Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

As roqueiras da Arábia Saudita

Um grupo de garotas sauditas está fazendo com que suas vozes sejam ouvidas – e de uma forma nunca antes vista na conservadora Árabia Saudita.

Escrevendo no Muslimah Media Watch [en], Ethar dá a notícia:

The internet is abuzz with talk about an all new rock band, The Accolade. Nothing special, you would think, until you realize that not only are the members all women, but all Saudi women.

A internet está em alvoroço com conversas sobre uma banda de rock novinha em folha, The Accolade. Nada de especial, você diria, até perceber que além de todos os integrantes serem mulheres, todas elas são mulheres sauditas.

E o fato delas serem mulheres sauditas é o que faz a banda alcançar os holofotes do mundo inteiro:

On the day the band made the front page of The New York Times (NYT), their ‘friends’ on their MySpace page went from 17 to 584. Today, only four days later, they have almost 1,000 friends, over 130,000 profile views, and comments from people in Italy, Spain, Korea, Sweden, Mexico, Germany and the USA (to name a few) saluting them and wishing them luck. That’s in addition to almost 1,000 fans on their Facebook page.

No dia em que a banda chegou à primeira página do The New York Times (NYT), a quantidade de “amigos” na página do MySpace dela passou de 17 para 584. Hoje, apenas quatro dias depois, já são quase 1.000 amigos, mais de 130.000 visitas no perfil, e comentários de pessoas na Itália, Espanha, Coréia, Suécia, México, Alemanha e dos Estados Unidos (só para citar alguns) saudando a banda e desejando-lhe boa sorte. Sem contar os quase 1.000 fãs em sua página no Facebook.

Ethar continua:

The band is made up of four college students: 21-year-old Dina (the guitarist) and her 19-year-old sister Dareen (bass guitarist), along with Lamia (vocals) and Amjad (keyboard). Here’s a short interview with them.

A banda é formada por quatro estudantes universitárias: Dina (guitarrista), de 21 anos, e sua irmã de 19 anos Dareen (baixista), junto com Lamia (vocais) e Amjad (teclado). Veja aqui [en] uma rápida entrevista com elas.

Do Egito, Zeinobia vê a notícia no Egyptian Chronicles [en] e escreve:

To be honest I was surprised ,I think this is the first Saudi Rock group ever , the hip hop and Rap are much popular than rock as I know in KSA. Also I thought they would sing in Arabic, some of the rock bands in Egypt do sing in Arabic. Anyhow good luck to them,hopefully no one would harm them insh Allah (by the will of God).

Para ser sincero, fiquei surpreso, acho que esta é a primeira banda de rock saudita da história, sei que o hip-hop e o rap são muito mais populares do que rock no Reino da Arábia Saudita. Eu também achei que elas cantavam em árabe, algumas das bandas de rock no Egito cantam em árabe. De qualquer maneira, boa sorte para elas, esperemos que ninguém venha a prejudicá-las, insh Allah (deus queira).

Jazarah, da Jordânia, coloca links para a canção Pinocchio no YouTube e observa:

The Accolade is a rock band from Saudi Arabia, the unusual thing is that the band members all girls, yes Saudi girls, of course they didn’t go public, but they dream of performing live in Dubai, do you think it’s happening? This is their first hit, Pinocchio:

O The Accolade é uma banda de rock da Arábia Saudita, a coisa mais fora do comum é que os membros da banda são todas as meninas, sim, moças da Arábia, claro que elas não aparecem em público, mas sonham em se apresentarem em Dubai, você acha que vai rolar? Este é seu primeiro hit delas, Pinocchio:

Escrevendo no Mideast Youth, Rasha da Arábia Saudita, deixa algumas pistas sobre o que torna a banda tão especial. Ela explica:

In an ultra conservative country such as Saudi Arabia, an all female rock band is not exactly the norm! These four college students were brave enough to follow their dreams and stand against the tides of a society that is hardly forgiving to such taboos.

Em um país ultra-conservador como a Arábia Saudita, uma banda feminina não é exatamente a regra! As quatro estudantes universitárias foram corajosas o suficiente para seguir seus sonhos e remarem contra as marés de uma sociedade que praticamente não perdoa tabus como esses.

Rasha diz mais:

These girls live in Jeddah, which is known to have a much more relaxed atmosphere than other parts of the kingdom. There are more and more male bands and concerts playing openly for the public, and you can even notice that there is less segregation between the genders in restaurants and shopping malls.

I have visited Jeddah a few weeks back. It really felt as if I had entered another country! People are much more relaxed and women can actually be comfortable in their own skin! unlike other areas of Saudi Arabia where women are made to feel awkward just by their mere presence in public.

But still, an all girls rock band does break so many social chains even in Jeddah. They won’t be able to perform in public unless they do private parties or for all girls only. None the less , their music is being heard and downloaded from inside and outside the kingdom.

Essas meninas moram em Jidá, cidade que é conhecida por ter uma atmosfera muito mais descontraída do que outras partes do reino. Há mais e mais bandas masculinas e shows rolando abertamente em público, e se pode até perceber que há menos segregação entre os sexos, nos restaurantes e shoppings.
Visitei Jidá algumas semanas atrás. Parecia mesmo que tinha entrado em outro país! As pessoas são muito mais relaxadas e as mulheres podem mesmo se sentirem confortáveis na própria pele! Ao contrário de outras áreas da Arábia Saudita, onde as mulheres são obrigadas a sentir-se estranhas apenas pela mera presença em público.
Mas mesmo assim, uma banda rock só de garotas quebra muitas correntes sociais, mesmo em Jidá. Elas não poderão se apresentar em público a não ser que façam festas privadas, apenas para meninas. Apesar disso, sua música está sendo ouvido e baixada dentro e fora do reino.

1 comentário

  • Achei não só a matéria como também a notícia muito boas. :)
    As moças de Jeddah tocam um bom soft metal com um certo ar de doom-metal que é convincente e honesto. Elas não estão só quebrando tabus e enfrentando corajosamente uma sociedade segregadora e misógina — elas o estão fazendo com boa música. Saudi Girls Rock! :D

    Abraços do Verde.

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.