Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Irã: Estudantes protestam contra ditadura e apartheid sexual


Foto do yaarinews.com

Um grupo de estudantes promoveu uma manifestação de protesto contra o governo iraniano e o presidente Mahmoud Ahmadinejad na Universidade de Teerã no domingo passado, celebrado como o  Dia dos Estudantes [en] para relembrar o aniversário do assassinato de três estudantes da Universidade de Teerã em 6 de dezembro de 1953.

O Daftare Tahkim Vahdat (que significa Escritório de Consolidação da União), uma importante associação de estudantes, organizou a manifestação para protestar contra a censura, o “apartheid” sexual e a pressão sob os estudantes. Eles entonaram palavras de ordem como “Abaixo a Ditadura” e se confrontaram [en] com as forças de segurança. Você pode ver um conjunto de fotos aqui.

Veja abaixo um vídeo da manifestação:

Salam Demokrat diz [fa] que estudantes que tinham sido presos ou destituídos do estudo discursaram na universidade. O blogueiro relata:

در ادامه سخنرانی ها دانشجوی منع تحصیل و زندانی آزاد شده، مهدیه گلرو، از دانشگاه علامه
در مورد جنبش زنان و خاطرات زندان خود سخن گفت و مورد تشویق و پشتیبانی فراوانی از دانشجویان قرار گرفت. بعد از خانم گلرو، دانشجویان کرد، بیانیه ی خود را خواندند. و دانشجویان سوسیالیست دانشگاه های ایران و دانشجویان سوسیالیست پلی تکنیک بیانیه های خود را توزیع کردند

Mahdieh Golro falou sobre o movimento feminino e sua experiência na prisão. Os estudantes a motivaram de forma muito calorosa. Depois de Golro, estudantes curdos leram suas declarações e estudantes socialistas distribuíram seus panfletos.

O blogueiro acrescenta que o número de participantes gira em torno de 3.000 a 4.000 estudantes.

Veja mais fotos aqui.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.