remains unprotected and a target for more attacks in the near future.

    We are therefore calling upon all of You, who believe the future of Palestine lies in its culture, to raise your voices and stand beside us to confront these barbaric acts against the future of the Palestinian people.

    We are calling upon the Palestinian Authority to do whatever in its power to bring these criminals to justice and to save the Palestinian liberation struggle from ever darkening days.

    The Freedom Theatre has grown to be very successful in the Jenin area. In the past year more than 16,000 boys, girls and adults visited the theatre and took part in our activities, and the recent theatre production of “Animal Farm” was a great success, bringing thousands of youth from the whole Jenin district to the theatre.

    Do not let The Freedom Theatre be destroyed!

    This mailing system may only be used for sending permission based email.
    If you did not give permission to receive emails from this sender, please notify us.

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.